Economia

Mercado Livre, Americanas e Magalu terão que provar ter a entrega mais rápida

Publicados

em


source
Mercado Livre alega entrega mais rápida do Brasil, assim como Magalu e Americanas
Divulgação

Mercado Livre alega entrega mais rápida do Brasil, assim como Magalu e Americanas

Uma decisão do Conselho de Autorregulamentação Publicitária (Conar) da última terça-feira fará com que três grandes varejistas online, o Magazine Luiza, Mercado Livre e Americanas tenham que ajustar suas propagandas em que alegam ter a entrega mais rápida do país.

O processo começou em junho, quando o Conar analisou uma reclamação do Mercado Livre por anúncio da Americanas na Black Friday de 2020 nas redes sociais em que a empresa vermelha alegava ter a entrega mais rápida. Segundo o Mercado Livre, a afirmação não tinha “comprovação confiável”, o que poderia levar o cliente ao engano. A informação foi antecipada pelo jornal Valor Econômico.

Junto ao processo, o Mercado Livre anexou uma pesquisa em que demonstraria ter a entrega mais rápida do país. Na defesa, a Americanas alegou que é a única empresa que se compromete a entregar os produtos em menos de três horas, o que seria “um fato objetivo e inconteste”.

Os conselheiros do órgão concordaram que a Americanas oferecia a entrega mais rápida em determinados locais do país naquela ocasião e era só isso que a empresa poderia alegar.

Leia Também:  Investimentos externos no Brasil crescem 104% em 2021

Leia Também

Tanto o Mercado Livre como o Magazine Luiza, que também alegava ter a entrada mais rápida do Brasil, recorreram. Em julgamento da última terça-feira, os pedidos foram negados.

Em nota, o Magazine Luiza disse que foi autorizado pelo Conar a dizer que tem a entrega mais rápida do Brasil desde que indique a metodologia da pesquisa que comprove a afirmação, como, ressalta, já é uma prática da empresa.

“O Magalu trabalha com uma pesquisa robusta, que confirma nossa eficiência e agilidade nas entregas. O uso da expressão Entrega mais Rápida do Brasil pelo Magalu, como reconhecido pelo Conar, é respaldado em pesquisa independente, atualizada periodicamente. Essa pesquisa considera os prazos de entrega de oito empresas do setor, em 45 praças — entre capitais e cidades do interior — e de mais de 3.500 produtos de 48 categorias diferentes”, diz a nota.

Também em nota, a Americanas ressaltou que a decisão do Conar envolvia a campanha da Black Friday do ano passado e que o órgão “reconheceu que a Americanas oferecia a modalidade mais rápida de entrega em produtos e locais elegíveis”.

Já o Mercado Livre informou que o Conar entendeu que seria possível que a empresa afirmasse ter o “envio mais rápido do Brasil”, desde que informe a metodologia com “clareza e veracidade”.

“Isso significa mencionar os critérios do estudo independente realizado por consultoria externa, a pedido do Mercado Livre, em agosto e setembro de 2021”, disse.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Investimentos externos no Brasil crescem 104% em 2021

Publicados

em


source
Investimentos externos ao Brasil subiu 104%
Sophia Bernardes

Investimentos externos ao Brasil subiu 104%

O fluxo de investimentos externos no Brasil atingiu US$ 58 bilhões no ano passado, uma alta de 104% se comparado a 2020. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (19) pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Os números fazem o Brasil retomar a sétima posição do ranking de países que mais recebem investimentos. Em 2020, o país ocupou a oitava posição, após perder US$ 28 bilhões em investimentos.

Embora o número positivo em 2021, o Brasil ainda não conseguiu atingir os níveis registrados pré-pandemia. Em 2019, por exemplo, o fluxo de investimentos no país atingiu US$ 65 bilhões.

Países, como os Estados Unidos e China, registraram ótimos índices de investimentos e seguem entre os líderes de preferência dos investidores. Os EUA registraram crescimento de 114% em investimentos, atingindo a marca de US$ 323 bilhões.

Leia Também:  Crédito imobiliário cresceu 21% em 2021, chegando a R$ 140,6 bilhões

O país asiático registou US$ 179 bilhões em investimentos, alta de 20% se comparado a 2020. O índice é recorde já apresentado pelos chineses.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA