Saúde

MPs querem construção de hospital geral em Cachoeiro

Publicados

em

Por | 08.08.2014

 

 

A ação pede a conclusão da unidade hospitalar do bairro Aquidabã, preferencialmente como Hospital Geral de Urgência e Emergência, com ênfase nas clínicas de ortopedia, traumatologia, cirurgia geral, vascular, neurológica e urológica

 

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo e o Ministério Público Federal, por meio da 2ª Promotoria Cível e da Procuradoria da República, ambas em Cachoeiro de Itapemirim, ajuizaram Ação Civil Pública, com pedido de tutela antecipada de urgência, para a construção de um Hospital Geral Estadual para a Macrorregião Sul, em face da União, do Estado do Espírito Santo e do município de Cachoeiro de Itapemirim.

 

A ação contesta a ausência de um hospital geral público no município e a consequente falta de leitos, médicos e estrutura hospitalar para atendimento dos cidadãos residentes na região. Segundo a ação, existem somente 1.045 leitos do SUS para 623.521 habitantes da região, deixando claro que não há sistema que suporte esse déficit de leitos.

 

A omissão dos requeridos, de acordo com a ação, ocorre desde 2004, com o início da construção de um hospital situado no bairro Aquidabã, em Cachoeiro, hoje conhecido popularmente como “elefante branco”. O hospital inicialmente prestaria serviço ao público materno-infantil. Contudo, as obras não ficaram prontas e apresentam diversas irregularidades técnicas. Hoje, após aproximadamente dez anos, a estrutura hospitalar permanece inacabada.

A partir de investigações iniciadas em 2008, é de entendimento do MPES que, apesar do passar dos anos, não houve esforço dos requeridos para concluir a estrutura hospitalar já existente e nem para implementar uma nova unidade de atendimento médico à população.

Sendo assim, o Ministério Público demandou que sejam os requeridos condenados à obrigação de realizar, dentro de um prazo razoável fixado pelo magistrado, a conclusão da unidade hospitalar do bairro Aquidabã, preferencialmente como Hospital Geral de Urgência e Emergência, com ênfase nas clínicas de ortopedia, traumatologia, cirurgia geral, vascular, neurológica e urológica, conforme deliberação do Conselho Estadual de Saúde.

 

Leia Também:  RJ: casos antigos causaram recorde de notificacões de covid-19

 

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Rio de Janeiro registra caso de raiva animal depois de 26 anos

Publicados

em


O Laboratório Municipal de Saúde Pública (Lasp) do Rio de Janeiro diagnosticou um caso de raiva animal esta semana. O Rio não registra casos de raiva em cães e gatos desde 1995. O caso foi encaminhado por um veterinário de Duque de Caxias, que prestou atendimento a um cão que morreu no dia 6 de maio.

Segundo o Instituto Municipal de Vigilância Sanitária, Controle de Zoonoses e Agropecuária (Ivisa-Rio), a Secretaria de Estado de Saúde e o Sistema de Informação de Agravo de Notificação (Sinan) foram informados e a amostra retirada do animal foi encaminhada ao Instituto Pasteur para determinação da variante viral.

De acordo com o Ivisa-Rio, o animal teve contato direto com um morcego no dia 26 de março e não houve agressão à tutora do cachorro ou aos profissionais de saúde que o atenderam.

O instituto informou que será feita vacinação antirrábica nos dias 15 e 22 maio nos bairros vizinhos ao município de Duque de Caxias. Neste sábado (15), serão imunizados os animais de Parada de Lucas, Vigário Geral e Jardim América, na zona norte do Rio de Janeiro.

Leia Também:  Novo lote de vacinas da Pfizer chega ao Brasil

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA