Estado

Espírito Santo está há mais de dois meses sem feminicídios

Publicados

em


.

O Espírito Santo já está há mais de 60 dias sem registrar um feminicídio. De acordo com os dados da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp), desde que o dado passou a ser monitorado – em 2016, com a criação da Lei 13.104/2015 (Lei do Feminicídio) no ano anterior –, essa foi a primeira vez que esse resultado aconteceu.

O último caso ocorreu em 28 de março desse ano. No total, são oito casos no ano de 2020, contra 13 nos cinco primeiros meses do ano passado. A redução é de 38,5%. Destaque para a Região Metropolitana, com três casos registrados contra sete em 2019. Uma redução de 57,1%. A região noroeste não apresenta nenhum feminicídio em 2020.

O secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, coronel Alexandre Ramalho, acredita que o intenso trabalho das polícias, seja na parte repressiva, seja na preventiva, é o fator crucial para que se chegasse a esse período sem registro de crimes do tipo.

Leia Também:  Grupo de Trabalho que debate retorno às aulas presenciais realiza nova reunião

“Nós temos um trabalho intenso, operacional, das nossas Delegacias da Mulher e da Delegacia de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM), na Polícia Civil, as visitas tranquilizadoras da Polícia Militar, com a Patrulha Maria da Penha, além da Gerência de Proteção à Mulher da Sesp, que coordena a Casa Abrigo. Temos projetos de conscientização também como o ‘Homem que é Homem’. Cada um contribui de maneira essencial para que cheguemos a um resultado marcante como esse. Zero mortes é o dado que nós sempre buscamos”, afirmou.

Homicídios de mulheres

Em relação a homicídios de mulheres, em que são incluídas as mortes que não têm como causa a violência doméstica, a redução é de três casos, ou 7,7%, no comparativo com 2019. São 36 mortes esse ano, contra 39 no mesmo período do ano passado.

A maioria dos casos apresenta como motivação o envolvimento com o tráfico de drogas. Em relação a esse dado, todas as regiões do Estado apresentam redução, com exceção da região serrana, que tinha zero casos em 2019 e esse ano tem três, sendo dois feminicídios.

Leia Também:  Polícia Civil identifica responsáveis por crianças que aparecem maltratando gatos em vídeo

De acordo com os dados do Centro Integrado Operacional de Defesa Social (Ciodes) e das delegacias de proteção à mulher, a violência doméstica vem diminuindo no Estado desde o início do mês de abril. De janeiro a abril de 2020 foram 873 ocorrências a menos registradas em delegacias, com a tipificação violência doméstica, 366 acionamentos a menos no Ciodes e 258 denúncias a menos no Disque-Denúncia 181.

Mesmo com a pandemia provocada pela proliferação do novo Coronavírus (Covid), as Delegacias da Mulher não pararam de atender e a Polícia Civil ampliou a Delegacia Online (Deon), para o atendimento a vítimas de violência doméstica. Toda a ocorrência, inclusive com marcação de exames de corpo de delito, pode ser feita pela internet.

Atendimento à Imprensa:
Assessoria de Comunicação da Sesp
Victor Muniz
(27) 3636-1572 / 99284-3303
[email protected]

Fonte: Governo ES

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estado

Governo do Estado inicia trabalho de elaboração do projeto de restauro e modernização do Teatro Carlos Gomes

Publicados

em


.

O Teatro Carlos Gomes, no Centro de Vitória, recebeu, na última segunda-feira (29), uma visita técnica para início dos trabalhos de elaboração do projeto de restauro e modernização. Estiveram presentes, as equipes da Gerência de Memória e Patrimônio e da Gerência de Espaços e Articulação Cultural da Secretaria da Cultura (Secult), representantes do Departamento de Edificações e de Rodovias do Espírito Santo (DER-ES) e da empresa Arquistudio Arquitetura e Urbanismo, vencedora da licitação para elaboração do projeto técnico.

A elaboração do projeto de restauro e modernização do Teatro Carlos Gomes foi pactuado no último dia 23 de junho, com a assinatura da Ordem de Serviço entre o Governo do Estado, por meio do DER-ES, e a empresa vencedora do certame. A empresa tem até fevereiro de 2021 para apresentar a elaboração do todo o projeto arquitetônico. Após essa entrega, o trabalho entra em uma nova etapa com a licitação para a execução das obras. 

A visita técnica teve o objetivo de realizar os primeiros diagnósticos para o projeto arquitetônico que vai contemplar obras de melhoria no tratamento acústico, na climatização e nas instalações do teatro, além da modernização dos sistemas hidráulico e elétrico e dos equipamentos de segurança.

Leia Também:  Sesa divulga 26º boletim da dengue, zika e chikungunya no Espírito Santo

O investimento na fase de projeto é de R$ 337 mil em recursos do Estado. A gestão do contrato é de responsabilidade do DER-ES, enquanto o acompanhamento técnico da obra será feito pela Gerência de Memória e Patrimônio (GMP) da Secult e pelo Conselho Estadual de Cultura (CEC).

 O secretário de Estado da Cultura, Fabricio Noronha, destacou a relevância do projeto: “a reforma do Teatro Carlos Gomes é uma das prioridades da nossa gestão. Nosso principal palco das artes e um dos patrimônios culturais mais importantes. A etapa do projeto é muito importante, pois ele subsidiará a reforma completa, com a requalificação completa do espaço”.

Para o diretor presidente do DER-ES, Luiz Cesar Maretto Coura, a obra será um importante marco para os capixabas: “Recebemos a missão de participar do projeto e execução da obra com muita alegria. O povo capixaba merece um teatro bonito e bem estruturado e nós estamos empenhados neste importante trabalho”, afirmou. 

História do Teatro Carlos Gomes

O Teatro Carlos Gomes, o mais antigo do Espírito Santo, abriu suas cortinas pela primeira vez em 1927. A inauguração preencheu a lacuna deixada pelo Teatro Melpômene, demolido após um incêndio. Projetado pelo arquiteto italiano André Carloni, sua arquitetura de estilo neorrenascentista foi inspirada no Teatro Alla Scala, de Milão, na Itália. Administrado inicialmente pelo próprio André Carloni, a primeira peça encenada foi “Verde e Amarelo”, de José do Patrocínio e Ruy Pavão, com a Companhia da Revista Tam-Tam.

Leia Também:  Juiz esclarece aspectos do novo PL para empresas em recuperação judicial durante evento da Sedes e Findes

O Teatro Carlos Gomes foi tombado pelo Conselho Estadual de Cultura (CEC) em 1983, mantendo-se ativo na apresentação de peças e espetáculos de música e dança.O imóvel atualmente encontra-se fechado para reforma e terá previsão de reabertura após a conclusão das obras. 

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação da Secult
Aline Dias / Danilo Ferraz / Erika Piskac
(27) 3636-7111 / 99808-7701 / 99902-1627
[email protected]
[email protected]
Facebook: secult.espiritosanto
Instagram: @secult.es

 

Fonte: Governo ES

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA