Economia

Febre aftosa: 2ª etapa de vacinação alcança mais de 98% do rebanho nacional

Publicados

em


source
Segunda etapa de vacinação: 98,36% do rebanho brasileiro foi imunizado, o equivalente a 76 milhões de bovinos e bubalinos vacinados com até 2 anos de idade.
Randes Nunes/Foto Arena

Segunda etapa de vacinação: 98,36% do rebanho brasileiro foi imunizado, o equivalente a 76 milhões de bovinos e bubalinos vacinados com até 2 anos de idade.

Durante a segunda etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa de 2020, 98,36% do rebanho brasileiro foi imunizado, o equivalente a 76 milhões de bovinos e bubalinos vacinados com até 2 anos de idade.

Estes são os dados parciais divulgados pelo Ministério da Agricultura , já que das 22 unidades da federação que adotam a vacinação, apenas o estado da Paraíba ainda não divulgou o relatório com números finais.

Em razão da pandemia, o prazo de vacinação e envio da declaração pelo produtor ao órgão de defesa sanitária animal de cada estado foi prorrogado em 13 estados.

Segundo Geraldo Moraes , diretor do Departamento de Saúde Animal do Mapa, o percentual alcançado na vacinação é satisfatório. “Atingimos os índices estabelecidos para o Programa Nacional da Vigilância para Febre Aftosa (Pnefa) . Isso mostra o comprometimento do setor em manter o status de área livre com vacinação”.

Leia Também:  Volkswagen dá férias coletivas para 2,2 mil funcionários de Taubaté

Você viu?

Sete estados brasileiros são áreas livres de aftosa sem vacinação

Conforme o Plano Estratégico do Pnefa 2017-2026 , o Brasil segue executando as ações para garantir o status de país livre da febre aftosa e ampliar as zonas livres de febre aftosa sem vacinação.

Em 2020, o Mapa reconheceu seis estados brasileiros – Acre, Paraná, Rio Grande do Sul, Rondônia, regiões do sul do Amazonas e do noroeste do Mato Grosso – como livres de febre aftosa sem vacinação.

O reconhecimento nacional pelo Mapa é um dos passos para alcançar o reconhecimento internacional junto à Organização Mundial da Saúde Animal (OIE) . O pleito brasileiro segue em avaliação e a expectativa é que a OIE conceda esse reconhecimento para esses estados em maio deste ano.

Atualmente, no Brasil, apenas Santa Catarina é considerada, internacionalmente, como zona livre de febre aftosa sem vacinação.

Leia Também:  Batata e cebola lideram a queda de preços na cesta básica; veja a lista

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Classe média encolhe no Brasil e chega ao menor patamar em 10 anos

Publicados

em


source
Classe média tradicional encolheu de 105 milhões de pessoas em 2020 para 100,1 milhões de pessoas em 2021
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Classe média tradicional encolheu de 105 milhões de pessoas em 2020 para 100,1 milhões de pessoas em 2021

A classe média brasileira encolheu ao seu menor patamar em mais de 10 anos , revela o estudo conduzido pelo Instituto Locomotiva, com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Com o aumento do desemprego e a queda no poder aquisitivo , os brasileiros de classe média deixaram de ser maioria no país .

Segundo os indicadores publicados pelo Instituto Locomotiva, o percentual de brasileiros na classe média caiu de 51% em 2020 para 47% em 2021 . Estima-se que cerca de 4,9 milhões de famílias regrediram da classe média para baixa neste período. Atualmente, a classe baixa corresponde a 47% da população, enquanto a elite corresponde a 6%.

Leia Também:  Banco Central vai liberar estorno de dinheiro pelo Pix em caso de fraudes

Os dados do IBGE apontam que em 2011, 54% dos brasileiros poderiam ser considerados de classe média, ante 8% da elite e 38% da classe baixa. Em 2020, a classe média passou para 51% da população, enquanto a elite regrediu para 6% e a classe baixa subiu para 43%.

Em números absolutos, a classe média tradicional encolheu de 105 milhões de pessoas em 2020 para 100,1 milhões de pessoas em 2021 . O levantamento toma como base os dados coletados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad) e a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), ambas conduzidas pelo IBGE. 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA