Estado

Entenda como está a Campanha de Vacinação contra a Covid-19 no Espírito Santo

Publicados

em

 

As primeiras doses de vacinas para o enfrentamento do novo Coronavírus (Covid-19) chegaram ao Estado no dia 18 de janeiro. No mesmo dia, o Estado deu início à imunização de trabalhadores da saúde do Hospital Estadual Dr Jayme Santos Neves, na Serra, um dos grupos prioritários.

A importância da imunização contra a Covid-19 é, segundo o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, a “principal medida de prevenção”. “Estamos otimistas e acreditando na assertividade da estratégia de imunização da população. É a principal medida de prevenção primária que permitirá vencer a pandemia e reduzir a quantidade de óbitos”.

Diante disso, a Secretaria da Saúde (Sesa) responde as dúvidas mais recorrentes e apresenta uma linha do tempo com as principais ações nesses pouco mais de 45 dias desde o início da vacinação.

Principais dúvidas:

– Quais são os públicos prioritários da Campanha de Vacinação contra a Covid-19?

O Ministério da Saúde, por meio do Programa Nacional de Imunizações, é responsável pela definição dos públicos prioritários da Campanha.

De acordo com o Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19, a priorização deste grupo segue os critérios de exposição à infecção e de maiores riscos para agravamento e óbito pela doença. Ficou definido o seguinte ordenamento do público prioritário:

– Pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas

– Pessoas com deficiência institucionalizadas

– Povos indígenas vivendo em terras indígenas

– Trabalhadores da área da saúde

– Pessoas de 90 anos ou mais

– Pessoas de 85 a 89 anos

– Pessoas de 80 a 84 anos

– Pessoas de 75 a 79 anos

– Povos e comunidades tradicionais Ribeirinhas

– Povos e comunidades tradicionais Quilombolas

– Pessoas de 70 a 74 anos

– Pessoas de 65 a 69 anos

– Pessoas de 60 a 64 anos

– Pessoas de 18 a 59 anos com comorbidades

– Pessoas com deficiência permanente

– Pessoas em situação de rua

– População privada de liberdade

– Funcionários do sistema de privação de liberdade

– Trabalhadores da educação do ensino básico (creche, pré-escolas, Ensino Fundamental, Ensino Médio, profissionalizantes e EJA)

– Trabalhadores da educação do Ensino Superior

– Forças de segurança e salvamento

– Forças Armadas

– Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros

– Trabalhadores de transporte metroviário e ferroviário

– Trabalhadores de transporte aéreo

– Trabalhadores de transporte aquaviário

– Caminhoneiros

– Trabalhadores portuários

– Trabalhadores industriais

 

– Como é feito o envio das doses e definição de quantitativo ao Estado?

Cada Estado da federação recebe o quantitativo de doses referentes ao número de pessoas daquela população prioritária. Para a primeira etapa da Campanha, o Ministério definiu como público prioritário trabalhadores da saúde; pessoas maiores de 60 anos residentes em instituições de longa permanência; pessoas maiores de 18 anos com deficiência residentes em Residências Inclusivas; indígenas aldeados; e idosos acima dos 75 anos.

Devido à escassez de doses, os Estados as têm recebido de forma gradual para os trabalhadores da saúde e os idosos.

Diferentemente das demais populações definidas para esta primeira etapa, para as quais o órgão federal encaminhou o quantitativo para imunizar 100% deles.

– Quais imunizantes utilizados no Estado? E como funciona o uso deles?

As vacinas disponibilizadas pelo Programa Nacional de Imunização aos estados são a Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan, e a Oxford-AstraZeneca, produzida na Índia, importada pelo Ministério da Saúde, e que em breve será produzida pela Fiocruz.

Leia Também:  Força tarefa do agro vai ajudar produtores com prejuízos da chuva de granizo no Espírito Santo

Ambos os imunizantes são aplicados em esquema de duas doses, com intervalo de até quatro semanas para a Coronavac e de 12 semanas para a AstraZeneca.

Cada frasco de vacinas da Coronavac contém 10 doses e que, depois de aberto para aplicação, tem validade de 8 horas. As vacinas da AstraZeneca também contêm 10 doses em cada frasco e, depois de aberto, têm validade de 6 horas.

As duas fabricantes têm tempo de durabilidade, o que permite a estabilidade do produto no intervalo de tempo, que deve ser armazenado em temperatura entre +2°C e +8°C, tanto em equipamentos de refrigeração quanto em caixa térmica, garantindo a potência imunogênica e eficácia.

– Depois de quanto tempo a pessoa está imunizada?

A imunização completa da Coronavac e da Oxford-AstraZeneca, para a proteção contra as formas graves e óbitos causados pela Covid-19, acontece em torno de 15 dias após a aplicação da segunda dose.

– Por que o Estado está escalonando idades e grupos, como para vacinação de idosos e de trabalhadores da saúde?

Devido à escassez de doses, o Estado as tem recebido de forma gradual para os trabalhadores da saúde e os idosos por parte do Ministério da Saúde. Diante deste cenário, os municípios capixabas, junto ao Estado pactuaram medidas para o escalonamento das doses a estes grupos.

Foram levados em consideração, no primeiro momento, os profissionais da linha de frente no atendimento aos casos da Covid-19 e de idosos acima de 90 anos, grupo de maior letalidade pela doença. Entretanto, com a chegada de novas remessas de vacinas, e à medida que cada grupo atinja 90% de sua população imunizada, o Estado amplia para outros grupos.

Essas pactuações foram realizadas por meio da Comissão Intergestores Bipartite ao longo de janeiro e fevereiro, sendo a mais atual a de Nº 13.

– Quando chegarão mais doses da vacina?

Em relação às datas de envio de novas doses, o Estado aguarda oficialmente a informação por parte do Ministério da Saúde para posterior divulgação.

– Como acontece a distribuição das doses no Estado?

As doses de vacinas contra a Covid-19, ao chegar no Estado, são diretamente encaminhadas à Central Estadual de Rede de Frio, da Secretaria da Saúde, para cadastramento e organização das mesmas.

Após todo processo, a Central organiza o quantitativo destinado a cada município para encaminhá-los às regionais de saúde e às cidades da Região Metropolitana.

– Qual a competência tripartite na Campanha?

Esta ação envolve as três esferas gestoras do Sistema Único de Saúde (SUS), contando com recursos da União, das Secretarias Estaduais de Saúde (SES) e das Secretarias Municipais de Saúde (SMS).

Compete ao Ministério da Saúde a aquisição das vacinas, aos Estados a aquisição dos insumos (seringas e agulhas) e aos municípios a execução da ação de vacinação.

– A vacinação ocorrerá com ações extramuro ou na Unidade Básica de Saúde?

As ações de vacinação são realizadas e definidas pelos municípios, sob orientações estabelecidas no Plano Estadual de Imunização contra a Covid-19.

Para os primeiros grupos da Campanha, muitos municípios realizaram ações extramuros, com vacinação domiciliar e dentro de unidades hospitalares.

Com a ampliação dos grupos, a vacinação passou a ser realizada nas Unidades de Saúde e em outros formatos, como, por exemplo, drive-thru.

Linha do Tempo

Leia Também:  Pacheco diz que não vai "trabalhar um milímetro" para frear a CPI da pandemia

18 de janeiro 2021

O Espírito Santo recebeu as primeiras doses para dar início à Campanha de Vacinação contra a Covid-19. Foram encaminhadas 101.320 mil doses da Coronavac.

No mesmo dia, as primeiras doses foram aplicadas em trabalhadores da saúde do Hospital Estadual Dr Jayme Santos Neves, uma das unidades referências no atendimento a casos graves da Covid-19.

19 de janeiro 2021

No dia seguinte à chegada das primeiras doses, a Central Estadual de Rede de Frio, da Secretaria da Saúde, iniciou o processo de distribuição aos municípios da Região Metropolitana de Saúde e às Regionais Sul, Central e Norte. A partir desse processo, os municípios puderam iniciar a vacinação em seus territórios.

24 de janeiro 2021

O Estado recebeu a segunda remessa de doses de vacinas para a Campanha contra a Covid-19. Neste momento, foram encaminhadas 35.500 mil doses do imunizante Oxford-AstraZeneca.

25 de janeiro 2021

No dia 25 de janeiro o Estado recebeu a terceira remessa de vacinas, sendo 16.200 mil doses da Coronavac.

26 de janeiro 2021

O Governo do Estado criou o Painel de Vacinação, para dispor os dados sobre a vacinação contra a Covid-19 no Espírito Santo.

Além dos números atualizados, a página conta com um painel interativo com detalhes sobre a imunização, como o total de doses enviadas para cada município, a distribuição por grupo prioritário, percentual de cobertura alcançado em cada grupo. Recentemente, foram acrescidas as segundas doses aplicadas e a disponibilização do link para acompanhar as doses aplicadas por cada município, detalhadas no site do Ministério da Saúde https://localizasus.saude.gov.br/.

04 de fevereiro 2021

Com a garantia de receber uma nova remessa de vacinas nos dias seguintes próximos, o Governo do Estado antecipou a vacinação de idosos acima de 90 anos, com as doses que estavam guardadas para a segunda aplicação dos grupos que já haviam sido imunizados anteriormente.

07 de fevereiro 2021

Espírito Santo recebeu a quarta remessa de vacinas, sendo 54.400 mil doses da Coronavac.

17 de fevereiro 2021

O Estado antecipou aos municípios a vacinação da população idosa com mais de 85 anos. A antecipação ocorreu devido a garantia de envio de novas doses para as semanas seguintes.

18 de fevereiro 2021

A aplicação da segunda dose da vacina contra o novo Coronavírus (Covid-19) no Espírito Santo teve início no dia 18 de fevereiro para o grupo prioritário que recebeu a vacina da Coronavac.

24 de fevereiro 2021

O Estado recebeu a quinta remessa de doses, sendo 38 mil de vacinas da AstraZeneca e 23 mil da Coronavac.

25 de fevereiro 2021

Governo realizou a antecipação da vacinação dos idosos de 80 a 84 anos. Na última remessa de vacinas, o Ministério da Saúde encaminhou o quantitativo de 24% de doses para imunizar este público, entretanto o Estado conseguiu ampliar para 50%.

03 de março 2021

O Espírito Santo recebeu mais uma nova remessa de vacinas da Coronavac (Sinovac/Butantan) para a Campanha de Vacinação contra a Covid-19 na quarta-feira (03). Foram entregues ao Estado 48.200 doses.

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação da Sesa
Syria Luppi / Kárita Iana / Paula Lima / Luciana Almeida / Thaísa Côrtes / Danielly Schulthais
[email protected]

Fonte: Governo ES

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estado

Governador visita novos leitos Covid abertos no Hospital Materno Infantil Menino Jesus

Publicados

em

 

O governador do Estado, Renato Casagrande, esteve, na tarde desta segunda-feira (12), no município de Itapemirim para a entrega dos novos 10 leitos de UTI exclusivos para tratamento de pacientes com o novo Coronavírus (Covid-19) no Hospital Materno Infantil Menino Jesus (HMJ). A ação faz parte do programa “Leitos para Todos”, que visa a melhoria da assistência à saúde em todo o Espírito Santo.

“Estamos abrindo 10 leitos de UTI e vamos abrir mais seis leitos de enfermaria exclusivos para tratamento da Covid-19 aqui em Itapemirim. Continuamos com o trabalho de abrir mais 500 leitos neste mês de abril. Estamos realizando uma abertura robusta de leitos no Espírito Santo. Abrimos recentemente leitos em Cachoeiro de Itapemirim, São José do Calçado, Guaçuí e Castelo. Mesmo assim continuamos com mais de 90% de taxa de ocupação. Gostaria de registrar o meu agradecimento a todos os profissionais de saúde”, afirmou Casagrande.

O Hospital Menino Jesus é credenciado à rede materno infantil, sendo referência para os municípios de Itapemirim, Anchieta, Marataízes, Alfredo Chaves, Iconha, Rio Novo e Piúma. Com a abertura desses novos leitos, a unidade passa a atender demandas por agravos do novo Coronavírus.

Leia Também:  Projeto dos CRJs é apresentado a representantes da Prefeitura de Aracruz

De acordo com o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, a parceria firmada em Itapemirim é a quarta linha na estratégia de ampliação de leitos. “Hoje realizamos a parceria de ampliar a oferta de leitos na rede municipal, que tem se mostrado uma experiência muito exitosa na estratégia de ampliar o acesso da população à oferta de leitos para tratamento da Covid-19”, pontuou.

Também participaram da visita aos novos leitos, o prefeito de Itapemirim, Thiago Peçanha Lopes, e os deputados estaduais Dr. Rafael Favatto e Coronel Alexandre Quintino.

Leitos para Todos

O Programa Estadual “Leitos para Todos” foi instituído pelo Governo do Espírito Santo em abril de 2020, por meio da Portaria Nº 071-R, como estratégia de qualificação e reestruturação da rede de atenção à saúde e fortalecimento do papel da regulação do Estado, com o objetivo de garantir o acesso à atenção hospitalar a todos os pacientes que desenvolverem formas graves da Síndrome Respiratória Aguda Grave, entre elas, o novo Coronavírus (Covid-19).

Deste modo, a Secretaria da Saúde (Sesa) estruturou uma ampla reforma nas áreas físicas das unidades hospitalares próprias e também um processo de contratualização de leitos em hospitais filantrópicos, federais e privados.

Leia Também:  Barroso manda Senado abrir "CPI da Covid" para investigar ações do governo

Diariamente, o Governo do Estado atualiza os dados da ocupação de leitos hospitalares do Sistema Único de Saúde (SUS) capixaba, disponível no link: https://coronavirus.es.gov.br/painel-ocupacao-de-leitos-hospitalares

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação do Governo
Giovani Pagotto
(27) 98895-0843

Assessoria de Comunicação da Sesa
Syria Luppi / Kárita Iana / Paula Lima / Luciana Almeida / Thaísa Côrtes / Danielly Schulthais
[email protected]

Fonte: Governo ES

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA