Política

Elétron: comissão vai à Justiça contra construtora

Publicado em

A Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa (Ales) ingressou nesta quarta-feira (13) com uma Ação Civil Pública (ACP) na Justiça contra uma construtora que utilizou fiação elétrica irregular da fabricante Luzzano. A medida é um desdobramento da Operação Elétron, que identificou a produção, comercialização e utilização de fios e cabos elétricos irregulares. O material estava sendo usado em residências e até órgãos públicos.

A construtora, responsável por empreendimentos imobiliários na Grande Vitória, teria se recusado a realizar a troca da fiação irregular, o que pode representar riscos aos consumidores. O assunto foi tratado em reunião realizada na Ales no mês de maio.

O deputado Vandinho Leite (PSDB), presidente da comissão da Ales que atua no caso, explica que o consumidor final, que adquiriu uma das unidades da empresa do ramo da construção civil, não pode ser responsabilizado pela compra da construtora. “Lógico que a Luzzano é a maior culpada, pois fabricou e vendeu fiação irregular, que encarece a conta de luz e pode pegar fogo; mas as empresas que fizeram a compra têm o dever de substituir a fiação para não repassar o problema ao consumidor, que não tem nada a ver com isso”, disse Vandinho.

Leia Também:  Atuação de farmacêuticos em debate na Saúde

O parlamentar avalia que a construtora deve ser responsabilizada por comprar material fora dos padrões. “A Kemp não pode jogar no colo dos seus clientes, pois a empresa tem culpa ao comprar um material fora dos padrões. Como pode uma grande construtora não perceber as irregularidades visíveis nos fios? Além disso, caso se sinta lesada, a Kemp tem o direito de resolver na justiça junto a Luzzano, e até lá, não podemos deixar consumidores correrem risco de morte. A Kemp comprou fiação irregular e precisa substituir sem nenhum custo extra para os consumidores finais”, alerta Vandinho.

O parlamentar ainda reforça que a fiação irregular da fabricante Luzzano estava aumentando artificialmente o consumo de energia dos consumidores em cerca de 30% e poderia até causar incêndios nas construções onde foi utilizada.

Operação Elétron

Deflagrada pela Delegacia de Defesa do Consumidor da Polícia Civil (PCES), em parceria com a Comissão de Defesa do Consumidor da Ales e com o Instituto de Pesos e Medidas do Espírito Santo (Ipem-ES), a operação teve início em agosto de 2021, e fechou uma fábrica na Serra que produzia e vendia fiação da Luzzano. Na ocasião, o dono da fábrica foi preso. As investigações foram comandadas pelo delegado Eduardo Passamani e  revelaram que quatro condomínios da Grande Vitória fizeram uso da fiação da marca Luzzano.

Leia Também:  Segurança: salários de servidores em pauta

“Este é um desfecho da operação em que se tinha uma fábrica no município da Serra, fabricando fios com pequena quantidade de cobre, ou seja, com matéria-prima muito menor do que as especificadas, e nós temos laudos conclusivos do Ipem e outros órgãos, falando claramente sobre o aumento do consumo, ou seja, aumento do valor das contas de energia e também risco de incêndio iminente. Estes fios foram usados em diversas construções, inclusive em condomínios”, disse Vandinho.

Fonte: Assembléia Legislativa do ES

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Cidades

Prefeito de Marataízes exonera quatro secretários municipais e mais 15 comissionados

Published

on

O prefeito em exercício de Marataízes, Jaiminho Machado, exonerou, em uma canetada só, quatro secretários municipais.

A lista foi publicada no diário oficial desta sexta-feira (12).

Além deles, consta na lista João Antonio Neto, o Joãozinho, gerente de gestão, que estava lotado no gabinete e também já exerceu cargo em primeiro escalão.

Em importância menor dentro da escala administrativa, também foram exoneradas outras 15 pessoas, entre diretores e outros.

Todos os nomes exonerados foram nomeados pelo então prefeito afastado Tininho Batista e eram colaboradores desde o seu primeiro mandato como prefeito.

Um dos secretários exonerados é Robson Abreu Silva que respondia por três secretarias.

Confira os secretários exonerados:

ANDERSON GOUVEIA DE OLIVEIRA – SECRETÁRIO MUNICIPAL DE DEFESA SOCIAL E SEGURANÇA PATRIMONIAL

ROBSON SEYR – SECRETÁRIO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER

ANTÔNIO CARLOS SADER SANT’ANNA –  SECRETÁRIO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE

ROBSON ABREU SILVA – SECRETÁRIO MUNICIPAL DE PESCA E AQUICULTURA

ROBSON ABREU SILVA – SECRETÁRIO MUNICIPAL DE INFRAESTRUTURA DE INTERIOR

Leia Também:  Em inauguração do SAMU 192, Thiago Peçanha destaca a força do povo de Itapemirim e manda recado político

ROBSON ABREU SILVA – SECRETÁRIO MUNICIPAL DE AGRICULTURA, AGROPECUÁRIA E ABASTECIMENTO

JOÃO ANTONIO NETO – GERENTE DE GESTÃO ADMINISTRATIVA

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA