Política Nacional

Frota deposita R$ 30 mil para Chico Buarque por ofensas no Twitter

Publicados

em

Alexandre Frota
Michel Jesus/ Câmara dos Deputados

Alexandre Frota

O deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) afirmou ter depositado em juízo, nesta quarta-feira, R$ 30 mil para o músico Chico Buarque. O pagamento foi determinado pela Justiça do Rio de Janeiro em virtude de ofensas feitas pelo parlamentar ao cantor. Há cinco anos, Frota xingou Chico de “filho da puta” e disse que ele “chorava por não poder mais roubar livremente” em publicação em seu perfil no Twitter. A postagem foi apagada dias depois, por decisão judicial.

O parlamentar já havia pago R$ 50 mil ao artista por danos morais, no ano passado. Mas Chico recorreu e pediu os juros em cima dessa quantia.

“A Justiça é para ser respeitada. Eu tenho outras coisas mais importantes para fazer, não vou ficar adiando nada. Já está decidido. Paguei. Virei a página. Tira o problema da frente está tudo resolvido. Eu tenho que me dedicar às coisas interessantes e boas que eu tenho feito, entre elas o combate à fome que, para mim, é uma das coisas mais importantes desse país. Então, um abraço grande no Chico, que ele seja feliz. E está pago”, disse Frota, em áudio enviado ao GLOBO.

Leia Também:  Saiba quem era Jerominho, ex-vereador assassinado no Rio

Além do pagamento dos R$ 30 mil, o deputado ainda teve que divulgar em seu perfil no Twitter, por determinação da Justiça, o conteúdo da condenação.

Além de Chico, o parlamentar fez referências a Caetano Veloso e Gilberto Gil em seus ataques: “o que esses merdas pedem não é o ‘volta Lula’, mas o volta mamata”. Na ocasião, Frota alegou que havia feito uma “crítica ácida”.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Política Nacional

PGR pede multa a Bolsonaro por ataque às urnas

Publicados

em

Jair Bolsonaro criticou o sistema eleitoral em encontro com embaixadores
Clauber Cleber Caetano/PR – 25.07.2022

Jair Bolsonaro criticou o sistema eleitoral em encontro com embaixadores

A Procuradoria-Geral Eleitoral (PGE) propôs ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) uma representação contra o presidente Jair Bolsonaro pela realização de uma reunião com embaixadores onde promoveu uma série de ataques às urnas eletrônicas e ao sistema eleitoral.

Na representação, o vice-procurador-geral eleitoral, Paulo Gonet, pede a remoção de 13 links contendo os vídeos da reunião das plataformas de redes sociais e a aplicação de multa contra o presidente em razão da ocorrência de propaganda eleitoral antecipada.

De acordo com o Ministério Público, “os dados constantemente apresentados pela Justiça Eleitoral não podem ser omitidos em discurso que queira ser crítico do sistema de votação, máxime quando as eleições se avizinham e à vista da circunstância de, recentemente, os representantes do povo terem mantido o sistema de votação eletrônico”.

No evento, que ocorreu dentro do Palácio do Planato no dia 18 de julho e teve transmissão ao vivo, o chefe do Executivo também fez críticas ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao TSE.

Leia Também:  STF começa a julgar caso de deputado bolsonarista cassado pelo TSE

Na avaliação da PGR, as declarações proferidas pelo presidente contra o sistema eleitoral e contra as urnas eletrônicas “não são inéditas”. Mas observa, no entanto, que na reunião com os embaixadores foram “lançadas em período próximo das eleições, veiculando noções que já foram demonstradas como falsas, sem que o representado haja mencionado os desmentidos oficiais e as explicações dadas constantemente no passado”.

“Algumas frases, ainda, apresentam à audiência fatos que, descontextualizados, mostram-se engendradas para abalar a confiança no sistema”, ressalta Gonet.

No encontro com embaixadores, Bolsonaro voltou a levantar suspeitas com alegações de fraude não comprovadas nas eleições de 2018. A certa altura do discurso, disse haver “mais de cem vídeos” de eleitores que tentavam​ ​apertar o número 17 na votação​ ​de 2018, mas a urna registrava​ ​o número 13. Nunca houve comprovação de fraudes nas eleições brasileiras desde que as urnas eletrônicas foram implantadas, em 1996.

Leia Também:  Procuradores pedem à PGR abertura de investigação contra Bolsonaro

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA