Estado

Incaper faz transmissão ao vivo sobre avicultura caipira

Publicados

em


.

Nessa quarta-feira (20), o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) realizou uma transmissão ao vivo no Instagram oficial @incaper_es. O tema “Avicultura caipira: produção e curiosidades” foi abordado pela zootecnista Maíra Formentini

Na ocasião, a extensionista do Incaper esclareceu dúvidas dos seguidores sobre diversas questões, como alimentação, saúde das aves, mercado, manejo e estrutura dos galinheiros. Curiosidades como a diferença entre frango orgânico e frango caipira e o porquê das diferentes colorações nas cascas dos ovos também foram abordadas.

“O que determina a cor da casca é a genética, não importa a alimentação que se dá à ave. O que pode mudar se diferenciar com a alimentação é a cor da gema. Os ovos caipiras têm a gema mais amarela e firme”, esclareceu Maíra Formentini.

A criação de galinhas caipiras é uma atividade que interessa a muitos produtores rurais, não apenas para a produção de ovos e carne, mas também para a adoção de práticas agroecológicas na propriedade. Além de produtores, técnicos, estudantes e outros profissionais interessados no tema assistiram à transmissão.

“A galinha caipira deve ter boa linhagem. A ave precisa de espaço para pastar, espojar, que é o ato da galinha se deitar e sacudir as penas na areia ou na terra, ciscar, empoleirar. O ambiente precisa ser adequado tanto para as aves quanto para o produtor, para que ele possa fazer o manejo”, explicou Maíra Formentini.

Leia Também:  Estudantes capixabas são classificados para Programa Jovem Parlamento Brasileiro

Com quatro anos de Incaper e três anos trabalhando especificamente com avicultura caipira agroecológica, Maíra Formentini coordena atualmente a Unidade Experimental de Produção Animal Agroecológica (UEPA), localizada na Fazenda Experimental do Incaper em Linhares. Lá, são desenvolvidos trabalhos diversos com abelhas com e sem ferrão, aves e bovinos, entre outros.

Segundo a zootecnista do Incaper, outro fator importante para o melhor desempenho das aves caipiras é a alimentação. Um dos seguidores que estavam acompanhando a transmissão enviou uma pergunta sobre a substituição da soja na ração para a avicultura caipira agroecológica.

“A soja da ração é transgênica, e o produtor que busca a certificação orgânica não a utiliza. Neste caso, a opção é usar feijão torrado, que substitui quase 100% da soja na ração. É essa prática que a gente utilizada na UEPA. Outra opção é a folha de mandioca, cortada e triturada, que também vai fornecer proteína para a ave”, disse a extensionista do Incaper.

A transmissão completa sobre avicultura caipira foi salva no Instagram do Incaper. A primeira parte com pouco mais de meia hora de duração, e a segunda parte com cerca de 25 minutos. Quem não assistiu à transmissão ou quem quiser ver novamente pode acessar o perfil oficial do Incaper no Instagram: @incaper_es

Leia Também:  Parque do Forno Grande distribui mudas para comemorar o Dia da Árvore

Transmissões ao vivo

A transmissão ao vivo sobre avicultura caipira no Instagram faz parte do projeto desenvolvido pela Coordenação de Comunicação e Marketing do Incaper (CCOM), que tem como objetivo levar informações aos diferentes públicos atendidos pelo Instituto especialmente neste período de pandemia. Toda quarta-feira, às 17h, um tema diferente é apresentado à sociedade. Os internautas participam encaminhando perguntas através da própria rede social usando a ferramenta de direct ou durante a transmissão ao vivo, na caixa de perguntas. Para ter acesso, basta seguir @incaper_es.


Texto: Thiago Borges (estagiário)

Informações à imprensa:
Coordenação de Comunicação e Marketing do Incaper
Juliana Esteves
(27) 3636-9868 / (27) 3636-9865
[email protected]
Facebook: Incaper
Instagram: @incaper_es

Fonte: Governo ES

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estado

Agentes de Trânsito de Cariacica começam a utilizar talonário eletrônico

Publicados

em


.

O Departamento Estadual de Trânsito do Espírito Santo (Detran|ES) realizou, nesta terça-feira (22), o treinamento dos agentes municipais de trânsito de Cariacica para utilização do aplicativo de talonário eletrônico nas fiscalizações de trânsito.

A ferramenta possibilita ao agente ter acesso aos dados do condutor e do veículo no momento da abordagem, facilitando a identificação dos mesmos, além de reduzir as chances de erros no preenchimento dos autos de infração. O treinamento é feito pela equipe da Gerência de Tecnologia da Informação (GTI) do Detran|ES.

A ferramenta já é utilizada nas fiscalizações pelo Batalhão de Trânsito da Polícia Militar (BPTran) e por agentes das guardas municipais de Vila Velha, Linhares e Viana. Agentes da Serra e de Cachoeiro de Itapemirim também estão aderindo ao sistema e devem passar pelo treinamento em breve.

O diretor geral do Detran|ES, Givaldo Vieira, destaca que o uso da tecnologia vai contribuir para que a fiscalização seja mais efetiva e integrada no Estado. “Estamos incrementando o uso da tecnologia nos serviços do Detran|ES e também na fiscalização de trânsito, com a disponibilização do talonário eletrônico para dos órgãos de fiscalização no Estado. O objetivo principal é ter como resultado a redução de acidentes, mortes e sequelas. Uma fiscalização efetiva, coordenada e integrada faz com que as pessoas respeitem as regras de trânsito e não adotem comportamentos de risco, podendo, sim, reduzir o número de mortes no trânsito”, disse.

Leia Também:  Vivescer: Espírito Santo lidera o número de participantes do País

“O trabalho dos agentes de trânsito é muito importante para o município e o uso dessa tecnologia vai contribuir para a autuação das infrações nas vias de Cariacica e o melhor atendimento do nosso munícipe”, considerou o secretário de Defesa Social de Cariacica, Marcos Rainha.

Para o gerente de Fiscalização, Infração e Penalidades do Detran|ES, Marcelo Rangel, a adoção do talonário eletrônico pelas guardas municipais amplia o leque de fiscalização no Estado de forma mais eficiente. “O talonário eletrônico dá mais segurança e agilidade ao agente de trânsito. É um mecanismo que reduz as chances de erro em uma autuação e dá mais transparência na identificação do agente autuador. Também é importante para orientar as políticas públicas de segurança no trânsito, já que os dados estatísticos são computados automaticamente e servem de base para o planejamento da atuação, da fiscalização e também do poder público para redução de acidentes”, afirmou.

 

Informações à Imprensa:

Assessoria de Comunicação do Detran|ES

Rhayan Esteves / Fabricia Borges / Fátima Negrelli / Zu Coelho

Leia Também:  Fapes apoiará projetos ganhadores do Prêmio Shell de Educação Científica 2020

[email protected]

Fonte: Governo ES

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA