Estado

Hemoes inicia pesquisa do uso de plasma para pacientes com Covid-19

Publicados

em


.

O Hemocentro do Espírito Santo (Hemoes) está fazendo uma pesquisa para tratamento do novo Coronavírus (Covid-19)  utilizando o plasma do sangue de pessoas que tiveram a doença em pacientes infectados. É uma forma de descobrir se anticorpos criados em quem já teve a Covid-19 pode ajudar outras pessoas a se recuperarem mais rapidamente da doença. O plasma é a parte líquida do sangue, formado por substâncias como potássio, cálcio, magnésio, proteínas, vitaminas, hormônios, entre outros, e corresponde a mais da metade do volume sanguíneo. 

Com a autorização para realizar a pesquisa após inscrição do projeto na Plataforma Brasil e a submissão da avaliação ao Comitê de Ética em Pesquisa Nacional, ao Comitê de Ética em Pesquisa Local e ao Instituto Capixaba de Ensino, Pesquisa e Inovação em Saúde (ICEPi), o Hemoes já conta com 20 doações de voluntários. Inicialmente, a pesquisa pretende comparar o resultado de 50 pacientes que serão submetidos ao plasma com outros 50 sem a transfusão, que será realizada no Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, na Serra, no início do mês de julho. 

Leia Também:  Governo investe R$ 4 milhões na agricultura familiar do Espírito Santo

“O uso de plasma convalescente já foi utilizado em outras pandemias, como a de influenza, por exemplo, sempre com uma resposta favorável. O paciente precisa estar numa fase inicial de gravidade, ainda tendo o organismo capacidade de responder imunologicamente à doença. É preciso também ter a compatibilidade sanguínea e o indivíduo não pode ter nenhuma história de reação adversa a alguma transfusão de sangue anterior. No momento, realizamos a busca ativa desses doadores, no futuro, caso tenhamos uma grande demanda para a produção do plasma, abriremos para o público”, disse a diretora técnica do Hemoes, Rachel Lacourt. 

Ainda segundo a médica, o doador tem que ter tido a doença comprovadamente e no momento da doação são feitos exames para ter certeza que não possui mais doença ativa e que tem em seu plasma a presença de anticorpos. O Hemoes realiza a busca ativa pelos doadores voluntários, tendo a resposta positiva, eles são convocados a irem ao Hemocentro para realizar os procedimentos. 

Rachel Lacourt ressalta também que, como em todo projeto de pesquisa, o que vai definir a continuidade ou a suspensão do projeto é o monitoramento diário da evolução clínica dos doentes. “Se os resultados forem expressivamente melhores para quem usa plasma do que para quem não usa, será possível fazer o plasma para todos. Caso se mostre não favorável à melhora do indivíduo ou até prejudicial, imediatamente será suspenso”, pontuou a diretora técnica. 

Leia Também:  Investimentos na Região Sul são destaque durante videoconferência na Findes

O equipamento utilizado para captação do plasma é o de Aférese, que por meio dele é possível fazer uma coleta seletiva apenas do plasma do doador. “Esse equipamento tem a capacidade de fazer uma filtração do que desejamos extrair e tudo é feito com segurança para o doador. O plasma convalescente é rico em anticorpos e pode melhorar a resposta imunológica do indivíduo e assim diminuir a evolução grave da doença, bem como o tempo de internação, de uso da ventilação mecânica e da taxa de letalidade”, observou a médica.

Informações à imprensa:
Assessoria de Comunicação da Sesa
Syria Luppi / Kárita Iana / Paula Lima / Luciana Almeida / Thaísa Côrtes
(27) 3347-5642 / 3347-5643
[email protected]

 

Fonte: Governo ES

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estado

Governo investe R$ 4 milhões na agricultura familiar do Espírito Santo

Publicados

em


.

O Governo do Estado está promovendo mais uma ação de incentivo à agricultura familiar capixaba. Serão repassados R$ 4 milhões para aquisição de 991 toneladas de produtos aos municípios inseridos no Projeto Compra Direta de Alimentos (CDA).  Nesta quarta-feira (15), o governador Renato Casagrande formalizou o repasse para 13 municípios das regiões norte e noroeste do Espírito Santo. Ao todo, trinta municípios serão contemplados e 615 agricultores favorecidos.

“É uma alegria coordenar esse repasse, atendendo a agricultura familiar, as associações e as pessoas que efetivamente precisam. Essa crise vai dificultar ainda mais a vida daqueles que já têm dificuldades. A administração pública precisa atuar para quem mais precisa. Temos uma tarefa importante que é fortalecer o Sistema Único de Assistência Social (Suas). O Governo do Estado tem pouca ação executiva, que cabe aos municípios. Mas temos muitas ações de coordenação e de repasse”, afirmou Casagrande.

A ação está sendo realizada pela Secretaria de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social (Setades). Com o CDA, os municípios vão adquirir cerca de 990.210 quilos de produtos originados da agricultura familiar para serem doados à rede socioassistencial municipal, que compreende equipamentos e serviços públicos de Assistência Social, de Justiça, de Saúde e de Segurança Pública.

O governador Casagrande destacou que a ação faz parte de uma série de iniciativas do Governo do Estado voltadas ao social. “Na hora de uma entrega, de uma construção, de uma política de complementação de renda, é importante o município saber ao pé da letra esses dados, para que possamos realmente atingir a quem mais necessita. Temos muitas ações para desenvolvermos em conjunto. Repassamos aos municípios, por meio do Fundo de Assistência Social, mais de R$ 9 milhões. Através do Programa ES Solidário estamos captando recursos para doação. Nos próximos meses e anos teremos um grupo grande de pessoas que precisarão ainda mais do serviço público”, observou.

Leia Também:  Sedu destina mais de R$ 12 milhões para escolas se prepararem para a volta às aulas presenciais

Adesões

De acordo com a secretária de Estado de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social, Cyntia Figueira Grillo, a adesão ao CDA surpreendeu, dobrando em relação ao ano passado. “No edital de 2020, as adesões ao Projeto surpreenderam, considerando que passamos de 15 municípios para 30 municípios que executarão o Projeto neste exercício”, disse.

Nas regiões norte e noroeste, serão contemplados os municípios de Águia Branca, Alto Rio Novo, Ecoporanga, Governador Lindemberg, Mantenópolis, Montanha, Mucurici, Pedro Canário, Pinheiros, Ponto Belo, São Gabriel da Palha, Sooretama e Vila Valério. Serão fornecidos gêneros hortifrutigranjeiros em geral, assim como mel, pescado, pães e biscoitos caseiros, geleias e alimentos minimamente processados.

“Cabe ressaltar que, do total de produtos adquiridos, 3.900 quilos são produtos orgânicos devidamente certificados pelos órgãos de controle. Esses agricultores possuem um perfil socioeconômico específico, como beneficiários do Programa Bolsa Família, mulheres, assentados da reforma agrária, pescadores artesanais, indígenas, pomeranos, quilombolas e demais povos e comunidades tradicionais”, explicou a secretária.

O secretário de Estado de Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca, Paulo Foletto, também comemorou a iniciativa, que promove a inclusão social e econômica no campo, além de fortalecer a agricultura familiar. “É com satisfação que assinamos o termo de adesão para a compra de alimentos diretamente das mãos dos produtores capixaba. O Governo do Estado tem trabalhado na promoção do acesso a alimentos às famílias em situação de insegurança alimentar, além de valorizar o trabalho do nosso produtor rural, levando para a mesa da população alimentos de qualidade”, disse.

Foletto lembrou que a Secretaria da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), junto com a Fundação Banco do Brasil, entregou recentemente 3.200 cestas básicas para 1.600 famílias de pescadores artesanais e de artesãos no Espírito Santo.

Leia Também:  Governo investe R$ 4 milhões na agricultura familiar do Espírito Santo

A solenidade virtual, transmitida ao vivo pelas redes sociais, teve a participação da vice-governadora Jaqueline Moraes; do diretor-presidente do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), Antônio Carlos Machado; dos deputados estaduais Bruno Lamas e José Esmeraldo; dos prefeitos Bruno Teófilo (Pedro Canário), Iracy Baltar (Montanha), Luiz Américo Borel (Alto Rio Novo), Robson Parteli (Vila Valério) e Sérgio Murilo Moreira Coelho (Ponto Belo); além de vereadores, secretários municipais, agricultores e lideranças locais.

Projeto Compra Direta de Alimentos

O Projeto Compra Direta de Alimentos (CDA) foi idealizado dentro da perspectiva do Direito Humano à Alimentação Adequada (DHAA) e do combate à pobreza. Consiste na aquisição de gêneros alimentícios da agricultura familiar e a doação simultânea dos produtos adquiridos à rede socioassistencial municipal, equipamentos e serviços públicos de Assistência Social, de Segurança Alimentar e Nutricional, de Justiça, de Segurança Pública e de Saúde.

“O Projeto tem também como premissa possibilitar o acesso a uma alimentação saudável e de qualidade, com vistas à promoção da prevenção de doenças, bem como oferecer uma nutrição adequada, que irá impactar diretamente no desenvolvimento físico, mental e emocional dos cidadãos e cidadãs, em especial de nossas crianças”, reforçou a secretária Cyntia Figueira Grillo.

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação do Governo
Giovani Pagotto
(27) 98895-0843

Assessoria de Comunicação da Setades
Mara Mulullo
(27) 3636-6803
[email protected]

Assessoria de Comunicação da Seag
Vanessa Capucho
(27) 3636-3700 / 3651
[email protected]

 

Fonte: Governo ES

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA