Política Nacional

Do PSL para PP: Líder do governo na Câmara é substituído por nome do Centrão

Publicados

em

 

 

source
Ricardo Barros
Marcos Oliveira/ Agência Senado

Ricardo Barros foi ministro de Temer

O deputado federal Major Vitor Hugo (PSL-GO) será substituído pelo deputado Ricardo Barros (PP-PR), um nome do Centrão , no cargo de  líder do governo Bolsonaro na Câmara dos Deputados. A informação foi divulgada na tarde desta quarta-feira (12) pelo Twitter de Barros.

“Agradeço ao presidente Jair Bolsonaro pela confiança do convite para assumir a liderança do governo na Câmara dos Deputados”, afirmou o novo líder do governo .

O deputado do Centrão afirmou que terá a “responsabilidade de continuar o bom trabalho do Líder Vitor Hugo , de quem certamente terei colaboração”. “Deus me ilumine nesta missão”.

Atual líder do governo e fiel aliado do presidente, Major Vitor Hugo afirmou que foi informado por Bolsonaro na semana passada, segundo disse ao jornal O Estado de S. Paulo .

O nome do Centrão deve ser oficializada no dia 18 deste mês, na próxima terça-feira, segundo informou o jornal. Ele, no entanto, já participa de uma reunião no Palácio do Planalto, com ministros e líderes, nesta quarta-feira (12).

Leia Também:  Após 11 anos na emissora, Roberto Cabrini é dispensado pelo SBT

Ricardo Barros é engenheiro, foi ministro da saúde de Michel Temer, entre 2016 e 2018, e prefeito do município paranaense de Maringá, entre 1989 e 1992.

Veja a publicação do novo líder do governo :

 

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política Nacional

Witzel cita Tiradentes e diz que é “perseguido” na Alerj

Publicados

em


source
Wilson Witzel%2C governador do Rio de Janeiro
Reprodução/Tv Alerj

Wilson Witzel é julgado por suposta prática de corrupção na Saúde

O governador afastado do Rio de Janeiro,  Wilson Witzel (PSC), fez seu discurso de defesa por videoconferência na Assembleia Legsialtiva do Rio de Janeiro  (Alerj) nesta quarta-feira (23) e citou  Tiradentes ao dizer que é “perseguido” pelo deputados que votarão pelo seu impeachment.

“Estou sendo linchado moralmente e politicamente sem ter o direito de me defender”, inciou Witzel ao criticar também a “injustiça” da qual está sendo alvo.

“Tiradentes que foi delatado, vendido, morreu enforcado e as partes do seu corpo foram jogadas em praça pública para servir de exemplo para a tirania. A tirania escolhe suas vítimas e as expõem para que outros não mais se atrevam”, afirmou o governador afastado.

Leia Também:  Eleições: Levy Fidelix quer "privatizar tudo que puder" para alavancar São Paulo

“Eu não me importo de ser julgado e submetido a julgamento nenhum porque tenho a convicção de que jamais cometi um ato ilícito”, disse Witzel. Neste momento ele continua fazendo seu discurso de defesa, que tem duração prevista no regimento de uma hora.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA