Economia

Espírito Santo terá licitação para exploração de petróleo e gás

Publicados

em

Por | 29.06.2015

 

A parte marítima da Bacia do Espírito Santo terá oferta de sete blocos em águas profundas (lâmina d’água superior a 400m) na 13ª Rodada de Licitações, totalizando uma área de 5.027,44 km2. A informação foi oficializada no final da manhã desta segunda-feira (29) após reunião entre a presidente da Agência Nacional de Petróleo (ANP), Magda Chambriard, e o governador do Estado, Paulo Hartung.

 

A 13º Rodada de Licitações está prevista para ocorrer nos próximos dias 7 e 8 de outubro. O bônus de assinatura mínimo (valor a ser oferecido pelas empresas durante a rodada) exigido para esses blocos varia de R$ 22,4 milhões a R$ 73,78 milhões. A área em oferta, em águas profundas da Bacia do Espírito Santo, é considerada por especialistas como “nova fronteira”, ou seja, ainda pouco conhecida geologicamente ou com barreiras tecnológicas e de conhecimento a serem vencidas.

 

“É uma ótima notícia que estamos recebendo da ANP. O Espírito Santo viveu muito tempo à deriva do desenvolvimento nacional. A industrialização veio tardia e a indústria do petróleo e gás simboliza um novo ciclo de desenvolvimento do Estado e, neste sentido, a 13º licitação tem como expectativa bons resultados aqui no Estado e o que é relevante é que garante décadas de produção e, consequentemente, mais desenvolvimento, emprego e renda”, comemorou o governador Paulo Hartung.

Leia Também:  Auxílio emergencial: veja quem recebe até R$ 375 neste domingo

 

“Não temos uma relação de dependência absoluta com as receitas dos royalties, porém são recursos importantes para o funcionamento da máquina pública e contraprestação de serviços à população, porém queremos que esses recursos voltem a ter uma locação nobre que é no investimento estruturante e que prepare o Estado para o futuro”, frisou o governador.

 

“Estamos acreditando na concorrência e que todos os sete blocos do Espírito Santo sejam adquiridos e o Estado passe a contar com estes investimentos. Exploração envolve risco, mas esperamos coisas relevantes com campos de exploração que possam ter entre 500 e um bilhão de barris. Temos dados e estudos que sinalizam o potencial do Estado e irão permitir a consolidação de um polo logístico de gás e petróleo na região”, analisou a presidente da ANP, Magda Chambriard.

 

Produção

 

Em abril, o Estado do Espírito Santo produziu em média 350.061 barris de petróleo por dia e 9,546 milhões de metros cúbicos diários de gás natural a partir de 47 campos produtores operados por Central Resources, Shell Brasil e Petrobras. O Espírito Santo é o segundo maior produtor de petróleo do país, atrás apenas do Rio de Janeiro.

Leia Também:  Petrobras para usina com risco de "falha catastrófica" e ignora pressão do ONS

 

13ª Rodada

 

A 13ª Rodada ofertará 266 blocos exploratórios, totalizando uma área de 125.034,09 km², incluindo áreas em bacias de elevado potencial, bacias de nova fronteira e bacias maduras, que se apresentam como oportunidades para grandes, médias e pequenas empresas. A Rodada foi autorizada pela Resolução CNPE 01/2015. Do total de blocos, 182 são localizados nas bacias terrestres do Amazonas, Parnaíba, Recôncavo e Potiguar e 84 nas bacias marítimas de Sergipe-Alagoas, Jacuípe, Espírito Santo, Campos, Camamu-Almada e Pelotas. 

 

 

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Volkswagen coloca 800 funcionários em férias coletivas por falta de peças

Publicados

em


source
Fábrica da Volkswagen em Taubaté (SP)
Divulgação/Volkswagen

Fábrica da Volkswagen em Taubaté (SP)

Em meio à escassez de componentes, a Volkswagen vai colocar 800 funcionários da fábrica de Taubaté (SP), o correspondente a um turno, em novas férias coletivas. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região, a medida começa a valer na segunda-feira (27) e se estenderá por dez dias.

O motivo alegado pela montadora é a falta de insumos, sobretudo de semicondutores, que vem sofrendo oscilações no fornecimento e dificultando a produção mundial de veículos.

De acordo com o sindicato, a Volkswagen informou inicialmente que as férias coletivas seriam para 2 mil trabalhadores, mas que poderia sofrer alterações. Até o momento, a medida vale para 800 funcionários, que devem retornar no dia 7 de outubro.

Indústria automotiva enfrenta escassez de chips

O episódio marca a sexta vez no ano em que a Volkswagen concede férias coletivas aos funcionários. Ainda segundo o sindicato, também foram registrados 11 dias de paralisação e mais cinco dias de folga (ambos com utilização do banco de horas) por falta de peças.

Leia Também:  Acumulada! Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 7 milhões hoje; saiba como apostar

Em julho, a Volkswagen concedeu férias coletivas de 20 dias para o primeiro turno de sua fábrica em São Bernardo do Campo e paralisou parte de sua planta em Taubaté.

No fim de agosto, a montadora também anunciou dez dias de férias coletivas para 2 mil funcionários na fábrica de Taubaté, também por falta de peças.

O problema de abastecimento tem sido enfrentado por toda a indústria automotiva, que lida com a escassez na cadeia global de suprimentos desde o fim do ano passado.

No mesmo dia em que o Sindicato dos Metalúrgicos anunciou a medida adotada pela Volkswagen em Taubaté, trabalhadores da Fiat em Betim aprovaram um programa de suspensão temporária do contrato de trabalho devido a falta de componentes eletrônicos.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA