Política Nacional

Lula ou Pablo Marçal? Entenda a guerra jurídica no Pros

Publicado em

PROS vive guerra para definir apoio a Lula ou manter candidatura de Pablo Marçal
Ricardo Stuckert/Bene Carol Noel

PROS vive guerra para definir apoio a Lula ou manter candidatura de Pablo Marçal

O impasse envolvendo a candidatura à Presidência do coach Pablo Marçal , que nas últimas 24 horas teve seu nome retirado da disputa pelo Pros e, após decisão judicial, voltou a figurar na lista de presidenciáveis, tem como pano de fundo uma briga interna pela presidência da legenda que já dura pelo menos dois anos. No centro da disputa estão o atual presidente do partido, Marcus Holanda, e o fundador da legenda, Eurípedes Júnior, que tenta reaver o comando da sigla, posto do qual foi afastado em março.

Marçal ganhou novo fôlego para a pretensão de disputar o Planalto após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) reconsiderar uma decisão liminar, proferida na própria Corte, que devolvia a presidência do Pros a Eurípedes Júnior — o dirigente defende que a sigla não tenha candidato e  apoie o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Na decisão mais recente, o ministro Antônio Carlos Ferreira destaca a necessidade de se esgotar a tramitação do processo no Tribunal de Justiça do Distrito Federal, onde corre a disputa pela liderança do partido, antes de se analisar o caso em uma instância superior.

“A súbita e precária alternância da direção da agremiação partidária — até o julgamento do recurso declaratório —, em momento no qual se realizam convenções para a definição dos candidatos à eleição nacional, é que pode ensejar perigo da demora reverso, recomendando a manutenção dos efeitos do aresto impugnado, conservando a composição do diretório nacional, ainda que em caráter provisório, evitando-se prejuízo às candidaturas aprovadas” escreveu o magistrado.

Leia Também:  Juiz manda quebrar sigilo bancário de Milton Ribeiro

Após a decisão do STJ favorável a Eurípedes Júnior, no domingo, o dirigente iniciou uma negociação para apoiar Lula — o movimento foi oficializado na quarta, em uma reunião com o coordenador do programa de governo petista, Aloizio Mercadante, e o candidato a vice-presidente, Geraldo Alckmin (PSB). Marçal contestou o anúncio, já que sua candidatura tinha sido aprovada na convenção do partido três dias antes.

Eurípedes foi destituído da presidência do Pros em março, e o comando foi transferido judicialmente para Marcus Vinícius de Holanda. A batalha entre os dois, no entanto, começou ainda em 2020, quando, após denúncias de ilegalidades na condução do partido, o Pros, em convenção, elegeu Holanda presidente e destituiu o outro dirigente. Eurípedes, no entanto, contestou a legitimidade do ato e não deixou o cargo.

Entre os argumentos usados por Eurípedes no pedido de reversão da destituição está o fato de que Marcus Holanda era secretário de comunicação do partido, posto que, neste entendimento, não permitiria que ele conduzisse o processo administrativo que resultou na mudança de comando — com a escolha do próprio Holanda para a chefia da sigla.

Foram, então, ajuizadas duas ações pelas partes que tramitaram até março, quando Holanda conseguiu uma decisão favorável.

Leia Também:  Homenageado, Olavo fez críticas a Bolsonaro antes de morrer: "Covarde"

Eurípedes é investigado por desvio de bens e recursos do Pros e suspeita de corrupção com verba do Fundo Eleitoral. Holanda chegou ainda a registrar um boletim de ocorrência na Delegacia de Planaltina (GO) acusando Eurípedes de vender máquinas, carros e outros equipamentos do Pros. Os itens seriam avaliados em R$ 50 milhões no total.

Um helicóptero do Pros, comprado com dinheiro público por R$ 2,4 milhões em 2015 — cerca de R$ 5 milhões em valores atuais —, foi localizado em um hangar na zona norte de São Paulo, após desaparecer em meio a investigações sobre uso indevido de recursos do Fundo Partidário.

A aeronave, assim como imóveis e outros veículos, faz parte de uma série de aquisições irregulares do partido durante a gestão de Eurípedes Júnior, segundo apurações do Ministério Público e da Polícia Federal. As investigações apontam ainda que o helicóptero era usado para fins pessoais em deslocamentos de Planaltina (GO), onde o ex-presidente da legenda tem residência, até a sede do partido em Brasília.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Política Nacional

Pacheco critica ataques entre candidatos: “Precisamos discutir ideias”

Published

on

Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, durante sessão
Waldemir Barreto/Agência Senado – 30.06.2022

Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, durante sessão

Nesta segunda-feira (15), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD), usou seu perfil no Twitter para criticar o comportamento dos candidatos Ciro Gomes (PDT), Jair Bolsonaro (PL) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O senador seguiu o mesmo tom que foi adotado por Simone Tebet (MDB).

“Precisamos voltar a discutir ideias e direcionar nossos esforços para a busca de soluções que tragam prosperidade para o Brasil e para os brasileiros”, afirmou Pacheco, sem citar nomes.

O posicionamento do senador não é por acaso. Nas últimas semanas, os três primeiros colocados intensificaram os ataques nas redes sociais e entrevistas. Ciro, por exemplo, tem chamado Lula e Bolsonaro de corruptos.

Já o ex-presidente tem acusado o atual chefe do executivo federal de ser genocida por causa da política sanitária adotada durante a pandemia. Além disso, o petista tem afirmado que o segundo colocado nas pesquisas tem “distribuído dinheiro” para vencer a eleição.

Bolsonaro vem chamando Lula de corrupto e bêbado. O presidente da República ainda tem dito que o retorno do seu adversário ao poder fará o Brasil quebrar.

Leia Também:  Ala pró-Lula no MDB entra na Justiça para adiar convenção de Tebet

Apenas Tebet que optou por seguir um discurso diferente. Nesta segunda, em conversa com jornalistas após o Encontro com Líderes do Varejo do IDV (Instituto para o Desenvolvimento do Varejo), em São Paulo, a emedebista declarou que o Brasil precisa de paz. No entanto,  alfinetou os dois primeiros colocados nas pesquisas, acusando-os de se “alimentarem do radicalismo”.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA