Economia

Mudança: haverá redução da mistura de biodiesel a partir de setembro

Publicados

em


source

Agência Brasil

biodiesel
Geraldo Kosinski/Petrobras

Diesel e biodiesel sofrerão mudança a partir do próximo mês; entenda

A diretoria colegiada da Agência Nacional do Petróleo,  Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), com a concordância do Ministério de Minas e Energia (MME), aprovou hoje (13) a redução excepcional e temporária do percentual de mistura obrigatória do biodiesel ao óleo diesel dos atuais 12% para 10% no bimestre de setembro e outubro de 2020.

Segundo a ANP, a medida é necessária para dar continuidade ao abastecimento nacional, uma vez que a oferta de biodiesel para o período poderia não ser suficiente para atender à mistura de 12% ao diesel B, que vem sendo bastante consumido, apesar da atual situação de pandemia de Covid-19.

Reação de empresários do setor

Segundo a coluna Vaivém das Commodities, da Folha de S.Paulo, a reação dos empresários do setor do biodiesel foi ruim.

Leia Também:  Entenda como Guedes opina na escolha de cargos de estatais depois da debandada

“Insanidade, retrocesso, decisão surreal, vergonha, lamentável, pior do que nos tempos do PT, absurdo, insegurança jurídica. Essa é a reação da cadeia de biodiesel sobre a decisão da ANP e do Ministério de Minas e Energia de reduzir a mistura de biodiesel de 12% para 10% no bimestre setembro-outubro. Não faltaram também palavrões pouco comuns na boca de empresários”, publicou o colunista do jornal, Mauro Zafalon.

De acordo com o jornalista, os empresários se espantaram e disseram que esta foi a primeira interferência governamental na política de mistura do biodiesel. O problema para os empresários é que as indústrias adquiriram matéria-prima e há um cronograma de produção, que serão afetados com a mudança.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Nova gigante da locação de veículos: Localiza e Unidas anunciam fusão

Publicados

em


source

Brasil Econômico

Placa da empresa Localiza. No fundo, carros estacionados
Divulgação

Após anunciar fusão com Unidas, ações da Localiza têm alta


Nesta terça-feira (22), a Localiza e a Unidas fecharam um acordo que combina os dois negócios e incorpora as ações da Unidas pela Localiza, segundo a Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Após o anúncio, as ações da Localiza registraram alta de até 20% na Bolsa de Valores de São Paulo, a B3.


Eugênio Mattar, presidente da Localiza, disse, por teleconferência, que a proposta de fusão de sua empresa com a Unidas é formar uma companhia de escala global nos segmentos de gestão de frotas e aluguel de carros, segundo apuração da Reuters .

O presidente da Localiza também prometeu o aumento da eficiência operacional, da produtividade das áreas corporativas e do negócio de venda de carros, reduzindo os custos das frotas. “Iremos colocar o Brasil na vanguarda da mobilidade”, garantiu Mattar.

Leia Também:  Entenda como Guedes opina na escolha de cargos de estatais depois da debandada

Em comentário, o banco Credit Suisse disse que “aos acionistas da Unidas foram oferecidos 0,4468 ação da Localiza + 0,835 / dividendo em ação, ou seja, uma alta de 13% antes da reclassificação e com os ganhos de sinergia”.

Com a fusão, os acionistas da Localiza passarão a deter 76,85% da companhia combinada e os acionistas da Unidas deterão 23,15%. A cada ação, os acionistas da Unidas vão receber R$ 23,12, um prêmio de 9,1% sobre a cotação de fechamento da véspera. Se a operação for consumada, é previsto uma distribuição de até R$ 425 milhões em dividendos a acionistas da Unidas.

As empresas afirmaram que “do ponto de vista econômico-financeiro, a integração dos negócios deverá promover sinergias e aumentos de eficiência na companhia combinada resultante da incorporação de ações”. O valor de mercado da Localiza era de R$ 39,2 bilhões e o da Unidas, de R$ 10,8 bilhões, após o fechamento dos preços na terça-feira. 

Agora, a transação espera pela aprovação dos acionistas das companhias e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e pela verificação de outras condições para essa operação. No entanto, segundo a corretora Mirae, o processo pode sofrer pressão no Cade e lobby das montadoras, já que as duas empresas somam, juntas, 15% das vendas de veículos no Brasil.

Leia Também:  Nova gigante da locação de veículos: Localiza e Unidas anunciam fusão

Erramos: esta matéria dizia que o presidente da Localiza é Salim Mattar, mas, na verdade, o presidente é Eugênio Mattar. Salim é um dos fundadores da empresa e se desligou da companhia em dezembro de 2018, segundo informou a assessoria da Localiza. O texto foi alterado e agora está correto.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA