Saúde

Covid-19 não se espalha facilmente por objetos e superfícies, diz autoridade

Publicados

em


source
Compras
HomeBase.Org

Contato entre pessoas é a principal rota de contágio do novo coronavírus, avalia autoridade americana

O novo coronavírus (Sars-CoV-2) não se espalha com facilidade a partir do toque de superfícies ou objetos, segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos.

LEIA MAIS: Dois estudos apontam que anticorpos podem impedir segunda infecção

Segundo um porta-voz do CDC à rede americana NBC, a mudança no protocolo de contágio foi feita para “esclarecer os outros tipos de contágio do vírus”. As novas informações apontam que a doença é facilmente transmitida pelo contato entre pessoas, e esta é a principal rota para sua propagação.

Ainda que seja possível que uma pessoa contraia o novo coronavírus pelo toque de objetos e superfícies, esta não é a principal forma de contágio, diz o CDC. De qualquer forma, a agência continua orientando que os cidadãos americanos higienizem as compras antes de guardá-las. 

O CDC também afirma que há evidências de que o Sars-CoV-2 pode ficar em superfícies por algumas horas. “Limpar e desinfetar superfícies é uma das melhores práticas para conter a Covid-19 e outras doenças virais”, afirma o órgão. 

Leia Também:  Tratamento de câncer não pode esperar pela vacina da Covid-19
Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MINISTÉRIO PÚBLICO ES

Secretaria da Saúde do ES explica como será a retomada dos atendimentos nos hospitais

Publicados

em

 

.

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio do Centro de Apoio Operacional de Implementação das Políticas de Saúde (Caops), reuniu-se na quarta-feira (16/09) com representantes da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) para a apresentação do “Plano de Retomada Segura para Garantia do Acesso Hospitalar no Contexto da Covid-19”. Participaram da reunião o subprocurador-geral de Justiça Institucional, a dirigente do Caops, e os promotores de Justiça com atribuição na área da Saúde Pública de todo o Estado. O plano objetiva a reorganização dos serviços de saúde nas unidades hospitalares com a garantia de um acesso seguro para pacientes, familiares e profissionais de saúde nesse terceiro quadrimestre de 2020.

Foram apresentadas pela Sesa as etapas de como se dará a transição dos leitos reservados para pacientes Covid-19 desocupados em cada uma das unidades hospitalares.  A suspensão dessas etapas também foi mencionada em caso de um aumento tanto do número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus, como na taxa de ocupação de leitos Covid-19.

Leia Também:  Samu é confirmado em Cachoeiro; consórcio lança edital para operação do serviço

O subprocurador-Geral de Justiça Institucional, Alexandre Guimarães, saudou a todos os presentes e ressaltou a preocupação com a reabertura de determinadas atividades e uma possível recidiva da doença. “Tenho encontrado dificuldades que considero intransponíveis para a reabertura de determinadas atividades e uma insegurança do ponto de vista médico-sanitário. Lembro aos colegas do Ministério Público que estamos diante de um desafio novo, que é enfrentar uma pandemia, e devemos refletir se as propostas de retomada econômica se coadunam, são compatíveis, com os direitos fundamentais que devem ser tutelados de forma residual pelos membros do MP”, analisou.

Os representantes da Sesa observaram que, a partir deste mês, será avaliado o encerramento paulatino dos contratos para a cessão de leitos efetivados com a rede privada, dentro de critérios de análise que levarão em conta o arrefecimento da doença. Em paralelo, será feita a liberação, também em etapas, dos serviços especializados represados por conta da pandemia (consultas, exames, procedimentos e cirurgias eletivas), com a disponibilização e remanejamento desses “novos” leitos. Esclareceram, ainda, que já existe um planejamento que prevê a reestruturação desses leitos para atendimento da demanda reprimida de cirurgias eletivas. Caso seja necessário retomar os leitos para a Covid-19, haverá uma nova suspensão dessas cirurgias, retomando também a operação daqueles hospitais chamados estratégicos para o atendimento à doença.

Leia Também:  Novo Hospital Unimed amplia leitos e reforça estrutura de atendimento no Sul do ES durante a pandemia

A coordenadora do Gabinete de Acompanhamento da Pandemia do Novo Coronavírus (GAP-Covid-19) e dirigente do Caops, promotora de Justiça Inês Thomé Poldi Taddei, avaliou o quadro atual do Estado diante da doença. “Acompanharemos com muita cautela as etapas do Plano de Retomada apresentado, até mesmo em razão da possibilidade desses leitos Covid-19 desativados terem que ser novamente ativados por conta da doença. A ampliação da rede hospitalar SUS, principalmente da rede própria, foi uma conquista da população capixaba e sua restruturação para a ampliação da oferta de serviços de saúde é de extrema importância”, finalizou a coordenadora do GAP-Covid-19 do MPES.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA