Saúde

Hospitais precisam aumentar média de doadores de sangue

Publicado em

Por | 00.00.

Fotos: Divulgação

Ailton Weller

 

Com uma média de doações entre 15 a 35 por dia, quando o ideal seria de 60, segundo Gláucia Canal, enfermeira do banco de sangue, do hospital Evangélico, a instituição recorre ao ato voluntário para manter o atendimento aos pacientes. “Os estoques, que atendem a demanda de 16 municípios do sul do estado precisam de renovação constante, pois o prazo de validade do material coletado é curto, em alguns casos, como a plaqueta, é de apenas uma semana. Por isso precisamos sempre contar com a solidariedade da população”, apela.

 

Gláucia destacou o atendimento aos pacientes oncológicos que dependem da plaqueta (células sanguíneas produzidas na medula óssea e que atuam na formação de coágulos de sangue, a fim de impedir uma hemorragia sempre que houver necessidade), além das demais internações por problemas renais, cirurgias cardíacas, entre outros procedimentos. “A gente pede que a pessoa venha de forma espontânea e não apenas quando um parente se encontra em tratamento hospitalar. Existem casos que os familiares e amigos se mobilizam e muitos se juntam para doar, mas depois há um esvaziamento nas doações que, num determinado momento, servirão a qualquer paciente. Daí a necessidade de manter doadores ativos para que possamos fracionar o material coletado”, contou.

Leia Também:  Covid-19: ministro oficializa fim de emergência sanitária

 

Santa Casa

 

Referência em ortopedia e traumatologia, no sul do estado, o hospital carece de doações dos tipos A negativo e O negativo segundo informou a enfermeira supervisora do banco de sangue, Cíntia Pimenta, que fez a mesma observação da responsável pelo setor no Heci. “Por vezes, as doações superam a demanda de acordo com o prazo de validade dos derivados do sangue (plasma, plaqueta e hemácia) que possuem curto tempo de ‘vida’. Em outros casos, existe a escassez de voluntários”, comentou.

 

“Devido as campanhas que realizamos nos últimos meses, o banco de sangue ficou estabilizado, mas no limite, pois a reposição é necessária diariamente. As doações não podem cair no esquecimento ou apenas quando a pessoa tem algum familiar precisando”, explicou.

 

Quem pode doar


Para doar sangue é preciso ter de 16 a 69 anos de idade, sendo que a primeira doação deve ser feita obrigatoriamente até os 60 anos. Menores de 18 anos só podem doar com a autorização dos responsáveis.

Leia Também:  ES registra 760 casos de coqueluche neste ano, mas nenhum óbito


Caso o voluntário tenha almoçado, o procedimento deve ser feito após três horas. Doadores frequentes não podem deixar de obedecer ao intervalo entre cada doação, que deve ser de dois meses para homens e de três meses para mulheres.


O interessado deve apresentar um documento original com foto, preencher um cadastro com informações básicas e responder a um questionário. Em seguida, passará por triagem para examinar sinais vitais como pressão, pulso e temperatura.

 

Além da doação de sangue, os interessados podem doar plaquetas. Para ser doador de plaquetas, é necessária uma triagem de pré-requisitos específicos. Esta doação pode ser realizada uma vez por mês, diferentemente do tempo que deve ser respeitado entre as doações de sangue.

 

Serviço:

 

Heci: (28) 3526-6232

Santa Casa: (28) 2101-2123

 

Horário de atendimento
segunda a sexta-­feira de 07h00 às 16h00
sábados de 07h00 às 11h00

fonte http://www.jornalfato.com.br/

 

 

COMENTE ABAIXO:

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Saúde

Brasil registra 37 mortes por covid-19 em 24 horas

Published

on

Em 24 horas, foram registrados 4.429 novos casos de covid-19 no Brasil. No mesmo período, houve 37  mortes de vítimas do vírus. O Brasil soma desde o início da pandemia 681.437 mortes por covid-19, segundo o boletim epidemiológico divulgado neste domingo (14), pelo Ministério da Saúde. O número total de casos confirmados da doença é de 34.170.286.

Ainda segundo o boletim, 32.993.386 pessoas se recuperaram da doença e 495.463 casos estão em acompanhamento. No levantamento de hoje, não consta atualização dos dados de óbitos em Mato Grosso do Sul, do Distrito Federal, do Maranhão e de Minas Gerais. Já os estados de Mato Grosso, Rio de Janeiro, Roraima, Rio Grande do Norte e Tocantins não atualizaram nem o número de casos nem de morte.

Estados

Segundo os dados disponíveis, São Paulo lidera o número de casos, com 5,97 milhões, seguido por Minas Gerais (3,85 milhões) e Paraná (2,71 milhões). O menor número de casos é registrado no Acre (147,5 mil). Em seguida, aparecem Roraima (173,9 mil) e Amapá (177,7 mil).

Leia Também:  Rio adianta calendário de vacinação contra a gripe

Em relação às mortes, de acordo com os dados mais recentes disponíveis, São Paulo apresenta o maior número (173.652), seguido de Rio de Janeiro (75.162) e Minas Gerais (63.257). O menor total de mortes situa-se no Acre (2.025), Amapá (2.155) e Roraima (2.165).

Boletim Epidemiológico Boletim Epidemiológico

Boletim Epidemiológico – 14/08/2022/Divulgação Ministério da Saúde

Vacinação

De acordo com os últimos dados divulgados, foram aplicadas 471,7 milhões de doses de vacinas contra a covid-19, sendo 178,7 milhões com a primeira dose e 159,8 milhões com a segunda dose. A dose única foi aplicada em 4,9 milhões de pessoas. Outras 104,4 milhões já receberam a primeira dose de reforço, e 18,9 milhões receberam a segunda dose de reforço.

Edição: Claudia Felczak

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA