Política Nacional

“Fora do jogo político”: Moro diz que não será candidato à presidência em 2022

Publicados

em


source
Sergio Moro
Agência Brasil

Moro disse que especulações sobre sua candidatura são “fantasia”.

Cotado para a corrida presidencial de 2022, o ex-ministro da Justiça e ex-juiz da Lava Jato, Sergio Moro , disse que está fora do “jogo político”. O magistrado participou de uma transmissão ao vivo realizada pelo jornal O Estado de S.Paulo . Ele também criticou  Augusto Aras e disse que o presidente  Jair Bolsonaro errou na nomeação para a Procuradoria-Geral da República (PGR).

Ao ser perguntado sobre uma possível candidatura nas eleições de 2022, Moro disse que as especulações sobre sua participação no pleito são “fantasia”. Ele também afirmou que, após deixar o Ministério da Justiça, irá se dedicar ao “mundo privado”.

Entretanto, o magistrado disse que não irá deixar o debate público.”Eu não vou me abster de falar que nós devemos ser fiéis aos nossos princípios. E, entre os princípios essenciais para a nossa democracia são o combate à corrupção e o Estado de Direito. Ambos são essencialmente importantes.”, afirmou.

Leia Também:  "Operação suicida" diz deputado do PSDB sobre ações que apoiaram o bolsonarismo

Moro também criticou o Procurador-Geral da República, Augusto Aras, dizendo que a falta de apoio do PGR ao trabalho dos demais procuradores é “realmente preocupante”. O ex-juiz disse  ainda que Bolsonaro errou ao ignora a lista tríplice e indicar Aras para a PGR.

“O Procurador-geral e o MP tem que atuar com autonomia. Eu acho, e não é uma crítica ao procurador, houve um erro ao presidente não escolher da lista tríplice. É um processo que dava mais segurança. Eventualmente, algumas ações tomadas pelo procurador vão sendo questionadas que talvez não fossem se o procurador tivesse sido escolhido na lista tríplice. O que se espera é que o procurador atue de maneira autonoma, sem interferência”, disse Moro.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política Nacional

Weintraub recebe título de “persona non grata” no DF por sua “incompetência”

Publicados

em


source
weintraub
Alan Santos/PR

Ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub


A Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) aprovou por unanimidade na última quarta-feira (12) uma moção de repúdio que confere ao ex-ministro da Educação Abraham Weintraub o título de ” persona non grata “, que significa “pessoa não querida”. 


A moção foi criada pelo deputado distrital Chico Vigilante (PT-DF) e qualifica Weintraub como uma pessoa com “completa falta de educação e de respeito à democracia e às instituições” e ” notória incompetência na condução das políticas educacionais”. O deputado relembra que durante  reunião ministerial no dia 22 abril Weintraub chamou o Distrito Federal de  “porcaria e cancro de corrupção e privilégio”.

Apenas três pessoas foram consideradas persona non grata pela Câmara Legislativa do Distrito Federal, estão entre eles  Augusto Pinochet, ditador chileno , em 1998; Jean Pierre Juneau, embaixador do Canadá, devido a proibição de importação de carne bovina brasileira, em 2001 e George W. Bush, ex-presidente dos Estados Unidos , com moção aprovada em 2003.

Leia Também:  Do PSL para PP: Líder do governo na Câmara é substituído por nome do Centrão

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA