Carros e Motos

Honda, Yamaha e BMW interrompem atividades nas fábricas de Manaus

Publicados

em


source
Fábrica arrow-options
Divulgação

Fábrica da Honda é a maior da Zona Franca de Manaus, e agora os funcionários terão escalas especiais

A divisão de motos da Honda comunica que as sua produção na fábrica de Manaus (AM) estará suspensa a partir de 27 de março, em função dos impactos da pandemia do Covid-19. O retorno é previsto para 13 de abril, podendo ser postergado para 20 de abril. A decisão prioriza a segurança e saúde das pessoas. Os colaboradores diretamente envolvidos no processo produtivo entrarão em férias coletivas a partir de 30 de março. Entre os dias 27 e 30, as jornadas serão compensadas com a utilização do banco de horas.

LEIA MAIS: Honda celebra 25 milhões de motos produzidas e anuncia lançamentos

Além disso, a divisão de motos da Honda informou que está direcionando o maior número possível de profissionais das áreas administrativas para férias coletivas ou regime de home-office . Para as atividades imprescindíveis, que não podem ser realizadas a distância, será mantido um contingente mínimo de funcionários, com as medidas de prevenção recomendadas pelas autoridades.

Leia Também:  Fiat marca data para divulgar preços e tudo sobre a nova Strada

LEIA MAIS: Ducati interrompre produção na Itália por causa do coronavírus

A maior fábrica de motos da Honda no mundo fica localizada no Distrito Industrial de Manaus e foi inaugurada em 1971. Até hoje 25 milhões de unidades foram produzidas na fábrica que é uma das maiores da região. Com 7 mil empregados, hoje, a planta conta com 24 modelos diferentes em seu portfólio. No local também são produzidas rodas de alumínio e aço, carenagens, componentes de motor, chassi e estruturas de aço, além de peças plásticas.

Outras fábricas da Zona Franca

Fábrica arrow-options
Divulgação/BMW Motorrad

A planta da BMW, por exemplo, tem retorno previsto apenas para o dia 23 de abril

Enquanto isso, outras fábricas de motos em Manaus também decidem suspender as atividades para se previnirem contra o Coronavírus . A BMW interrompe a partir de 30 de março, com retorno previsto para 23 de abril. Outras ações para aumentar a proteção na fábrica foram o cancelamento de viagens, proibição de aglomerações na produção e na área administrativa. A montadora também adotou home office para parte dos trabalhadores.

Leia Também:  Kawasaki Vulcan deve ganhar motor da esportiva Ninja, diz revista japonesa

LEIA MAIS: Como o novo coronavírus está afetando a indústria automotiva brasileira

Enquanto isso, na Yamaha — a maior concorrente da Honda — a parada terá início no dia 31 de março, com retorno previsto em 20 de abril. A empresa cancelou viagens e vem adotando home office e videoconferências, sobretudo na unidade de Guarulhos (SP), onde ficam as principais áreas administrativas da empresa.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carros e Motos

Veja as versões híbridas do Renault Clio, Captur e Megane com tecnologia E-Tech

Publicados

em


source
Renault
Divulgação

A Renault prepara o lançamento dos modelos híbridos do compacto Clio e do SUV Captur com a tecnologia E-Tech

As montadoras de automóveis estão sofrendo no mundo. Na França, o ministro das Finanças, Bruno Le Maire, afirmou que a Renaut correria o risco de desaparecer se não tivesse ajuda do seu governo. “Estamos viabilizando um empréstimo de 5 bilhões de euros visando salvar a empresa para que ela seja mais produtiva principalmente com veículos elétricos’.

LEIA MAIS: Volvo anuncia novo XC40 Recharge elétrico contra a crise do setor

No momento, a Renault vem ampliando sua estratégia de veículos eletrificados englobando versões híbridas de baixa emissão. Neste mês de junho, chega na Europa o Clio e o Captur, dois de seus principais modelos, com tecnologia híbrido-total e hibrido plug-in respectivamente.

O Clio e Captur usam o trem de força eletrificado, chamado E-Tech, que tem dois motores elétricos montados em uma transmissão sem embreagem. Um dos motores é um pequeno acionador para dar partida no veículo no modo elétrico, e o outro é maior é usado para acionar as rodas.

Eles combinam com o motor a gasolina 1.6 de quatro cilindros. No Clio E-Tech hibrido produz 140 cv e possui uma bateria de 230 volts. No híbrido-total, a frenagem regenerativa do veículo carrega automaticamente a bateria do sistema de forma constante.

Megane
divulgação

O Mègane recebeu um novo visual na sua quarta geração e o destaque vai para a versão híbrida plug-in

Segundo a Renault, no Clio E-Tech, cerca de 80% da condução urbana pode ser feita no modo totalmente elétrico a uma velocidade máxima de até 75 km/h. A eficiência de combustível do Clio híbrido é aprimorada em até 40% em comparação com um motor apenas a gasolina.

Leia Também:  Harley-Davidson 1947 com side-car

Por sua vez, a versão plug-in do Captur E-Tech produz 160 cv e usa uma bateria de 400 volts. A Renault afirma que o SUV pode rodar até 50 km no modo totalmente elétrico, com um velocidade máxima de 135 km/h. No híbrido plug-in, a bateria pode também ser recarregada diretamente na rede elétrica.

LEIA MAIS: Depois do Audi e-tron, a alemã vai lançar o Q4 elétrico

Ainda este ano, a Renault apresentará uma versão plug-in do seu sedã médio Mègane. Ele terá a mesma configuração de motores do Captur, permitindo rodar 50 km com energia elétrica.

Os modelos híbridos fazem parte do esforço da Renault para una geração na sua gama de veículos eletrificados. Até 2022, a marca francesa venderá oito modelos totalmente elétricos. Atualmente, a montadora francesa oferece quatro modelos 100% elétricos. O compacto Renault Zoe, vendido no Brasil, os utilitário Kango ZE, a van Master ZE, além do pequeno Twizy.

Conceito para 2025

Renault
Divulgação

O conceito Morphoz adota plataforma CMF-EV criada para veículos elétricos das Renault, Nissan e Mitsubishi

Este ano a Renault apresentou o conceito Morphoz, que antecipa os futuros veículos da marca, a serem lançados a partir de 2025. É um modelo SUV que é definido pela marca francesa como um elétrico de uso pessoal dotado de sistema de direção semiautônomo, com maior grau de automação se comparado aos sistemas atuais, mas que ainda não dispensa o condutor.

Leia Também:  Kawasaki Vulcan deve ganhar motor da esportiva Ninja, diz revista japonesa

O Morphoz é montado sobre a plataforma modular CMF-EV, construída para uso nos futuros elétricos das marcas da Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi. Oferece uma carroceria de tamanho ajustável de acordo com a configuração de uso. No modo urbano “City”, o SUV fica com 4,40 m de comprimento e traz um conjunto de baterias de 40 kWh, que garante uma autonomia de 400 km.

LEIA MAIS: Conheça o novo Lexus UX300e, crossover elétrico de luxo da Toyota

Voltando ao início desta matéria, a Renault deve passar por uma atualização de sua parceria com a Nissan e Mitsubishi. Nesta semana, as três montadoras revisaram seu modelo de negócio visando uma redução de 40% nos investimentos para veículos desenvolvidos em conjunto.

Renault
Divulgação

Com linhas marcantes, o Morphoz é um puro elétrico e terá uma autonomia de 400 km com uma carga

Na América Latina, a plataforma de produtos compactos será reduzidas para uma. Os planos dessa aliança foram anunciados dois dias depois de o governo francês anunciar pacote de auxílio para superar a atual crise acelerada pela epidemia do coronavírus.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA