Saúde

Governo amplia ações para gestantes e recém-nascidos no SUS

Publicados

em


Em alusão ao Novembro Roxo, mês da conscientização para os cuidados e prevenção da prematuridade, o Ministério da Saúde apresenta ações voltadas ao cuidado às gestantes e recém-nascidos no Sistema Único de Saúde (SUS).

Serão apresentadas ações de qualificação do pré-natal e do parto na Atenção Primária, atenção aos bebês pré-termo e dados de nascimentos de prematuros no país.

Neste momento, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello; a primeira-dama, Michelle Bolsonaro; e a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves; participam do evento online.

Acompanhe ao vivo

 

De acordo com a Organização Não Governamental (ONG) Prematuridade, 340 mil bebês prematuros nascem no Brasil todos os anos. São 12% dos nascimentos do país, acima da média mundial de prematuridade, que é 10%. Leia mais
 

Edição: Liliane Farias

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Justiça suspende atendimento presencial do INSS no Amazonas
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Rio começará na quarta-feira a vacinar profissionais de saúde idosos

Publicados

em


Os profissionais de saúde da cidade do Rio de Janeiro com ao menos 60 anos que atuam nas redes pública ou privada poderão procurar 236 clínicas da família e centros municipais de saúde, a partir das 12h da próxima quarta-feira (27), para serem imunizados contra a covid-19. A vacinação desse grupo deve ocorrer até o dia 3 de fevereiro

Estão incluídos nessa lista enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, odontólogos, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, profissionais de educação física, médicos veterinários e seus respectivos técnicos e auxiliares, bem como funcionários do sistema funerário que tenham contato com cadáveres potencialmente contaminados.

Para receber a vacina, esses profissionais deverão levar documentação e comprovante de seus conselhos de classe. A vacinação também continuará para os funcionários de urgência e emergência das unidades hospitalares envolvidos no atendimento à covid-19 e para os que realizam exames da doença.

A Secretaria Municipal de Saúde orienta o restante da população a não procurar postos de vacinação neste momento, já que a imunização permanece restrita a uma parte dos grupos prioritários, definida pelo Ministério da Saúde.

Leia Também:  Rondônia estuda transferir pacientes com covid-19 para outros estados

Na semana passada, a imunização começou pelos idosos e maiores de idade com deficiência que moram em abrigos de longa permanência, além dos profissionais que atuam nestes locais. Também começaram a ser vacinados com a primeira remessa de imunizantes os trabalhadores da saúde que atuam na linha de frente contra a covid-19 e a população indígena que vive em aldeias.

A primeira semana de vacinação contou apenas com as primeiras 6 milhões de doses da CoronaVac produzidas no Instituto Butantan em parceria com o laboratório Sinovac. Nesta semana, começarão a ser aplicadas 2 milhões de doses da vacina AstraZeneca/Oxford, importadas prontas da Índia, onde foram produzidas pelo Instituto Serum. Os dois imunizantes possuem autorização de uso emergencial na Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que atestou sua segurança e eficácia na prevenção da covid-19.

A cidade do Rio de Janeiro já aplicou cerca de 60 mil doses da CoronaVac, das 115 mil disponibilizadas inicialmente para uso. Como a vacina requer uma segunda dose a ser recebida em menos de um mês, foram reservadas outras 115 mil unidades para a aplicação dos que receberam a primeira dose.

Leia Também:  São Paulo passa para fase vermelha a partir de hoje

No caso da vacina AstraZeneca/Oxford importada da Índia, as 76 mil doses já recebidas pela prefeitura serão aplicadas imediatamente, seguindo orientação do Programa Nacional de Imunizações e da Fundação Oswaldo Cruz. No caso dessa vacina, a dose de reforço só deve ser aplicada três meses após a primeira dose.

Edição: Valéria Aguiar

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA