Política

DEM abre processo de expulsão contra vereador aliado de Ferraço e Norma em Itapemirim

Publicados

em

Patinho é o alvo

O vereador de Itapemirim Leonardo Fraga Arantes, o Patinho, foi notificado pelo próprio partido

Por Ilauro Oliveira | 17.10.2019

Um fato novo ocorre na política de Itapemirim. Na última quinta-feira (10) o vereador de Itapemirim Leonardo Fraga Arantes, o Patinho, foi notificado pelo próprio partido, o Democratas, de processo ético disciplinar instaurado para apurar suposta conduta contrária à orientação do partido.

Notificado pelo Conselho de Ética Partidária, cujo relator é Luiz Guimarães de Oliveira, também conhecido como Luizinho Tereré, Patinho tem 15 dias para suas alegações e defesa. O resultado do processo pode determinar a sua expulsão do partido, que está sendo pedida pelo autor.

O documento é assinado por Luiz Ricardo de Souza Altoé, filiado do partido, e basea-se em uma denúncia feita pelo presidente da Câmara de Itapemirim, Mariel Delfino, contra o vereador Patinho. O site não obteve o teor da denúncia, mas ouviu o acusado na manhã deste domingo (13)

“Recebi nesta semana esse documento das mãos do funcionário do gabinete da deputada federal Norma Ayub, o Ricardo Cordeiro. Li e analisei. Em primeiro lugar acho que é hora do DEM purgar alguns demônios. Acho que esse processo será importante pra discutirmos o que é ético e o que é lícito. Não na relativização dos termos, mas na forma como são tratados no partido. Há dois pesos e duas medidas e agora vamos poder medir a todos com a mesma régua”, disse Patinho ao site Atenasnotícias.

Leia Também:  Majeski quer transparência sobre situação de escolas

E continuou em tom de indignação: “Sou fiel a minha conduta e jamais me sujeitaria a um ato ilegal. Somos políticos e vamos mostrar à população o que é a política do DEM”.

O site quis saber do vereador sobre os fatos que originaram a abertura do processo partidário.

“Sobre os fatos aí, sobre o tal processo eleitoral não posso falar, pois está em segredo de justiça e irei levar a conhecimento da Justiça essas informações para que punam quem deve. No mais, são apenas palavras jogadas ao evento. Mas tudo tem sua hora. É hora que purgar os demônios do Democratas”, disse o vereador.

Mas, disso tudo, o teor do documento assusta menos que o fato político em si. Isso porque, como se sabe, Theodorico Ferraço e Norma Ayub exercem forte influência no DEM do Espírito Santo e o vereador Patinho, até então, sempre foi aliado do casal. Portanto, o documento pode ser visto como o rompimento das relações entre os antigos aliados. E o próprio vereador dá a pista.

“Muito estranho. Duvido muito que isso esteja acontecendo sem que Ferraço e Norma não tenham conhecimento. Não vou acusar, mas acho estranho. Servi politicamente ao grupo ferracista, fielmente, por mais de 10 anos. Esperaria o mínimo de gratidão de todos”, esclareceu.

Embora Patinho ache estranho, a leitura parece ser simples para um aliado político do vereador, que falou sob condição de anonimato. “Na medida em que o casal muda o foco para Marataízes, município vizinho que passa a ser objetivo maior de Ferraço e Norma, os problemas dos aliados de Itapemirim estariam deixando de ser prioridade. Se essa versão se confirmar, terá consequências no partido aqui do município”, revelou.

Leia Também:  Plenário avaliza extinção de cargo do Incaper

Ainda segundo essa mesma fonte, há outro problema no episódio: “Se Patinho tiver razão quando diz que o casal Ferraço pode ter conhecimento do assunto, mas não faz nada para ajudá-lo, a outra consequência disso será a dificuldade de convencer futuros aliados em Marataízes a embarcar no projeto para eleger Norma prefeita. É que embora se mude de domicílio eleitoral, as ações praticadas permanecem como exemplos que podem ser determinantes para o futuro de quem quer construir grupo”.

O fim da relação do vereador com os Ferraços não é algo tão simples. Patinho, como membro (ou agora como ex) do núcleo duro do casal em Itapemirim sabe muito sobre as ações do grupo ferracista naquele município. E pelo tom de indignação nessa conversa com o site, muito da política de bastidor praticada no município poderá vir à tona. É aguardar.

Por ser domingo, o site teve dificuldades em falar com representantes do DEM para comentarem sobre o processo partidário contra o vereador. Mas o espaço segue aberto para o contraponto. Caso haja interesse da direção democrata.

 

 

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Quintino propõe criação da Rota do Monte Aghá

Publicados

em


O Projeto de Lei (PL) 181/2021, apresentado pelo deputado Coronel Alexandre Quintino (PSL), cria a Rota do Monte Aghá, com trajetos partindo dos municípios de Itapemirim e de Piúma. 

Com cerca de 340 metros de altitude, à beira-mar, o Monte Aghá está situado dentro da Área de Proteção Ambiental (APA) da Lagoa Guanandy e foi tombado pelo Conselho Estadual de Cultura em dezembro de 1985.

Segundo Quintino, o Monte Aghá é referência marítima para pescadores e navegantes e é atração turística do sul do estado. “O monumento, além de possuir peculiar beleza cênica, possui fauna e flora bastante diversificadas”, destaca o parlamentar na justificativa do projeto. 

Além disso, é local propício para a prática de esportes de aventura: “O Monte Aghá é uma formação rochosa de relevo privilegiado; por sua localização e formato geológico, é uma excelente montanha para a prática de trekking, hiking, escalada, rapel, voo livre, mountain bike, caminhadas noturnas, entre outras”, afirma. 

O projeto foi lido na sessão ordinária do último 10 de maio e segue para análise pelas comissões de Constituição e Justiça; de Turismo e Desporto; e de Finanças.

Leia Também:  Maio Amarelo: direção defensiva pode salvar vidas

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA