Economia

Europa pode liberar Boeing 737 MAX somente em janeiro

Publicados

em


source

Contato Radar

undefined
Lucas Marques

Europa pode liberar Boeing 737 MAX somente em janeiro

Apesar da liberação do Boeing 737 MAX pela autoridade de aviação dos EUA, a FAA, nesta semana, as autoridades dos demais países vem divulgando também sobre suas respectivas recertificações. No Brasil por exemplo, a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), já declarou que está nos ajustes finais para liberação.

De acordo com a agência internacional Reuters, a autoridade europeia, EASA, só deve liberar o modelo em janeiro. A EASA espera desenvolver suas análises totalmente independentes, incluindo voos de testes.

Para Patrick Ky, diretor da EASA, todos os estudos indicam a segurança do retorno do 737 MAX ao serviço com segurança, e que já começaram a colocar em prática. Entretanto, a previsão é que só libere em janeiro para os voos comerciais.

Fazendo assim, que a Europa recertifique o modelo depois do Brasil por exemplo, já que a GOL espera contar com o 737 MAX ainda em dezembro para suas operações. As autoridades do EUA, Canadá, Brasil e Europa, formaram uma cooperação internacional para o retorno seguro do equipamento.

Leia Também:  Qantas realizará voos de repatriação na Europa

Em outubro, a própria EASA já tinha dado indícios que o retorno do 737 MAX poderia acontecer ainda em novembro ( clique aqui para ler ). Portanto, companhias como Ryanair e Norwegian, terão que aguardar mais um pouco para poder contar com o retorno do equipamento.

O post Europa pode liberar Boeing 737 MAX somente em janeiro apareceu primeiro em Contato Radar – Notícias de aviação .

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Dólar termina dia com leve queda e acumula recuo de 7,2% em novembro

Publicados

em


source

Agência Brasil

.
Reprodução: ACidade ON

Dólar termina dia com leve queda e acumula recuo de 7,2%


Em um dia de vaivém no mercado, o dólar encerrou esta sexta-feira (27) com pequeno recuo e acumula recuo de mais de 7% em novembro. A bolsa de valores também alternou altas e baixas, mas fechou o dia com leve alta e registra ganho de quase 18% no mês.


O dólar comercial fechou o dia vendido a R$ 5,326 , com recuo de R$ 0,01 (-0,18%). A cotação operou em alta ao longo de boa parte da sessão, chegando a R$ 5,37 por volta das 11h, mas não sustentou a valorização ao longo da tarde até fechar próxima da estabilidade.

A divisa fechou a semana com recuo de 1,13%. Esta foi a segunda semana consecutiva de retração do dólar, que acumula queda de 7,2% em novembro. Em 2020, a moeda subiu 32,72%.

Leia Também:  Teles cobram transparência do governo na definição da tecnologia do 5G

No mercado de ações, o índice Ibovespa, da B3, encerrou o dia aos 110.575 pontos , com alta de 0,32%. O indicador chegou a subir 1,25% perto das 13h, mas recuou durante a tarde até terminar próximo da estabilidade.

Com ganhos há quatro semanas seguidas, a bolsa subiu 4,28% nesta semana e acumula alta de 17,7% em novembro. Se fechar com estabilidade na próxima segunda-feira (30), o Ibovespa terá o melhor desempenho mensal desde outubro de 2002. Em volta a níveis anteriores ao início da pandemia de covid-19, o índice acumula queda de 4,38% no ano.

Nesta sexta-feira, o mercado foi influenciado por fatores externos. Além de progressos recentes no desenvolvimento de vacinas para a covid-19, os investidores reagiram a sinais de retomada na economia chinesa e a expectativa de que o governo de Joe Biden injete dólares na economia global.

Mais otimismo nas economias avançadas aumenta a disposição dos investidores em aplicarem em países emergentes, como o Brasil. No maior nível desde o início de março, os preços das commodities (bens primários com cotação internacional) também beneficia a economia brasileira, ao melhorar os termos de troca do país com o exterior.

Leia Também:  Black Friday: Maquiagem de preços é principal reclamação no Procon-SP

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA