Política Nacional

Eduardo Bolsonaro vê ‘momento de ruptura’ com inquérito do STF

Publicados

em


source
Eduardo Bolsonaro
undefined

Eduardo Bolsonaro fez críticas ao STF em live

O deputado Eduardo Bolsonaro criticou, durante live com apoiadores de Bolsonaro, dois inquéritos do Supremo Tribunal Federal e afirmou que é necessário punir o ministro Alexandre de Moraes por abuso de autoridade.

Ele disse também que o momento é de “ruptura” e afirmou que a questão não é de “se”, mas, sim, de “quando” isto vai ocorrer, se referindo ao  inquérito das fake news.

“Eu entendo essas pessoas que querem evitar esse momento de caos. Mas falando bem abertamente, opinião do Eduardo Bolsonaro, não é mais uma opinião de ‘se’, mas de ‘quando’ isso vai ocorrer”, afirmou.

Leia mais:  Alvo de operação, Sara Winter chama ministro do STF de “covarde”

Eduardo Bolsonaro também  comentou a necessidade de tomar medidas mais enérgicas sobre o que está acontecendo. “Quando chegar ao ponto em que o presidente não tiver mais saída e for necessária uma medida enérgica, ele é que será taxado como ditador”, disse.

Leia Também:  Maia fará teste para saber se tem anticorpos contra o novo coronavírus

O filho do presidente falou sobre as críticas que seu pai recebe desde antes da eleição, que o criticam por atitudes extremistas.

Saiba mais:  Carlos Bolsonaro diz que operação contra fake news é “política e ideológica”

“Vale lembrar que, antes do Bolsonaro assumir, falavam que ocorreriam tempos sombrios, perseguição a negros, a pobres, a gays, às mulheres, etc. Pergunta que eu faço: quantas imprensas fecharam no Brasil devido a ordem do presidente? Zero. Quantos presos políticos existem no Brasil? Zero. E a gente está vendo aqui uma iniciativa atrás da outra para esgarçar essa relação”, comentou. 

Eduardo também criticou o pedido de apreensão do celular do presidente, apresentado por parlamentares da oposição e encaminhado pelo STF à procuradoria geral da República.

“É de praxe que nenhum processo se inicie pelas mãos de um juiz, como a gente tá vendo agora no STF”, afirmou, e acrescentou que há uma “confusão nos papéis”.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política Nacional

Covid-19: Presidência da República registra 108 casos entre servidores

Publicados

em


source
planalto
Divulgação/SGPR

Segundo governo, número representa 3,8% dos servidores do órgão


A Secretaria-Geral da Presidência da República informou, nesta terça-feira (7), por meio de nota, que 108 servidores da Presidência foram diagnosticados com a Covid-19 . O número representa 3,8% dos quase 3,4 mil funcionários que atuam no órgão. A maior parte desses trabalhadores atua no Palácio do Planalto , sede do Poder Executivo federal.


“Não houve mortes e mais de 90% desses casos foram assintomáticos ou apresentaram apenas sintomas leves”, informa a nota da Secretaria-Geral. Ao todo, 77 servidores já estão recuperado s e 31 casos seguem em acompanhamento . A atualização foi feita, segundo governo, no último dia 3 de julho.

A Presidência também informou, na nota, que tem repassado orientações médicas relacionadas ao combate ao novo coronavírus aos servidores que atuam no órgão e que adotou rodízio entre funcionários da casa, além de ter implementado trabalho remoto para os grupos mais vulneráveis.

Leia Também:  Relembre todas as vezes que Bolsonaro desmentiu que estava com Covid-19

“Com a aquisição adicional de dispenser para álcool em gel para todas as dependências do Palácio do Planalto, seus Anexos e adjacências, para assepsia de servidores, colaboradores e visitantes, temos hoje 494 unidades estrategicamente distribuídas. Também foram intensificados os procedimentos de limpeza das áreas comuns, especialmente dos banheiros e das salas dos servidores, mediante a utilização de produtos à base de cloro e álcool, os quais contaram com o aporte de equipamentos tecnológicos de última geração, a exemplo de lavadoras sanitizadoras e secadoras especiais para carpete, que possibilitam maior aproveitamento dos insumos de higienização, bem como a redução da intervenção humana no processo de limpeza”, diz a nota.

A Secretaria-Geral acrescentou não há orientação para o afastamento de funcionários que tenham tido contato com pessoas com a Covid-19, a não ser que apresentem sintomas de uma possível infecção.

“Não há protocolo médico, seja do Ministério da Saúde ou da OMS [Organização Mundial da Saúde], que recomende medida de isolamento pelo simples contato com casos positivos. A orientação que damos aos servidores é procurar assistência médica quando apresentarem sintomas relacionados à Covid-19, para avaliar necessidade de testagem. Nos casos considerados suspeitos, os servidores são orientados a ficar em casa até o resultado do exame”.

Leia Também:  Senado planeja a realização de sessões presenciais em agosto

Ainda de acordo com a nota, não há previsão ou orientação para o r etorno dos servidores que estão em trabalho remoto e a Presidência da República seguirá as normas previstas na Instrução Normativa nº 19, do Ministério da Economia, que regulamentou as medidas proteção em órgãos públicos federais.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA