Política Nacional

Deputados pedem saída de Eduardo Bolsonaro da Comissão de Relações Exteriores

Publicados

em


source
Deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP)
Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP)

Após o  conflito entre o deputado federal Eduardo Bolsonaro e a China, deputados protocolaram nesta quinta-feira (26/11) um pedido a Rodrigo Maia (DEM-RJ) para que paute o “afastamento imediato” do filho de Jair Bolsonaro (sem partido) da presidência da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Casa.

O requerimento foi assinado pelos deputados Perpétua Almeida (Presidente da Frente Parlamentar da Cooperação entre os Países do Brics), Fausto Pinato (da Frente Parlamentar Brasil-China) e Daniel Almeida (Presidente do Grupo Parlamentar de Amizade Brasil/China).

A deputada Perpétua Almeida afirmou que uma instituição que se deve dar ao respeito não pode permitir que os membros achincalhem outros países prejudicando históricas relações.

“Inacreditável que o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, fique calado, assistindo o filho insultar a China, maior parceiro comercial do Brasil. Eduardo presidiu a CREDN, mas não aprendeu nada sobre relações internacionais. Nações não têm amigos ou inimigos, elas têm interesses”, afirmou Perpétua.

Leia Também:  Mourão diz que queda na avaliação de Bolsonaro é por situação da vacina e Manaus

O vice-presidente nacional do Cidadania, deputado Rubens Bueno (PR), destacou que “Eduardo Bolsonaro vive cometendo desatinos e envergonhando o Parlamento”

“Não tem cabimento uma postura desse tipo do presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara. A necessidade é urgente de destituí-lo da presidência”, escreveu.

Eduardo Bolsonaro foi eleito para comandar o colegiado em 2019, mas as comissões não foram instaladas neste ano por causa da Covid-19.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política Nacional

Mourão diz que queda na avaliação de Bolsonaro é por situação da vacina e Manaus

Publicados

em


source
Mourão diz que avaliação do Governo Bolsonaro caiu pelo 'ruído' da vacina
O Antagonista

Mourão diz que avaliação do Governo Bolsonaro caiu pelo ‘ruído’ da vacina

O vice-presidente Hamilton Mourão atribuiu a um “momento de bastante ruído” a queda na avaliação do presidente Jair Bolsonaro , identificada na semana passada pelo Datafolha, mas afirmou que a situação vai melhorar quando for “esclarecido” o trabalho do governo pela vacinação contra a Covid-19 e na crise de saúde em Manaus. O vice-presidente também defendeu o trabalho do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

“Está havendo um momento de bastante ruído, por dois aspectos. Um aspecto é a questão da vacina, da vacinação, que no momento que for esclarecido que o governo está fazendo o possível e o impossível para ter o fluxo contínuo, e também a questão de Manaus, no momento que for esclarecido, acho que diminui esse ruído”, disse Mourão, ao chegar no Palácio do Planalto.

Para o vice-presidente, a eleição para a presidência da Cãmara e do Senado, que ocorre na próxima semana, também ajudará a abaixar as “pressões”. “E óbvio que tem as eleições das duas Casas do Legislativo, que influem. Semana que vem acho que baixa um pouco as pressões”, declarou.

Leia Também:  Às vésperas das eleições, entenda o que fazem os presidentes da Câmara e Senado

De acordo com o levantamento do Datafolha , divulgado na sexta-feira (22), 40% brasileiros consideram a gestão de Bolsonaro ruim ou péssima. Em dezembro, o percentual era de 32%. A avaliação positiva (ótimo ou bom), por outro lado, caiu de 37%, em dezembro, para 31%.

Em relação ao pedido de inquérito contra Pazuello , o vice-presidente disse que uma investigação seria positiva para chegar “à conclusão do que aconteceu”. Mourão afirmou, no entanto, que o ministro faz um trabalho “de forma honesta e competente”.

“Uma vez que existe muito disse-me-disse a respeito disso, acho que a melhor linha de ação é que se chegue à conclusão do que aconteceu. Eu tenho acompanhando o trabalho do ministro Pazuello, sei que ele tem feito um trabalho meticuloso e de forma honesta e competente. Que se investigue e se chegue à conclusão do que aconteceu”, afirmou. 

O pedido de inquérito foi apresentado no sábado pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, ao Supremo Tribunal Federal ( STF ). A solicitação ainda não foi analisada, mas a praxe na Corte é autorizar os inquéritos pedidos pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA