Economia

Índia anuncia proibição das exportações de trigo

Publicados

em

source
Proibição pode agravar crise de abastecimento mundial
Luiz Fernando Martinez/Fotoarena

Proibição pode agravar crise de abastecimento mundial

A Índia proibiu as  exportações de trigo neste sábado (14), apenas alguns dias depois de dizer que estava visando embarques recordes este ano, uma vez que uma onda de calor escaldante reduziu a produção e os preços domésticos dispararam para uma alta histórica.

A medida foi duramente criticada pelos ministros de Agricultura do G7, reunidos na Alemanha, que afirmaram que a decisão do governo indiano “agravará a crise” de provisionamento mundial de cereais provocada pela guerra da Ucrânia. 

“Se todos começarem a restringir exportações ou fechar seus mercados, a crise se agravará e isso prejudicará também a Índia e seus agricultores”, disse o ministro alemão, Cem Özdemir.

“Instamos a Índia a assumir suas responsabilidades como membro do G20”, grupo que reúne as principais economias e países emergentes, acrescentou.


Özdemir destacou que o G7 “tem se pronunciado contra as restrições a exportações e defendido a manutenção dos mercados abertos”.

O governo indiano disse que permitirá apenas as exportações apoiadas por cartas de crédito já emitidas e para países que solicitem suprimentos “para atender às suas necessidades de segurança alimentar”.

Os compradores globais estavam apostando no fornecimento do segundo maior produtor de trigo do mundo depois que as exportações da região do Mar Negro caíram após a invasão da Ucrânia pela Rússia em 24 de fevereiro. Antes da proibição, a Índia pretendia embarcar um recorde de 10 milhões de toneladas este ano.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Economia

Dólar cai pelo terceiro dia seguido e fecha a R$ 4,80

Publicados

em

source
Dólar cai pelo terceiro dia seguido e fecha a R$ 4,80
Ivonete Dainese

Dólar cai pelo terceiro dia seguido e fecha a R$ 4,80

Após ter fechado o pregão da última sexta-feira (20) com queda de 0,98%, o dólar continuou a recuar frente ao real nesta segunda (23), e fechou o dia cotado a R$ 4,8075 – queda de 1,31% e bem abaixo da média móvel linear dos últimos 50 dias.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

No acumulado do mês de maio, a moeda norte-americana já recuou 2,79%. Com o desempenho, o dólar acumula queda de 13,7% em 2022. Depois de disparar no primeiro trimestre, o real perdeu fôlego a partir de abril, e se mantinha abaixo das máximas do ano, oscilando praticamente em sincronia com a performance do dólar no mercado internacional.

Na Bolsa de Valores, o Ibovespa fechou o dia no maior patamar em quase um mês, diante de ganhos em Nova York e impulso de ações de commodities locais.

Grandes bancos e a Petrobras foram as empresas que impulsionaram a alta. Segundo a agência de notícias internacionais Reuters, o Ibovespa subiu 1,93%, a 110.582,52 pontos, terceira alta seguida e maior fechamento desde 25 de abril. O volume financeiro foi de 23,3 bilhões de reais.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA