Saúde

Crianças e adolescentes podem ser até 56% menos vulneráveis ao novo coronavírus

Publicados

em


source
criança
Pixabay/soumen82hazra

Crianças podem ter maior resistência a Covid-19

Um estudo publicado por cientistas da Universidade de Londres afirma que as crianças podem correr até 56% menos risco de contrair Covid-19 em comparação aos adultos. A pesquisa analisou crianças, adolescente e pessoas acima dos 20 anos.

Para chegar aos resultados, 6 mil publicações de vários países foram comparadas com amálises sobre óbitos e diagnósticos , além de um perfil estrtuturado sobre cada paciente. Até o momento, o estudo é considerado o maior sobre infância e coronavírus.

Leia mais: Covid-19 já mata mais que diabetes, câncer de mama e AVC por dia no Brasil

Entre os pacientes analisados, ganharam destaque as famílias inteiras que dividiam a mesma casa ou cômodo. Segundo os pesquisadores , existem casos nos quais a infecção poupou apenas as crianças da família.

“Nossa descoberta aponta para o fato de que crianças e adolescentes são muito menos vulneráveis à Covid-19 e, consequentemente, a contribuir para a infecção de outras pessoas”, escreveram os pesquisadores.

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Covid-19: Cresce taxa de ansiedade e depressão em norte-americanos na pandemia
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Campanha de vacinação contra gripe continua até 30 de junho

Publicados

em


source

Agência Brasil

vacina
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Ministério da Saúde estendeu campanha porque índice de vacinação foi abaixo do esperado

O Ministério da Saúde anunciou a prorrogação da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe até o dia 30 de junho. A campanha teve três fases, sendo que a terceira fase (dividida em duas etapas) iria até o dia 5 de junho. Porém, o baixo índice de vacinação de grupos prioritários motivou a prorrogação da campanha.

Os grupos prioritários da terceira fase são formados por pessoas com deficiência, crianças de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes, puérperas, professores e pessoas de 55 a 59 anos de idade. De 77,7 milhões de pessoas que fazem parte desse público, apenas 63,53% receberam a vacina. O Ministério da Saúde espera, com a prorrogação, alcançar mais 28,3 milhões de pessoas.

Veja:  Pesquisa mostra alta de depressão e consumo de álcool e tabaco durante pandemia

A vacina contra influenza não tem eficácia contra o novo coronavírus (Sars-CoV-2), porém, neste momento, ajuda os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para a Covid-19, já que os sintomas são parecidos. E, ainda, ajuda a reduzir a procura por serviços de saúde, já bastante demandados por conta da panddemia de Covid-19.

Leia Também:  Covid-19 pode ser problema por décadas, mesmo com vacina

Até o momento, 74,9 milhões de doses da vacina já foram distribuídas aos estados para garantir a imunização contra gripe no público-alvo da campanha. Os professores, parte do grupo prioritário, devem apresentar o crachá funcional para comprovar o vínculo com alguma instituição de ensino.

Leia ainda:  Bastidores – entenda como funciona uma equipe hospitalar durante pandemia

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA