Economia

Inflação e dívidas devem ficar mais altas no próximo ano, prevê IFI

Publicado em

Valor das dívidas devem ficar mais caras em 2023, segundo estudo da IFI
Divulgação

Valor das dívidas devem ficar mais caras em 2023, segundo estudo da IFI

A Instituição Fiscal Independente (IFI), órgão ligado ao Senado, elevou sua projeção para a inflação em 2023 de 4,2% para 4,8%, além de aumentar também a previsão para a dívida pública. Os números foram publicados no Relatório de Acompanhamento Fiscal (REF) nesta quarta-feira (13).

Segundo a IFI, a elevação da projeção de inflação para o ano que vem é um reflexo da recomposição das alíquotas dos impostos federais sobre os combustíveis que estão zerados até o final deste ano.

Apesar de aumentar a inflação em 2023, essa isenção colocada neste ano em conjunto com o limite para cobrança do ICMS aprovada pelo Congresso em junho, devem reduzir a inflação para 2022. A projeção da IFI passou de 8,6% para 7,4%.

Ainda assim, esse patamar significa um índice acima da meta de inflação, que é de 3,5% com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual. Em 4,8% no ano que vem, a inflação também superaria o teto de 4,75% de uma meta de 3,25%.

Leia Também:  Todo cuidado é pouco: como caí em golpe do Pix mesmo sendo cauteloso

A redução na projeção de inflação, que acaba elevando os juros reais, em conjunto pelo aumento da expectativa da taxa básica de juros, a Selic, para este ano também fizeram com que a IFI revisasse para cima sua expectativa para a dívida pública este ano.

A projeção passou de 78,7% do PIB no mês passado para 79,4% este ano.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG


Déficit ou superávit

O relatório também apontou diferenças entre as projeções da IFI e dos parâmetros que constam na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), texto que dá base para o Orçamento anual, aprovada nesta semana.

Enquanto a LDO fixa meta de déficit de R$ 65,9 bilhões em 2023, a IFI projeta superávit de R$ 1,4 bilhão. Segundo a instituição, a diferença é por conta das surpresas positivas na arrecadação neste ano, que não foram consideradas na LDO, e de hipóteses diferentes para inflação e outros parâmetros.

Leia Também:  Comissão do Senado aprova convite para ouvir Silva e Luna

No cálculo da IFI, as recentes medidas fiscais do governo em combinação com a mudança na regra do teto no final do ano passado, terão um impacto negativo no resultado primário em R$ 166 bilhões em 2022.

Recentemente, o governo diminuiu impostos sobre os combustíveis e vem trabalhando para aprovar a PEC Eleitoral, com R$ 41,2 bilhões em novos gastos.

Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Economia

Eletrobras reduz lucro em 45% após investimento em Furnas

Published

on

Eletrobras
Agência Brasil

Eletrobras

A Eletrobras obteve lucro líquido de R$ 1,401 bilhão no segundo trimestre do ano , queda de 45% na comparação com o mesmo período de 2021. No acumulado do ano até junho, o lucro da companhia caiu 1%, para R$ 4,117 bilhões.

Segundo a estatal, o resultado foi impactado negativamente pela provisão para perdas em investimentos no montante de R$ 890 milhões, em função, principalmente, do  aporte de capital realizado por Furnas na SPE Santo Antônio Energia.

No trimestre também pesou o registro de R$ 694 milhões em Provisão para Crédito de Liquidações Duvidosas (PCLD) relativo à inadimplência da distribuidora Amazonas Energia.

A receita operacional líquida atingiu R$ 8,856 bilhões no período, 19,1% superior à observada no mesmo período do ano passado, influenciada pela melhor performance nos contratos bilaterais e pelo reajuste anual das receitas de transmissão cuja base de ativos foi ampliada no ciclo 2021/2022 pelo reperfilamento da Rede Básica Sistema Existente (RBSE).

Leia Também:  Saque de R$ 1 mil do FGTS é liberado neste sábado; veja quem recebe

De janeiro a junho, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado somou R$ 4,861 bilhões, alta de 6% em comparação com igual intervalo do ano anterior. Considerando os seis primeiros meses de 2022, o Ebitda ajustado aumentou 5% para R$ 9,791 bilhões. A margem Ebitda ajustada do período alcançou 55%, queda de 7,08 pontos percentuais (p.p.) na base anual.

Ao final do trimestre, a dívida líquida recorrente da Eletrobras era de R$ 15,142 bilhões, 11% menor que no mesmo intervalo do ano anterior. A alavancagem, medida pela relação dívida líquida por Ebitda LTM ajustado, alcançou 0,7 vez no trimestre, queda de 24% na base anual.

Os investimentos da Eletrobras no trimestre totalizaram R$ 2,548 bilhões, crescimento de 159% em base anual de comparação. No semestre os investimentos avançaram 103%, para R$ 3,050 bilhões.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia . Siga também o  perfil geral do Portal iG .

Leia Também:  Petróleo, minério de ferro e China disparam (e levam Brasil junto)

Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA