Economia

Guedes aguarda demissão de secretário que sugeriu congelamento de aposentadorias

Publicados

em


source

Brasil Econômico

waldery rodrigues e paulo guedes
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil – 14.5.19

Waldery Rodrigues, secretário que teve desentendimento com Bolsonaro, e o ministro da Economia, Paulo Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, aguarda o pedido de demissão do secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, após desgaste público entre ele e o presidente Jair Bolsonaro . A informação é da Folha de S.Paulo . Waldery sugeriu o congelamento das aposentadorias por dois anos para financiar o Renda Brasil , mas Bolsonaro passou por cima dele e rejeitou a possibilidade, pondo fim, inclusive, ao debate sobre a criação do novo programa de transferência de renda, que substituiria o Bolsa Família.

Em entrevista ao G1 no domingo, o secretário do Ministério da Economia sugeriu que o governo  congelasse as aposentadorias de todos os brasileiros por dois anos e promovesse  cortes em auxílios para idosos e deficientes carentes , tudo isso para financiar o Renda Brasil  sem aumentar os gastos do governo, e Bolsonaro reagiu após forte repercussão negativa. O presidente disse que “Até 2022, no meu governo, está proibido falar a palavra Renda Brasil. Vamos continuar com o Bolsa Família e ponto final”.

Leia Também:  Auxílio emergencial: pagamentos da semana começam na 2ª; confira a programação

Segundo Bolsonaro, a proposta seria “um devaneio de alguém que está desconectado com a realidade”, cutucando Waldery Rodrigues , quem fez a sugestão. Ele complementou ainda repetindo que “jamais tiraria dinheiro dos pobres para dar aos paupérrimos”.

De acordo com a Folha , Guedes já fala nos bastidores sobre o pedido de demissão do secretário para evitar um desgaste público ainda maior sobre seu ministério. Ele ainda não sabe se demitiria Waldery caso o pedido de demissão não aconteça, mas diz que busca “o melhor para o Brasil”.

“Quem por ventura vier propor a mim uma medida como essa eu só posso dar um cartão vermelho para essa pessoa”, disse Bolsonaro sobre a possibilidade de congelamento das aposentadorias, que surgiu como uma forma de o governo reduzir custos para conseguir respeitar o teto de gastos e deixar sua marca, que seria o Renda Brasil, idealizado como o “novo Bolsa Família”.

Bolsonaro garante, no momento, que a proposta não será mais tratada até o fim de seu mandato, em 2022, já que elevar os gastos do governo não é visto como uma possibilidade viável. Com o Renda Brasil deixado de lado e consequentemente a ideia de congelar as aposentadorias, a saída de Waldery do governo seria simplesmente uma forma de colocar panos quentes sobre a polêmica entre a Economia e o Planalto.

Leia Também:  É hoje! Acumulada, Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 50 milhões neste sábado

Apesar do incômodo com a proposta do secretário e a ameaça de “cartão vermelho”, Bolsonaro não teria exigido a demissão de Waldery, mas o histórico de polêmicas entre subordinados de Guedes e o presidente estariam preocupando o ministro.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Auxílio de R$ 300: Governo deve divulgar calendário nesta segunda (28)

Publicados

em

 

 

source

Brasil Econômico

onyx
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenxzoni, disse que calendário do auxílio de R$ 300 seria divulgado até esta segunda

O governo deve divulgar nesta segunda-feira (28) o  calendário do auxílio emergencial de R$ 300. Até agora, apenas o público do Bolsa Família teve acesso às datas de pagamentos da prorrogação. A expectativa é que nesta segunda, as datas para o resto do público inscrito no auxílio sejam disponibilizadas pelo Ministério da Cidadania.

Quem definiu a data de divulgação do calendário do auxílio de R$ 300 foi o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni. “A gente pretende, no máximo até segunda-feira, fazer a publicação (do calendário)”, disse Lorenzoni na quinta-feira (24), disse em uma reunião em Palmas, no Tocantins.

Leia Também:  Após vazamentos, Bolsonaro acha que secretários de Guedes são infiltrados do PT

Sobre a diferença entre a divulgação do calendário de pagamentos do auxílio, que acontece primeiro para os beneficiários do Bolsa Família, o ministro disse que “desde o início a gente sempre manteve o cronograma do Bolsa Família, porque são 14 milhões e 274 mil famílias que são as famílias mais vulneráveis do Brasil”.

Nem todos os beneficiários do auxílio emergencial receberão todas as parcelas. O programa será interrompido em dezembro. Assim,  apenas os beneficiários que começaram a receber o auxílio em abril receberão todas as partes da renda emergencial.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA