Política

Frente debate sobre câncer infantil

Publicados

em


O Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantojuvenil é lembrado na próxima segunda-feira (23). Nesse dia, o tema será abordado em reunião virtual da frente parlamentar da Assembleia Legislativa (Ales), a partir das 9 horas, com a presença de autoridades da área que atuam no Espírito Santo e de referência nacional. 

O superintendente do Instituto de Câncer Infantil (ICI) em Porto Alegre (RS), o oncologista pediátrico Algemir Brunetto, falará de ações da qual participa para criar uma política pública específica contra a doença. Uma delas se deu por meio de um projeto transformado em lei em agosto deste ano naquele estado.

A iniciativa reúne uma série de medidas que contemplam a regulação desses pacientes e o rápido encaminhamento para um centro especializado com toda a estrutura para diagnóstico e tratamento. Ele revela que o objetivo é diminuir o período de espera (de até um mês) para que um caso suspeito da doença receba atendimento especializado.

Telemedicina

Estimular a adoção da telemedicina para orientar sobre os encaminhamentos, por exemplo, também é uma das ações. Conforme explica o médico, ter um diagnóstico precoce e ofertar atendimento em centro especializado pode impactar em índices de cura acima dos 70%. Entretanto, revela, que o cenário no Brasil hoje está aquém desses números. 

Leia Também:  Veto segue em prazo em Justiça

Coordenador do Comitê Executivo da Frente Parlamentar da Prevenção e Combate ao Câncer Infantil da Câmara Federal, Algemir Brunetto também contribui para melhorias no enfrentamento ao câncer infantil no âmbito nacional, como promover alterações em portarias do Ministério da Saúde (MS) que regulam o tratamento de câncer.

De acordo com ele, atualmente essas portarias têm como base o tratamento de câncer de adulto. “Trata-se uma criança como se fosse um adulto pequeno, no entanto, são doenças muito diferentes”. Além disso, conforme diz, é preciso capacitar alunos das faculdades de Medicina e residência médica acerca do câncer infantil.  

Segundo Algemir, em algumas regiões do País, estima-se que até 20% das crianças e adolescentes não chegam a receber diagnóstico. Ele acredita que o projeto de lei aprovado no RS pode ser replicado em todos os estados e considera importante uma reflexão acerca do tema. 

Além dele, devem participar da Frente Parlamentar de Enfrentamento ao Câncer Infantojuvenil o presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (Sobope), Cláudio Galvão; a gerente do setor de Oncologia do Hospital Estadual Infantil de Vitória, Tânia Bortolini; o diretor-presidente da Associação Capixaba contra o Câncer Infantil (Acacci), Francisco Gava; o superintendente do Instituto Ronald McDonald, Francisco Neves; entre outros. 

Leia Também:  Ales confirma veto a PL sobre transporte escolar

Diabetes

Lembrado em 14 de novembro, o Dia Mundial do Diabetes pautará os debates da Comissão de Saúde, que se reúne na terça (24), a partir das 9 horas, com a presença do presidente da Associação dos Diabéticos do Espírito Santo (Adies), Alexandre Lourenço de Loyola.

Confira a agenda da semana

Segunda-feira (23)
9 horas – Frente Parlamentar de Enfrentamento ao Câncer Infantojuvenil
 
Terça-feira (24)
9 horas – Comissão de Saúde
13 horas – Comissão de Justiça

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Assumção sugere fisioterapia para grávidas

Publicados

em


O deputado Capital Assumção (Patri) sugeriu ao governo do Estado que disponibilize fisioterapeutas para acompanhar grávidas antes, durante e após o parto em maternidades e hospitais. A proposta consta na Indicação Parlamentar 1.918/2020, aprovada pelo Plenário e encaminhada ao governo do estado. 

O objetivo da  matéria é que a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) proporcione às gestantes a prática de exercícios para aliviar desconfortos e fortalecer  a musculatura, a aplicação de técnicas manuais para facilitar o parto, além de medidas pós-parto que evitem complicações como a incontinência urinária mediante o fortalecimento do assoalho pélvico.

Para o autor da indicação, “a fisioterapia tem importante atuação na diminuição das dores, controle da ansiedade, diminuição do tempo de trabalho de parto e do índice de indicação para parto cesárea”.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Veto segue em prazo em Justiça
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA