Moda & Beleza

Mo Gawdat, contextualiza o Podcast  „SLO MO” com Sandra Teschner

Publicados

em


source

Mo Gawdat, ex-presidente da Google (x), enegengeuro, serial empreendedor, um dos mais renomados autor contemporâneo da Ciência da Felicidade , contextualiza o podcast „ slo mo” criado para o período da quarentena , com Sandra Teschner:

Sandra Teschner e Mo Gawdat
Divulgação

Sandra Teschner e Mo Gawdat


Neste episódio, falo com minha maravilhosa amiga e aliada da felicidade brasileira, Sandra Teschner. Sandra é autora, empresária, editora, palestrante e diretora de felicidade certificada pela Universidade da Flórida.

Sandra irradia uma alegria contagiosa e personifica a dança, o canto, o riso e o espírito de compartilhar do Brasil. Ela transformou sua experiência de quase morte em uma força motriz para entender o que significa ser feliz. Seu trabalho social com crianças com múltiplas amputações e doenças graves fez a diferença na vida de milhares de pessoas. Sandra e essas crianças me inspiram muito.

Ouça como Sandra compartilha como os brasileiros lidam com pandemias; a epifania aprendeu com sua experiência única de morte quase iluminada; como os sorrisos dos amputados atingidos pela pobreza são uma prova de que a felicidade é uma escolha; e o poder curativo da dança.

Leia Também:  EM ÉPOCA DE PARECER, PADECE O SER

Este episódio faz parte do nosso tema Silver Linings. ( o lado bom da vida)

Ouça aqui:  https://open.spotify.com/episode/6usUTC1TMEMiW0ZI4dHUNR?t=0

Fonte: IG Moda

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Moda & Beleza

Fique atendo: ódio destilado, não deve ser tolerado.

Publicados

em


source
Sandra Teschner
Divulgação Instagram

Sandra Teschner

Tanto faz de que polo venha, ódio destilado não deve ser tolerado. Na vida, como em redes sociais;
Delete sem dó !
Se a pausa proposta será permanente ou não depende da condensação. Nós, – felizes, somos abertos à segundas chances.
O oposto ao ódio não é o amor, mas o desprezo. Não invista sua energia vital compactuando com o desgastante ódio de alguém. Supostos combatentes ao “errado”, com palavras e atos que só são fontes de negatividade, não merecem o consumo de seu bem estar

Trata-se tão somente de emoções negativas estanques e desesperadas entre “odiadores” de qualquer polo. E, ufaa, Eles não são você .
Aja fazendo o bem, sendo solidário, construindo, se autocuidado autoanalisando. Nenhuma mudança ocorre realmente fundamentada, se não for na ordem natural . Comece então arrumar o mundo de dentro de você, de sua casa, a seu redor e expanda o contágio positivo de suas atitudes.
O resto é o mal sendo destilado por juízes alheios ao sentido da vida, que vivem angustiados com a impotência de seus próprios atos, não realizados, sabotam o ambiente alheio. Incapazes, culpam os outros por suas inabilidades e nada sabem sobre ecoar mais do que o a própria voz .
Não dê chance ao que te faz mal. Retire do seu campo de visão. Afinal, eles são oponentes da sua qualidade de vida .

Leia Também:  EM ÉPOCA DE PARECER, PADECE O SER

Sandra Teschner
Publisher
Chief Happiness Officer

Fonte: IG Moda

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA