Política Nacional

Fabrício Queiroz negocia delação premiada em troca de garantias para a família

Publicados

em

 

 

source
Queiroz com Bolsonaro
Reprodução

Queiroz com Bolsonaro e Eduardo em churrasco

Ex-assessor de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) preso na semana passada por esquema de rachacinhas , Fabrício Queiroz negocia delação premiada com o Ministério Público do Rio de Janeiro em troca de garantias para sua família , segundo divulgou na noite desta sexta-feira (26) a emissora CNN Brasil.

Leia também:

Fabrício Queiroz é investigado por esquema de rachadinha que teria ocorrido no gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro. Na época, ele era assessor de Flávio e atuava como um chefe de gabinete informal.

O ex-assessor preso está preocupado com sua família dele. A defesa de Fabrício Queiroz pede garantias de proteção para Márcia Aguiar de Oliveira, sua esposa que está foragida, e para Nathalia Mello e Evelyn Mello, suas filhas. Todas são investigadas pelo esquema de rachadinha .

Leia Também:  "Sigo os médicos, não o Bolsonaro", diz Doria sobre tomar cloroquina

Entre os pedidos de sua defesa, também está para que Queiroz cumpra prisão domiciliar .

A negociação da delação premiada estaria arrastada, segundo a emissora, porque os promotores querem ter certeza que Queiroz irá delatar novas informações e não apenas as que eles já possuem.

Entenda o que é rachadinha

A rachadinha, crime pelo qual Fabrício Queiroz é investigado, é a prática quando funcionários de um gabinete político devolvem parte de seus salários ao político ou assessores.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política Nacional

Weintraub recebe título de “persona non grata” no DF por sua “incompetência”

Publicados

em


source
weintraub
Alan Santos/PR

Ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub


A Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) aprovou por unanimidade na última quarta-feira (12) uma moção de repúdio que confere ao ex-ministro da Educação Abraham Weintraub o título de ” persona non grata “, que significa “pessoa não querida”. 


A moção foi criada pelo deputado distrital Chico Vigilante (PT-DF) e qualifica Weintraub como uma pessoa com “completa falta de educação e de respeito à democracia e às instituições” e ” notória incompetência na condução das políticas educacionais”. O deputado relembra que durante  reunião ministerial no dia 22 abril Weintraub chamou o Distrito Federal de  “porcaria e cancro de corrupção e privilégio”.

Apenas três pessoas foram consideradas persona non grata pela Câmara Legislativa do Distrito Federal, estão entre eles  Augusto Pinochet, ditador chileno , em 1998; Jean Pierre Juneau, embaixador do Canadá, devido a proibição de importação de carne bovina brasileira, em 2001 e George W. Bush, ex-presidente dos Estados Unidos , com moção aprovada em 2003.

Leia Também:  Bolsonaro tira máscara em evento e diz que todos vão pegar Covid-19

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA