Análise Política

Licitação do lixo rende na Câmara de Piúma e vereadores dão exemplo de democracia

Publicados

em

Já que este site tem dado voz à política de Piúma e noticiado as possíveis irregularidades envolvendo a licitação no lixo, decidi assistir a última sessão da Câmara de Vereadores. E olha, me surpreendi!

Quando a vereadora Bernadete usou o microfone, achei que seria mais uma sessão como outra. Usando pouquíssimo do seu tempo na tribuna, se ateve a agradecer o início da coleta de lixo no município de Piúma.

Após a vereadora, foi a vez do vereador Eliezer Dias, que protocolou denúncia contra os possíveis atos irregulares no procedimento licitatório do Lixo no Tribunal de Contas, noticiado em primeira mão por este jornal e replicado por outros jornais do estado.

O vereador Eliezer, que já deixou claro que o fato de ser a favor de que o lixo seja executado e devidamente recolhido no município não o faria se omitir diante de fraudes e irregularidades, destinou sua fala ao Presidente da CPL.

O que veio depois foi um passeio de cobranças ao Executivo, agradecimento pelo início da coleta e a certeza de que se há irregularidade, ela deve ser apurada.

O vereador Eliezer, como toda a população, não só quer como cobrou do município providencias para que a coleta acontecesse, inclusive com fotos mostradas na sessão do dia 17. Contudo, espera ele que os fatos levantados na sua denúncia sejam apurados e a resposta dada pelo Tribunal de Contas, Ministério Público, Assembleia e a própria justiça. O vereador, diga-se, cumpriu até aqui o seu papel dignamente.

Mesmo os vereadores que se posicionam a favor do Executivo costumeiramente, foram a favor da denúncia do vereador Eliezer e cobraram esclarecimentos.

O vereador Joel disse ser momento de que se faça tudo para que a coleta possa dar certo, mas que se tiver irregularidade “aí é outro departamento” cabendo aos vereadores cobrar irregularidades como fez o vereador Eliezer, foi no TCE e fez a denúncia.

Leia Também:  Ex-secretário Vilcimar Batista contribuindo para eleger Norma Ayub em Marataízes

O vereador Negão da Colônia pontuou muito bem que se há indício de irregularidade, sem fazer juízo em relação ao lixo, deveria ser convocada as pessoas para esclarecimento.

O vereador Geovane Bidim disse ser muito estranho que a empresa anterior (Guerra) que estava, por exemplo, executando o contrato emergencial de 90 dias, também tenha sido desclassificada.

Na sua fala o vereador Gustavo, falando em tom muito irônico, disse “só acha” que o processo está errado. Chamou atenção de que no processo a distância que consta no edital que para sair de Piúma ir lá no transbordo deixar o lixo e voltar é de 270 km “me leva no seu carro e vamos medir”. E reafirmou o entendimento de Geovane em não entender porque uma empresa (Guerra) que estava contratada realizando a coleta emergencial agora é inabilitada.

O presidente da Câmara, Jorge, fala que pode existir no município uma milícia como nas capitais para lesar o município. Afirmou que o executivo se aproveita de pessoas indicadas por deputados para fazer artimanhas e termina chamando o governo da atual prefeita de “carro desgovernado”. No encerramento da sessão, fez questão de ressaltar sobre o dinheiro devolvido pela Câmara e não utilizado para compra de caminhão compactador deixando o município a situação que está agora.

O Edil Jonas, autor da denúncia do superfaturamento do álcool na assembleia, pontuou a falta de respeito do executivo municipal em relação ao descaso com os requerimentos de pedidos de informação feito pela casa “passa meses e o Executivo não responde”.

Leia Também:  Derrota de Norma Ayub em Marataízes pode tirar Ferraço definitivamente da política capixaba

A sessão foi um desfile da democracia e respeito entre os vereadores, muitas cobranças as atitudes supostamente irregulares do Executivo. Muito marcante foi a fala do vereador Leo Scherrer que com os olhos marejados se dirigiu a seu irmão e secretario de Obras do Município, Rafael Scherrer, pedindo para que o mesmo peça sua exoneração e não se envolva em esquema e falcatruas, sendo aplaudido por alguns presentes.

Por último na Tribuna dos Vereadores, o vereador Pretinho levantou questionamentos pesados contra a atual administração. Exaltou-se e chegou a perder o ar ao falar de tamanho desprezo com dinheiro público.

As Câmaras Municipais são compostas por vereadores eleitos diretamente pelo povo, com atribuições constitucionais de legislar e fiscalizar. Um edil representa a população que o elegeu. A atividade política de um vereador, quando corretamente desempenhada, é das mais nobres.

A Sessão foi um exemplo a ser seguido por outras Câmaras. Certamente se a política fosse dirigida ao que é correto e lícito seria a manifestação máxima de democracia onde os representantes do povo fazem o que lhe é devido. O papel do vereador não é se esconder e sim fiscalizar, legislar e agir, seja através de denúncias, requerimentos, projetos de lei e demais atos inerentes a legislatura.

Para quem deseja ver os vereadores da cidade das conchas dando um show todas as quartas-feiras às 18 horas é só assistir via facebook ou no site oficial da Câmara Municipal. Não é a toa que as sessões da Câmara de Piúma é uma das mais assistidas do estado.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Análise Política

Derrota de Norma Ayub em Marataízes pode tirar Ferraço definitivamente da política capixaba

Publicados

em

Baluarte da política capixaba por décadas, o deputado estadual Theodorico Ferraço (DEM) percebe que o espaço para sua família está afunilando, por isso movimenta-se agora para ganhar fôlego em 2022.

O lançamento da deputada federal Norma Ayub pré-candidata em Marataízes é mais que mero interesse pelo poder municipal, trata-se de uma estratégia de sobrevivência dos Ferraços. Uma vitória facilita um arranjo futuro. Já uma eventual derrota colocará o velho político de quase 83 anos em uma encruzilhada que pode encerrar sua participação na política.

A deputada, que está na metade mandato, poderia esperar, apoiando um nome para a prefeitura ou mesmo ficando neutra, em um grande acordo para que o próximo prefeito, seja ele que fosse, ajudasse na sua reeleição. Mas não há tempo.

A inexorabilidade do tempo coloca Theodorico em fim de carreira, para, no máximo, mais um mandato de deputado estadual. A missão dele, portanto, passa ser acomodar sua mulher e seu filho Ricardo Ferraço (PSDB) no poder.

Leia Também:  Copa do Brasil: América-MG vence Ponte Preta e avança

Os Ferraços sabem que dificilmente Ricardo volta a ser senador. Abre-se uma vaga em 2022 no Senado e é praticamente certo que essa vaga não é dele. Há outros na fila em melhor colocação para disputar. Sobra para ele a Câmara Federal. Mas como Ricardo disputaria a vaga de deputado se Norma Ayub tentar a reeleição?

Logo, a necessidade de espaços explica a entrada de Norma na disputa municipal. Com ela eleita, o caminho fica livre para Ricardo disputar a Câmara, e Theodorico tentar a reeleição na Assembleia.

Num cenário pior, a derrota de Norma em Marataízes forçará Theodorico abrir mão da reeleição para acomodar sua mulher em uma vaga na Assembleia, já que ela tem mais longevidade política que ele. E assim Ricardo disputaria a Câmara Federal.

Como se vê, é muito mais que apenas disputar uma prefeitura. É questão de sobrevivência política mesmo!

*****************************************************

Após a publicação de matéria neste site mostrando que a administração Tininho Batista em Marataízes investe R$ 154 milhões em obras, uma raposa política comentou:

Leia Também:  Copa do Brasil: Atlético-GO marca nos acréscimos e elimina Fluminense

“Ferraço gosta tanto de obra e é tanta obra em Marataízes, que se Norma não fosse candidata até ele iria votar em Tininho”.

*****************************************************

 “Sem nada, / Nem no peito qualquer mágoa / Sem rancor e sem saudade / Venho agora te dizer adeus / Quem sabe / Não encontro pela madrugada / Uma esperança vaga / Nos olhos de alguém / Que também despertou / De um sonho igual ao meu” – Quem Sabe (Paulinho da Viola)

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA