Política

Doação de órgãos: recusa de famílias é desafio

Publicados

em


Setembro é o mês dedicado à conscientização sobre a importância de doar órgãos e um dos maiores desafios para quem espera na fila dos transplantes é a recusa das famílias. A afirmação é da coordenadora da Central Estadual de Transplantes, Maria dos Santos Machado, que apresentou a situação para a Comissão de Saúde durante reunião desta terça-feira (14).

A gestora informou que a pandemia do novo coronavirus agravou a situação e explicou que, nos últimos dois anos, a resistência dos capixabas aumentou consideravelmente. Em 2019, segundo Machado, 59% dos entrevistados no Espírito Santo não permitiram que outras pessoas recebessem córneas, fígado, rim, pulmão ou coração de parentes falecidos. No Brasil, esse total não passou de 42%. No último ano, a média nacional fechou em 36% contra 57% no estado. 

Ela afirmou que a lista de espera no estado conta com 1.537 pessoas e, até agosto de 2021, foram realizadas 62 entrevistas das quais 29 resultaram em negativas e apenas 23 doadores foram efetivamente captados. 

“É um momento delicado, considerando que a família enfrenta impacto emocional que gera resistência, por causa de sua perda, dificultando a tomada de decisão. Há desconhecimento da vontade prévia do  potencial doador; dúvidas com relação ao diagnóstico, desconhecimento familiar do sistema de alocação, entrevista familiar inadequada, dificuldades com a equipe hospitalar que assistiu ao doente, motivação religiosa, mitos e desejo de sepultar o corpo íntegro”, declarou. 

Leia Também:  Solene: 150 anos dos batistas no Brasil

Humanização do atendimento

Transplantado há sete anos, o subsecretário de Estado da Saúde, José Tadeu Marino, abordou a necessidade de criar mais políticas públicas que fomentem a cultura do transplante e de priorizar investimentos em acolhimento e humanização da rede pública de saúde. 

“A espera é muito ruim tanto para o paciente quanto para a família. Quem está na fila de transplante sabe quais são as probabilidades que enfrenta e a família sofre demais! É fundamental investir maciçamente em equipes cada vez mais qualificadas para que as pessoas sintam que não são procuradas apenas para serem doadoras”, disse o gestor. 

O vice-presidente do colegiado, deputado Dr. Emílio Mameri (PSDB), acredita que a humanização do atendimento é uma das ferramentas necessárias para melhorar o sistema de saúde. “ Se a pessoa não é bem recebida, acolhida, ela já entra em estado de defesa contra a instituição. Se melhorarmos o atendimento, teremos mais facilidade de desenvolver esse trabalho”, pontuou Mameri. 

Setembro Verde

O presidente da Comissão de Saúde, deputado Doutor Hércules (MDB) é o autor da Lei 10.374/2015, que institui o “Setembro Verde” como mês de conscientização sobre a doação de órgãos. A escolha do mês levou em conta o Dia Nacional da Doação de Órgãos e Tecidos, celebrado em 27 de setembro. O objetivo é conscientizar sobre a importância da doação, derrubar preconceitos estabelecidos na população e ainda estimular políticas públicas. 

Leia Também:  Implantação do novo ensino médio em debate

“As pessoas deixam de doar por falta de informação adequada. Temos que investir em campanhas de conscientização e esclarecer que doar os órgãos de um ente querido é um ato que salva muitas vidas. Avise a sua família”, disse o deputado. 

Hospitais 

O Espírito Santo conta com sete centros habilitados para a realização de transplante, sendo cinco deles conveniados ao Sistema Único de Saúde (SUS) e quatro particulares: 

  • Hospital Meridional: coração, fígado e rins;
  • Hospital Evangélico de Vila Velha: coração, rim e córnea;
  • Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes (Hucam): córnea;
  • Centro de Cirurgia Ocular do Espírito Santo (Cecoes): córnea (procedimento por convênio particular);
  • Instituto de Olhos do Espírito Santo (IOES): córnea (procedimento por convênio particular);
  • Instituto Oftalmológico Santa Luzia: córnea (procedimento por convênio particular);
  • Hospital Mata da Praia: córnea (procedimento por convênio particular).

O Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes (Hucam) e o Hospital Evangélico de Vila Velha realizam captação de córneas na Grande Vitória e no interior.  
 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Solene: 150 anos dos batistas no Brasil

Publicados

em


Os 150 anos de fundação da Igreja Batista Brasileira foi objeto de homenagem pela Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales) em sessão solene nesta sexta-feira (17), no Plenário Dirceu Cardoso. A cerimônia foi conduzida pelo presidente da Casa, deputado Erick Musso (Republicanos), que propôs a homenagem. 

Trinta e cinco pastores e fiéis receberam placas e certificados. No início da cerimônia, dois grupos musicais fizeram apresentações, o coral da Cristolândia e o grupo Madrigal da Primeira Igreja Batista de Vitória. 

O presidente da Casa discursou: “O que seria de nós, a sociedade capixaba, brasileira e do mundo, sem a igreja, sem a religião? Eu jamais poderia deixar de fazer esse momento simbólico e de reconhecimento a tudo o que os batistas têm feito nesse um século e meio. Enquanto estiver presidente desta Casa eu farei menção e louvor ao Senhor. Parabéns, Igreja Batista Brasileira”, disse.

Já o presidente da Convenção Batista do Estado do Espírito Santo (CBEES), pastor Lemim Vieira Lemos, destacou a importância do momento para a Igreja Batista. “O que nós podemos fazer nessa comemoração é agradecer a Deus. Vivemos num mundo de controvérsia em que se agiganta a fé que incorpora o nosso pensamento, o pensamento batista. A extensão social é uma de nossas preocupações”, finalizou, se referindo à ação espiritual e material pelos mais necessitados. 

Batistas no Brasil

Os primeiros imigrantes batistas chegaram ao Brasil na década de 1870, vindos dos Estados Unidos, especificamente da parte sul daquele país, palco de violenta guerra civil (1861-1865) entre o norte e o sul por razões econômicas e divisão do território. Os novos imigrantes se instalaram no interior do estado de São Paulo.

Leia Também:  Situação financeira do ES em pauta na segunda

O primeiro templo batista foi fundado em 10 de setembro de 1871, na antiga Vila dos Americanos, depois município de Americana, a 120 quilômetros da capital paulista, pelo pastor Richard Ratcliff. A religião batista remonta ao início do século 17, fundada em Londres por Thomas Helwys, protestante e dissidente da Igreja Católica.

O primeiro templo no Espírito Santo data de 1903, fundado no município de Brejetuba. No estado, existem cerca de 700 igrejas, em todos os municípios, com cerca de 80 mil fiéis e pouco mais de mil pastores. No Brasil, são aproximadamente 14 mil templos e três milhões de seguidores.

Composição da mesa

A mesa de trabalho foi composta pelo deputado Erick Musso, presidente da Ales; presidente da CBEES, pastor Lemim Vieira Lemos; diretor-executivo da Convenção Batista Brasileira, pastor Sócrates de Oliveira Souza; diretor-executivo da CBEES, pastor Diego Juliano Bravin; pastor da Primeira Igreja Batista de Vitória, Doronézio Pedro de Andrade; prefeito de Vitória, Lorenzo Pazolini; vereador e presidente da Câmara de Vitória, Davi Esmael; e presidente da Convenção Batista Brasileira, pastor Fausto Vasconcellos de Aguiar (participação virtual). Todos fizeram uso da palavra.

Leia Também:  Implantação do novo ensino médio em debate

Homenageados com placas

  1. Pastor Lemim Vieira Lemos;
  2. Pastor Diego Juliano Bravin;
  3. Pastor Sócrates de Oliveira Souza;
  4. Pastor Fausto Vasconcellos de Aguiar 
     

Homenageados com certificados

  1. Fabíola Molulo Tavares;
  2. Pastor Antônio Jorge dos Santos;
  3. Leonardo Azevedo Rodrigues;
  4. Noemi Nantes Borges;
  5. Denis Gley Lourenço Castelo;
  6. Pastor Ismael Anderson Gomes da Silva;
  7. Pastor Tiago Lopes Pedro;
  8. Pastor Márcio da Silva Soares 
  9. Pastor Doronézio Pedro de Andrade;
  10. Pastor Washington Pereira Viana;
  11. Pastor Luciano Estevam Gomes;
  12. Pastor Ednan Santos Dias da Silva;
  13. Pastor Evaldo Carlos dos Santos;
  14. Pastor Walter Aguiar da Silva;
  15. Pastor Antônio Luís Marques Ferreira 
  16. Pastor Joel Félix da Silva;
  17. Pastor Oliveira de Araújo (in memoriam);
  18. Pastor Enilton de Souza Araújo;
  19. Pastor Joarês Mendes Freitas
  20. Pastor Benedito Aurora (in memoriam);
  21. Pastor João Brito Costa Nogueira;
  22. Pastor Roberto de Oliveira;
  23. Pastor Dylmo Pereira Castro;
  24. Pastor José Borges;
  25. Pastor Luiz Jubrael;
  26. Pastor Samuel Cardoso Machado;
  27. Pastor Eliú Faria;
  28. Pastor Derli Baiense Moreira;
  29. Pastor Ary Machaet (in memoriam);
  30. Addison Caio Magalhães Cintra;
  31. Pastor Orivaldo Pimentel Lopes (in memoriam).
     

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA