Política Nacional

Eleições: chefe do Estado-Maior do Exército pede voto ‘consciente’

Publicados

em

General Valério Stumpf Trindade
Reprodução

General Valério Stumpf Trindade

O chefe do Estado-Maior do Exército , Valério Stumpf, afirmou nesta quinta-feira que a população precisa votar de forma “consciente” para auxiliar no “desenvolvimento social e econômico” do Brasil. 

O apelo ocorreu durante um discurso para oficiais-generais recém-promovidos, em Brasília. No mesmo evento, ele também destacou a participação das Forças Armadas no sistema de votação, foco de uma disputa entre o presidente Jair Bolsonaro e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O titular do Palácio do Planalto vem defendendo enfaticamente a necessidade de os militares participarem de forma mais ativa do processo eleitoral, inclusive com sugestões para, supostamente, melhorar o funcionamento das urnas eletrônicas. Bolsonaro, reiteradamente, levanta suspeitas infundadas a respeito das urnas, sem jamais ter apresentado qualquer prova que indique vulnerabilidade do sistema.

“Todos nós, brasileiros, teremos em nossas mãos o mais poderoso e legítimo instrumento da democracia, o voto, para decidirmos os destinos de nosso Brasil. Vamos usá-lo de forma consciente para que juntos possamos avançar no desenvolvimento social e econômico do país”, discursou o general, sem citar nenhum candidato.

Leia Também:  Bolsonaro é denunciado à OEA por ameaças à liberdade de expressão

Noutro momento, Stumpf ressaltou ainda que os militares compõem a Comissão de Transparência Eleitoral, e que também vão atuar no transporte de urnas em áreas remotas do país.

“Em breve, o Exército e, por certo, os novos generais estarão empenhados em um momento especial para a Nação brasileira: as próximas eleições. Faremos, como sempre, em apoio à Justiça Eleitoral, o transporte de urnas e a segurança dos locais de votação em muitos rincões de nosso país. Técnicos das Forças Armadas estão, este ano, por solicitação do Tribunal Superior Eleitoral, atuando na Comissão de Transparência das eleições, com o objetivo de fortalecer ainda mais nosso processo eleitoral.”

O general ainda afirmou que o Exército está “firmemente comprometido com suas missões constitucionais”.

“Esse é o Exército Brasileiro, o braço forte que protege e a mão amiga que apoia, firmemente comprometido com suas missões constitucionais.”

Leia Também:  Fenaj e Abraji repudiam ataques de Eduardo Bolsonaro a Miriam Leitão

Bolsonaro não estava presente no evento. Participaram os ministros Paulo Sérgio Nogueira (Defesa), e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional). À tarde, os novos generais serão recebidos no Palácio do Planalto.

O presidente tem colocado em dúvida a confiabilidade das urnas eletrônicas, mas sem apresentar provas de fraudes, e tem utilizado manifestações do Ministério da Defesa para embasar seus questionamentos.

Na quarta-feira, técnicos da Defesa iniciaram a análise dos códigos-fonte das urnas eletrônicas que serão usadas nas eleições de outubro deste ano. 

A inspeção do material ocorreu dia após a pasta encaminhar um ofício “urgentíssimo” cobrando o agendamento de uma data para que a realização da vistoria fosse feita. Entretanto, a possibilidade de analisar o código-fonte está aberta às entidades fiscalizadoras desde outubro de 2021.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Política Nacional

Em manifesto, OAB diz confiar no sistema eleitoral brasileiro

Publicados

em

Sede da OAB Nacional
Reprodução – 08.08.2022

Sede da OAB Nacional

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Beto Simonetti, leu nesta segunda-feira o manifesto da entidade em defesa da democracia, no qual prega o respeito à soberania do voto popular e elogia o sistema eleitoral e a Justiça Eleitoral brasileira. O texto não faz menção ao presidente Jair Bolsonaro, que costuma atacar sem provas as urnas eletrônicas usadas no Brasil e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). No manifesto, lido durante sessão do Conselho Pleno da OAB, ele tentou afastar a entidade do jogo partidário, dizendo que ela não é defensora nem apoiadora de governo, partidos e candidatos.

“Defendemos e protegemos a democracia. Temos orgulho e confiança no modelo do sistema eleitoral de nosso país, conduzido de forma exemplar pela Justiça Eleitoral. O Brasil conta com a OAB para zelar pelo respeito à Constituição, afastando os riscos de rupturas democráticas e com preservação das instituições e dos poderes da República. Esse é o compromisso verdadeiro da Ordem dos Advogados do Brasil, de sua diretoria nacional, de seus conselheiros federais, do colégio de presidentes seccionais, e de membros honorários vitalícios. Viva o Brasil, viva a democracia brasileira”, disse o presidente da OAB.

Leia Também:  PDT tem dificuldade de formar palanques para Ciro Gomes

Ele também afirmou que a OAB continuará cumprindo suas missões, como representar a advocacia e defender o Estado Democrático de Direito, os direitos e garantias individuais, o modelo federativo, a divisão e a harmonia entre os poderes da República, e o voto secreto, periódico e universal.

“O papel da OAB nas eleições é como representante da sociedade civil, acompanhar o processo junto Tribunal Superior Eleitoral e demais órgãos. Pugnamos por eleições limpas, livres, com a prevalência da vontade expressa pelo eleitorado por meio do voto, o que vale para todos os cargos em disputa. A OAB não é apoiadora ou opositora de governo, partidos e candidatos. Nossa autonomia crítica assegura que dignidade e força para nossas ações de amparo e intransigente defesa ao Estado Democrático de Direito”, afirmou Simonetti.

Antes de ler o manifesto, ele chamou atenção para o ambiente político conflagrado atualmente e disse que a sociedade brasileira tem sofrido muito com isso. Afirmou também que outros manifestos em defesa da democracia terão o apoio da OAB, mas desde que afastados das “paixões partidárias”. E destacou que a OAB vai manter a distância necessária de qualquer paixão política.

Leia Também:  Datafolha: gestão de Eduardo Paes é reprovada por 36% dos cariocas

“Concordamos com o teor de todos os manifestos desde que não se confundam com as paixões partidárias. Todos os manifestos que tenham o único condão de defender a democracia, a soberania do voto popular, o Estado Democrático de Direito, estaremos aliados e na mesma página da história”, disse Simonetti.

Entre no canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA