Mulher

Maria da Penha diz que há muito o que melhorar na lei que leva seu nome

Publicados

em


source
Maria da Penha foi vítima de violência, atua em favor das mulheres e deu nome a lei que prevê penas severas aos agressores
Amana Salles/Fotoarena

Maria da Penha foi vítima de violência, atua em favor das mulheres e deu nome a lei que prevê penas severas aos agressores


Maria da Penha Fernandes, 76, é um ícone da luta das mulheres brasileira em prol de uma vida sem violência. Em 1983, a farmacêutica cearense foi vítima de dupla tentativa de feminicídio pelo marido e acabou ficando paraplégica. Sua luta por justiça resultou na condenação do Estado brasileiro por omissão e tolerância à violência contra a mulher pela Corte Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (CIDH/OEA), em 2001. Isso resultou na criação da lei de proteção à mulher que leva seu nome.

A Lei Maria da Penha, em vigor desde 7 de agosto de 2006, foi delineada a partir de um debate com grande participação social, especialmente de movimentos de mulheres, e adotou uma perspectiva feminista, ressaltando que garantir a segurança da mulher significa respeitar e reconhecer seus direitos civis, sociais, econômicos e culturais. Porém, mesmo em vigor há 15 anos, a aplicação da lei ainda deixa a desejar, principalmente nos aspectos educativos e preventivos. 


Em entrevista ao Globo, Maria da Penha criticou a falta de investimento do governo federal na área e diz que é “esdrúxula” a ideia de armar mulheres para protegê-las, enfatizando a importância de discutir gênero e violência dentro das escolas. “necessário investir em educação. Só a educação é capaz de desconstruir essa cultura machista, que é a origem da violência contra a mulher”, disse ao Globo. 

Quando perguntada sobre como avalia o período de vigência da lei que leva seu nome, Maria da Penha disse que é uma lei muito completa e importante, mas que muito ainda precisa ser feito, principalmente no que diz respeito à conscientização. “É necessário que as pessoas sejam conscientizadas no nível fundamental, médio e universitário sobre os direitos das mulheres. É muito importante que isso seja implementado na educação, porque as crianças que convivem com a violência doméstica aprendem a ser violentas em casa”, explica.

Leia Também:  Teórica norte-americana Bell Hooks celebra 69 anos: conheça a sua trajetória
Fonte: IG Mulher

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mulher

Mercúrio retrógrado em Libra: veja como se preparar

Publicados

em


source
Mercúrio retrógrado em Libra
João Bidu

Mercúrio retrógrado em Libra


Mercúrio retrógrado  começa esta segunda (27), desta vez no signo de Libra . O evento astronômico ganhou notoriedade para além dos amantes da astrologia por conta dos seus efeitos em comunicações, viagens e eletrônicos . O terceiro e último  Mercúrio retrógrado do ano vai até o dia 18 de outubro, mas seus efeitos podem ser sentidos até duas semanas depois de terminado.

O que é mercúrio retrógrado?

“Quando Mercúrio está retrógrado é uma ilusão de ótica. O planeta não vai passar a andar pra trás, mas ele está em um movimento que para o ponto de vista aqui da Terra, dá essa sensação”, explica a astróloga Sara Koimbra. Inclusive, o termo “retrógrado” passou a ser usado na astronomia quando estudiosos perceberam que os planetas estacionavam, causando a impressão de que eles andavam de ré.

Na astrologia, a especialista explica que os estudiosos da área perceberam que quando Mercúrio entra neste movimento, as áreas que ele rege – tecnologia, comunicação em geral, viagens, oscilações de humor, raciocínios – são prejudicadas. “Quando o planeta está no movimento direto, a gente está bem pois a energia está fluindo. Mas quando estaciona, começamos a ter problemas e então começamos a reavaliar esses pontos que ele aborda.

Por que as pessoas tem medo de Mercúrio retrógrado?

Sara explica que Mercúrio retrógrado é a mente racional, a comunicação, o deslocamento, a troca de informação, os contratos. Ele também rege a tecnologia e os aparelhos eletrônicos estão inclusos – e atualmente, eles correspondem a maior parte de troca de informações e comunicação das pessoas. “Ele mexe com tudo que é principal para vivermos em sociedade: a gente precisa se comunicar. Mercúrio, regendo a comunicação e estando no movimento estacionado, a gente começa a ter problemas nesse sentido. Por isso que ele é tão temido.”

Leia Também:  5 simpatias de amor com hortelã

Mercúrio retrógrado em Libra

Libra é um signo que busca o equilíbrio em tudo – não à toa o seu símbolo é uma balança -, levando, muitas vezes, a  fama de indeciso ou em cima de muro em sua tentativa de agradar a todos . A astróloga explica que o momente pede que os relacionamentos sejam reavaliados, a busca por justiça, relacionamento afetivo ou como todo mundo sejam revistos em termos de comunicação. 

“Os desafios que as pessoas vão ter nesse período é a pouca paciência, a falta de tato, os relacionamentos afetivos vão ser avaliados, os comerciais vão ser reavaliados e se a pessoa não tiver muita diplomacia nem tato com as pessoas no contexto geral pode ter muito problema”, explica. Assinaturas de contrato em geral, casamento e divórcio também devem ser evitados durante o período.

Signos mais afetados

Sara explica que os signos regidos pelo elemento ar – Gêmeos, Libra e Aquário – vão sentir mais o trânsito de Mercúrio retrógrado, enquando os signos do elemento terra – Touro, Virgem e Capricórnio – terão uma passagem mais tranquila. Mesmo assim é bom tomar precauções: prevenir nunca é demais. 


Fonte: IG Mulher

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA