Cidades

Empresa de engenharia anuncia investimento de R$ 180 milhões e 700 empregos diretos em Presidente Kennedy

Publicados

em

A Marobá Engenharia anunciou nesta quarta-feira(11) um investimento de R$ 180 milhões em Presidente Kennedy nos próximos 10 anos. A empresa vai preparar o material, visando atender a construção do quebra-mar do Porto Central e outras empresas no município.

A obra servirá para conter a corrente marítima e facilitar o acesso dos navios na área de manobra e de atracagem.

Segundo engenheiro responsável, Wander José Nepomuceno, serão construídos três quilômetros de quebra-mar. “O projeto inicial é de construir 1.200 metros no sentido norte e mais 1.800 metros no sentido sul, sendo necessários sete milhões toneladas de pedras ou blocos”.

Ainda segundo Nepomuceno, 700 empregos devem ser gerados com os investimentos feitos pelo Consórcio.

A empresa, que faz parte do Consórcio Bem-te-vi, terá sua Sede em Presidente Kennedy e já adquiriu várias áreas no município com prospecção para a extração das rochas necessárias.

O maquinário necessário já está chegando e a previsão é de que os trabalhos iniciem na semana que vem.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  INSS: moradores do Amapá tem pagamento de benefícios antecipado
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Marco do saneamento e Tribunal de Contas exigem cobrança de taxa do lixo, explica Prefeitura de Cachoeiro

Publicados

em

Municípios brasileiros que não cobram taxa de coleta e destinação de resíduos sólidos e tarifa de limpeza urbana precisarão criar esses tributos até julho de 2021. É o que estabeleceu o novo marco regulatório do saneamento básico (lei federal nº 14.026), que entrou em vigor em julho deste ano.

Cachoeiro de Itapemirim é uma das cidades que terão que se adequar à nova legislação federal, que busca, com a medida, garantir sustentabilidade financeira a esses serviços prestados nos municípios. O não cumprimento dessa exigência configura renúncia de receita, que, nesse caso, pode gerar punições para os gestores públicos.

Além dessa obrigatoriedade, Cachoeiro também precisa atender a uma determinação do Tribunal de Contas do Estado Espírito Santo, para que a administração municipal encaminhe projeto de Lei à Câmara Municipal, até o fim deste ano, para instituir a taxa de coleta e destinação de resíduos sólidos.

A determinação consta do Acórdão 00596/2019-9, onde o órgão de controle aponta que a cobrança da taxa é constitucional, está contemplada na Lei de Responsabilidade Fiscal e é um dever do município.

Leia Também:  Mais famílias de Cachoeiro receberão Cartão Reconstrução na terça-feira (24)

Diante das exigências, a Prefeitura de Cachoeiro está elaborando o projeto de lei para criação da Taxa de Coleta e Destinação Final de Resíduos Sólidos e Tarifa de Limpeza Urbana.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA