Análise Política

Na política, missão de Victor Coelho é fazer diferente de Casteglione – por Ilauro Oliveira

Publicados

em

Por Ilauro Oliveira

Sem muitas novidades no seu secretariado, o prefeito de Cachoeiro, Victor Coelho (PSB), assume o segundo mandato com o peso de duas votações históricas no curtíssimo currículo político.

Trata-se, sem dúvida, de um fenômeno eleitoral. Duas eleições, dois mandatos aos 45 anos, o que indica que poderá ter na vida pública um longo futuro pela frente. Poderá…

…Na política, a missão de Victor Coelho é não repetir o erro do seu antecessor Carlos Casteglione (PT), de quem se esperava muito após duas vitórias épicas nas urnas, mas que acabou precocemente no ostracismo.

Com o fim político das grandes lideranças cachoeirenses (Theodorico Ferraço, Roberto Valadão e Zé Tasso), mais a morte trágica do ex-deputado Glauber Coelho, imaginava-se que Casteglione e seu grupo se estabeleceriam nesse vazio político. Mas isso não aconteceu.

De maneira surpreendente, o ex-prefeito petista além de não fazer Pastor Brás seu sucessor, que teve votação ridícula (2.748 votos), conseguiu a façanha de se candidatar em 2018 para a Assembleia Legislativa e ter apenas 3.119 votos em Cachoeiro. Foi o décimo mais votado na cidade, posição e votação vexatória para quem comandou o maior município do Sul do estado duas vezes.

Leia Também:  Cachoeiro pede a Casagrande

Pois bem, o cenário atual é um pouco parecido. Segue o mesmo vazio político, cuja liderança maior é exatamente Victor Coelho, seguido bem de longe pelo deputado estadual Marcos Mansur (PSDB). A recente eleição mostrou que Victor reina absoluto e sem sombras. Portanto, não pode desperdiçar a chance de estabelecer seu grupo. Erro cometido por Casteglione.

Uma boa receita para isso é pensar agora em nomes para 22 e 24 (ano da sua sucessão), fortalecendo-se para 26, quem sabe como um deputado federal genuinamente de Cachoeiro. Coisa que aliás não temos tido ultimamente.

É de se imaginar que Victor esteja pensando nesse cenário e já apostando em nomes para isso. Os próximos passos do seu mandato vão mostrar se haverá nome (ou nomes) proeminente a ser trabalhado pela máquina.

Uma dessas apostas poderia ser o seu vice-prefeito, Ruy Guedes (Podemos), nome palatável na sociedade cachoeirense. Com uma boa lapidada e um perfume político maior, pode surpreender nas urnas, alavancado claro pela força da administração.

Leia Também:  Em Mimoso do Sul, o dinamismo do jovem Peter Costa!

Vejamos as cenas dos próximos capítulos. Roteiro a ser construído pelo jovem prefeito de Cachoeiro, que, como disse, hoje reina soberano.

******************************************

“…São só dois lados da mesma viagem / O trem que chega é o mesmo trem da partida / A hora do encontro é também, despedida / A plataforma dessa estação é a vida desse meu lugar…” – Encontros e Despedidas (Milton Nascimento)     

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Análise Política

Em Mimoso do Sul, o dinamismo do jovem Peter Costa!

Publicados

em

Não é tarefa difícil encontrar com o jovem gestor pelas ruas da pacata cidade de Mimoso do Sul. Com perfil diferente dos habituais “prefeitos de gabinete”, Peter Costa está sempre presente no dia a dia do cidadão e nas ações desenvolvidas pela gestão mimosense.

Em apenas seis meses de mandato, Peter já “deu outra cara” para o município. Hoje é praticamente impossível apontar um ponto fraco da gestão, que tem promovido uma verdadeira transformação da maneira mais austera possível.

Secretários, seguindo o mesmo modelo de trabalho do prefeito, colocam a mão na massa (literalmente), utilizam mão de obra própria, fomentam parcerias com associações, e isto tem sido fator importante no momento agradável que a cidade vive.

A verdade é que uma cidade bonita e bem cuidada contribui para um ambiente de negócios favorável. Aumenta a autoestima do cidadão e impulsiona o comércio.

Peter encontrou um desafio gigante na saúde, que é a gestão da pandemia. É desafiador sanar qualquer demanda reprimida quando as cirurgias eletivas estão reduzidas ou até suspensas. O foco central de qualquer secretaria de saúde do país é controlar a doença que vem abalando não só a saúde, mas a economia. Em paralelo é preciso cuidar das outras doenças, atuar na prevenção e no atendimento emergencial. A tarefa não é simples, mas tem sido administrada com profissionalismo e seriedade.

Leia Também:  Desaprovação a Bolsonaro sobe dez pontos em sete meses e alcança 68%, diz Ipec

Cerca de 50% da população da cidade já foi vacinada com a primeira dose, 5.440 pessoas já estão completamente imunizadas.

Em um momento onde novos caminhos políticos surgem, vale a pena observar o trabalho de Peter. Não se admire de encontrá-lo em cadeiras ainda mais importantes no Estado em poucos anos.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA