Carros e Motos

Honda NC 750X: DCT ou manual?

Publicado em

source
A Honda NC 750X com câmbio convencional e sem acessórios
Divulgação

A Honda NC 750X com câmbio convencional e sem acessórios

Paro no semáforo com a Honda NC 750X e um motociclista para ao lado, já perguntando: “Essa aí não tem embreagem, certo?” De tão polido que ele foi ao perguntar, resisti ao impulso de responder: “Pelo contrário, ela tem não só uma, mas duas embreagens!”

Apesar de ser verdade, achei que não teria tempo de explicar melhor antes que o semáforo ficasse verde e limitei-me a dizer, apenas, que sim, mas, na verdade, o que ela não tem é apenas o manete da embreagem . E, é claro, não tem, também, o pedal do câmbio.

Sem entrar em uma explicação mais precisa, com muitos detalhes técnicos, na prática é como dizer que existem dois câmbios na Honda NC 750X DCT , um para as marchas ímpares e outro para as marchas pares, e que cada um deles tem sua própria embreagem. Então, são dois câmbios e duas embreagens, dentro da mesma carcaça.

No câmbio DCT da Honda NC 750X, tanto o acionamento das embreagens quanto a troca de marchas são feitos automaticamente, como em um câmbio automático convencional de um automóvel, mas é possível fazer as trocas de forma manual, utilizando-se os comandos do punho esquerdo do guidão. Com o dedo indicador, as marchas sobem, com o polegar, as marchas descem.

Leia Também:  Mercedes lança nova geração do GLC, apenas com motores híbridos

Mas, no final das contas, qual é o sistema mais adequado para uma motocicleta, o automático DCT ou o manual, convencional? A Honda NC 750X pode ter os dois sistemas, com o câmbio M/T a motocicleta é produzida em Manaus, AM, e, com o DCT, é importada do Japão.

Na hora de escolher o melhor sistema para cada tipo de utilização, ou mesmo de acordo com o gosto do comprador, o valor total do investimento na compra de cada uma leva em conta essa diferença de origem, já que, obviamente, a versão importada tem maior valor, não apenas pelo sistema mais caro, mas também pelos custos da importação.

Manual ou automática? O dilema na escolha da Honda NC 750X
Gabriel Marazzi

Manual ou automática? O dilema na escolha da Honda NC 750X

Apesar do porte de um modelo trail, Honda NC 750X é uma motocicleta urbana, com um bom compromisso, também, para viagens. Ou seja, é uma motocicleta muito versátil, com características diversas, caracterizada como crossover.

Assim sendo, para uma utilização mais urbana, no dia a dia, o câmbio DCT é uma mão na roda, tornando a motocicleta bem mais ágil e fácil de ser pilotada. Se for para um uso mais intenso em estradas, o câmbio convencional pode ser mais adequado, principalmente por tornar a motocicleta mais acessível.

Leia Também:  Stellantis testa tecnologia de recarga por indução no asfalto

Na sua mais recente renovação, a Honda NC 750X ganhou acelerador eletrônico e, com ele, vieram os modos eletrônicos de pilotagem, que, se selecionados adequadamente, facilitam muito a pilotagem. São três modos de pilotagem pré-selecionados (Rain, Standard e Sport), mais um programável pelo piloto (User). O controle de tração é outro facilitador que veio com o novo sistema, ajustável em três níveis.

A Honda NC 750X tornou-se muito versátil, tanto na cidade quanto na estrada
Divulgação

A Honda NC 750X tornou-se muito versátil, tanto na cidade quanto na estrada

A escolha, então, entre a Honda NC 750X M/T e a Honda NC 750X DCT , dependerá da principal utilização da motocicleta, do gosto do dono e, principalmente, da vontade de gastar uma graninha a mais para ter um produto mais equipado.

A NC M/T custa, por sugestão do fabricante, R$ 49.700, enquanto que a versão DCT custa R$ 59.668. Sim, uma diferença de praticamente R$ 10 mil. Os valores pedidos nos diversos pontos de venda espalhados pelo país podem ser um pouco diferentes, tanto devido ao valor do frete, adicionado ao valor da motocicleta, e à situação de mercado, devido à oferta e a demanda.

Vale consultar, também, a boa lista de equipamentos opcionais, vendidos como acessórios originais Honda , como as maletas laterais, o baú traseiro de 38 litros, o cavalete central, parabrisa mais alto, ponto de energia USB no compartimento de carga, suporte traseiro, protetor de carenagem e faróis auxiliares. Tudo isso por cerca de mais uns R$ 20 mil. Depois, é só escolher uma e sair por aí.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Carros e Motos

Novos faróis da Ford podem projetar placas de trânsito nas estradas

Published

on


Repare no símbolo projetado no piso, o que mostra o princípio do funcionamento do novo sistema
Divulgação

Repare no símbolo projetado no piso, o que mostra o princípio do funcionamento do novo sistema

Se você acha que conhece bem a última tecnologia de exibição frontal conhecido como HUD – Head-Up Display que reúne informações como distância percorrida, falha de bateria e até alertas para limite de velocidade, permitindo que os motoristas continuem olhando pelo para-brisa sem desviar a atenção, conheça a mais nova invenção da Ford.

Ao contrário do HUD tradicional, que projeta as informações no para-brisa, a mais recente da tecnologia da Ford projeta informações cruciais, como sinais de trânsito e condições de via na estrada que se estende à frente deles.

Baseado em uma nova geração de faróis de LED , o conjunto óptico além de iluminar, projeta dados na pista como direções a seguir, limites de velocidade, além de poder ser usado para ajudar aqueles que estão fora do carro, como pedestres, iluminando cruzamentos ou ajudando os motoristas a contornar os ciclistas, garantindo que o carro não passe muito perto.

Leia Também:  Elétrico BYD Han será apresentado em abril e vendido no 2º semestre


Como se isso não bastasse, outras informações úteis que podem ser transmitidas para a estrada incluem dados meteorológicos , como um símbolo de floco de neve quando as estradas podem estar congeladas, dados de tráfego e guias para ajudar os motoristas a avaliar se uma vaga de estacionamento é grande o suficiente antes de tentar parar o carro.

A Ford enfatiza que sua versão da tecnologia ainda está em fase de desenvolvimento e pode não estar disponível em todos os mercados do mundo devido a diferentes regulamentações.

Outra empresa que inventou um sistema parecido foi a Mercedes-Benz. O Digital Light, incorporado em 2016, está disponível a partir do Classe C 2022 em alguns países.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA