Política

Glauber Coelho morre e deixa vazio político na região Sul

Publicados

em

Com apenas 40 anos, mas em plena ascensão política, o deputado estadual de Cachoeiro de Itapemirim teve sua trajetória interrompida por um acidente automobilístico. Após dez dias internado em estado grave, ele faleceu na manhã desta quarta-feira (20)

Por | 21.08.2014

Ilauro Oliveira

 

Após dez dias internado em estado grave e lutando contra a morte, o deputado estadual Glauber Coelho (PSB) não resistiu ao acidente automobilístico do último dia 10 de agosto e faleceu. A morte cerebral foi confirmada na tarde desta quarta-feira (20) e causou grande comoção em Cachoeiro de Itapemirim e em toda a região Sul do Espírito Santo. A família decidiu doar os órgãos.

 

Aos 40 anos e em plena ascensão política, Glauber deixa uma lacuna na política da região Sul. Dinâmico, ousado e comprometido com as causas sulinas, o deputado expandiu nos últimos três anos e meio sua influência pelo litoral e também pelo Caparaó, trabalho este que lhe colocava como um dos favoritos para o pleito deste ano.

 

Três vezes vereador em Cachoeiro de Itapemirim e com diversas passagens por secretarias municipais, Glauber dedicou 15 dos seus 40 anos à vida pública. Eleito deputado estadual em 2010, com 23.040 votos, credenciou-se a disputar a Prefeitura Municipal em 2012. Nesta eleição obteve 49.452 votos contra 53.118 votos do seu oponente, Carlos Casteglione (PT). Mesmo derrotado, saiu com grande capital eleitoral, permitindo que o mercado político avaliasse, sem nenhuma dúvida, que sua chegada à cadeira de prefeito seria questão de tempo.

 

Braço direito de Casagrande na região Sul

 

 

Sua afinidade com as políticas públicas do governo estadual fizeram dele um braço direito do governador Renato Casagrande (PSB) na Assembleia Legislativa. Não demorou muito e acabou saindo do PR, sigla pela qual elegeu-se em 2010, indo para o mesmo partido do governante, tornando-se assim uma das maiores lideranças socialistas na região Sul.

 

Na Assembleia Legislativa, era o 2º vice-presidente da Mesa Diretora, membro efetivo das comissões de Saúde, Agricultura e Meio Ambiente e vice-presidente da Frente Parlamentar de Apoio à Educação no Campo. Ele também assumiu a 2ª Secretaria da Mesa Diretora, presidiu a Frente Parlamentar Saúde para Todos, que percorreu o Estado para avaliar as dificuldades enfrentadas pelos pacientes e gestores dos hospitais e postos de saúde, e foi membro da CPI da Telefonia.

 

Deputados lembram trajetória do colega

“É um momento tão difícil, que nos pegou de surpresa, e fica difícil fazer uma fala raciocinando, é muito triste”.A deputada Luzia Toledo (PMDB) solicitou à Mesa Diretora que orientasse os parlamentares para que todos se deslocassem para Cachoeiro de Itapemirim: “Ele vai fazer muita falta”, ressaltou.

 

 

 

O deputado Freitas (PSB), líder do partido de Glauber, também se pronunciou: “É com muito pesar, com extrema dor no peito, é um duro golpe no Partido Socialista Brasileiro. Começamos na semana anterior, no primeiro dia da semana, no domingo (quando Glauber Coelho sofreu o acidente). Continua a semana com a tragédia do nosso principal líder nacional, Eduardo Campos”, lembrou, emocionado. “A dimensão de uma perda dessa, promessa viva de futuro de uma política de qualidade nesse Estado, é com muita dor, com muita emoção. Que Deus possa amparar e proteger a família do Glauber Coelho, para que possa superar o momento de perda tão prematura, de um jovem capixaba tão promissor na política”, externou.

Leia Também:  PL obriga notificação de grávida menor de 14

 

 

O deputado Rodrigo Coelho (PT) colocou-se no lugar do colega: “Podia ser qualquer um de nós. Muitos de nós estivemos no mesmo lugar, no mesmo dia. Nós fazíamos política na mesma base do deputado Glauber, disputávamos. O volume de trabalho que ele trazia exigia a melhora de nossa conduta. Quero deixar minha homenagem ao deputado e pedir as bênçãos à família, que tenho certeza de que, nesse momento, necessita das nossas orações. E a todos que nos acompanham, que também orem por essa família”, pediu.

 

 

O segundo secretário da Mesa, deputado Roberto Carlos (PT), também se manifestou: “Não perco um colega deputado, perco um amigo, um irmão. Eu brincava que ele era um menino muito esperto e ele respondia que era um menino trabalhador. A última vez que conversei com ele, ele manifestou preocupação com a saúde do pai. Um ser humano com quem valia a pena conviver, quem conviveu mais próximo dele sabe disso. É muito duro perder um colega, um amigo, nessa nossa vida louca. Ele se acidentou no Dia dos Pais, na hora do almoço. Ele podia estar no conforto do lar, mas estava indo fazer campanha. É um dia muito triste para mim”, afirmou.

 

 

“Jovem liderança”

 

O deputado Claudio Vereza falou em nome da bancada do PT: “É momento de solidariedade à família, de tristeza para todos nós, principalmente por se tratar de uma jovem liderança, a segunda em uma semana. Não é fácil formar uma liderança, não é da noite para o dia, leva tempo. Tem de ter determinadas qualidades individuais, pessoais, familiares, sociais. É lamentável a perda de uma pessoa, em primeiro lugar, jovem. Em segundo, uma liderança política, um trabalhador. Em terceiro, um colega”,disse. “Um dos motivos que me leva a deixar essa Casa foi a alegria de, no início desse mandato, ver jovens lideranças. Fiz minha parte, mas outros estão assumindo. É desgastante, meu corpo não suporta mais as exigências do mandato parlamentar, não dá mais. Mas a minha alegria era ver jovens aqui assumindo com seriedade”, continuou.

 

 

Visivelmente emocionada, a deputada Janete de Sá falou em nome do PMN: “É com muita tristeza que recebi essa notícia. Sinceramente, por ser jovem, eu acreditava que ele fosse conseguir superar essa dificuldade. Falo de um grande companheiro, esforçado, lutador. O que mais me dói, é que isso pode acontecer com qualquer um de nós. Hoje, o Espírito Santo fica mais pobre, porque era um deputado que trabalhava para quem mais precisava. O povo mais humilde perde um grande parlamentar”, destacou.

 

 

Solidariedade

 

Paulo Roberto (PMDB) também se colocou no lugar do parlamentar: “Eu tenho uma filha de sete anos, que me liga todos os dias. Fico imaginando”, disse, com a voz embargada. “Não é fácil. É um momento de muita reflexão. É uma atividade periculosa, de se deslocar para lá e para cá. Hoje, a solidariedade nossa é com a família do Glauber”, disse.

 

Leia Também:  Do solo à mesa: agricultura familiar é destaque no ES

 

O deputado Esmael Almeida (PMDB) também externou seu pesar: “Poucos minutos atrás eu perguntei a vossa excelência (referindo-se ao presidente) como estava a situação do nosso colega. Por onde eu passo, peço oração por ele. Deus sabe de todas as coisas. Não tenho dúvida, o Espírito Santo perdeu um grande parlamentar. Um jovem fiel e temente a Deus, um cristão”, disse.

 

 

Gildevan Fernandes (PV) também se solidarizou: “Fico imaginando a dor da família do Glauber. Meu pai foi prefeito em Pinheiros e, com 82 dias na prefeitura, morreu vítima de um acidente automobilístico. Perdi meu pai com seis anos de idade e não passo um dia da minha vida sem me lembrar dele. Que Deus abençoe e conforte essa família”,pediu. “Um alento é saber que Glauber, além de um homem público, era um pai de família honrado, e sua conduta em nada envergonhou sua vida e sua família. Ele era um servo de Deus valoroso e morreu na presença do Senhor”, concluiu.

 

Luto oficial

 

 

O prefeito Carlos Casteglione (PT) decretou luto oficial de três dias e através de nota de pesar também lamentou a perda: “Lamento profundamente a morte do deputado estadual Glauber Coelho. É uma perda irreparável para Cachoeiro de Itapemirim e todo o Estado do Espírito Santo. Homem público de muitas qualidades, Glauber exerceu importantes cargos na Prefeitura de Cachoeiro. Foi secretário de Saúde, da Criança, Adolescente e Juventude, da Agricultura, da Defesa Civil e do Meio Ambiente”.

 

 

 

O prefeito também lembrou sua passagem pela Câmara Municipal e Assembleia: “Teve atuação destacada em seus mandatos na Câmara Municipal e, na Assembleia Legislativa, esteve sempre empenhado em ajudar toda a região Sul do estado. Solidarizo-me com os familiares, neste momento de grande dor e consternação”.

 

A Prefeitura também comunicou que, em respeito à memória do parlamentar cachoeirense, foram adiados os shows e apresentações do Circuito Cultural Arte entre Povos, que teriam início nesta quarta-feira (20), no município. As atividades serão realizadas ainda neste ano, em período a ser definido.

 

 

 

Nilton Baiano vai substituir Glauber na Assembleia

 

O ex-deputado estadual Nilton Baiano (PP) deve tomar posse já na semana que vem no lugar de Glauber Coelho. O progressista é suplente do deputado. Baiano recentemente teve a chance de ocupar uma das 30 cadeiras da Casa ao assumir a vaga do então secretário de Esporte Vandinho Leite (PSB). Com a volta do republicano, ele teve que se despedir do plenário. Agora assume até o fim desta legislatura.

 

 

 

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Madureira defende trabalho para autistas

Publicados

em


O deputado Marcos Madureira (Patriota) quer que o poder público incentive as empresas a contratarem autistas para desempenharem funções que exijam interação social. 

Para isso, ele apresentou o Projeto de Lei (PL) 341/2021 que garante à pessoa com Transtorno do Espectro Autista (TEA) realizar atividades laborais compatíveis com sua aptidão, formação profissional e experiência. 

Conforme a matéria, que passará pelo crivo das comissões de Justiça, Saúde e Finanças, a empresa contratante observará a aptidão do autista para assumir quaisquer cargos que estejam à disposição. Se virar lei, a proposta prevê que o Poder Executivo poderá regulamentá-la se assim achar necessário.

Advogada autista 

Madureira explica que o objetivo do projeto é dar equidade aos autistas por meio de políticas que estimulem as empresas e o serviço público a contratá-los sem limitações quanto às alternativas de emprego, observados os aspectos relacionados s aptidões, talentos, formação educacional e preferências pessoais. 

Segundo o deputado, os autistas têm tido mais oportunidade no mercado de trabalho na área de tecnologia devido ao fato de possuírem mais habilidade em tarefas que exijam concentração. 

Leia Também:  Do solo à mesa: agricultura familiar é destaque no ES

“Muitos autistas estão fora do mercado de trabalho por interagirem de forma diferente, mas isso não reduz a capacidade intelectual deles, e desse modo não há razão para excluí-los desses tipos de atividades”, defende o parlamentar.

Como demonstração da capacidade intelectual das pessoas com TEA, o deputado sugere no texto que as pessoas acessem na internet matéria sobre Haley Moss, primeira mulher autista formada em Direito no sul da Flórida (EUA) e que, segundo a reportagem, é uma profissional atuante.

“Essa advogada da Flórida é prova de que o autista pode cursar o ensino superior, conquistar espaço no mercado de trabalho e viver uma rotina assim como qualquer outro cidadão”, diz Madureira.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA