Carros e Motos

Consertar um carro elétrico é mais barato? Não para as seguradoras

Publicado em

Apesar de ter menos peças móveis, especificidades dos modelos elétricos podem custar caro
Divulgação

Apesar de ter menos peças móveis, especificidades dos modelos elétricos podem custar caro

Como os motores são bem mais reduzidos de partes móveis, e não têm a necessidade de utilizar fluidos, a manutenção de carros elétricos é mais simples e, consequentemente, mais em conta que a de um modelo a combustão.

Ainda assim, uma pesquisa realizada pela CCC Information Services nos Estados Unidos revelou que os custos para uma seguradora reparar um veículo elétrico pode ser muito maior do que os de um veículo tradicional a combustão.

De fato, os custos de manutenção mais comuns — como os citados acima — são mais baratos. Entretanto, em caso de colisões, a história é bem diferente.

A pesquisa exemplifica: Um pequeno dano na dianteira em um modelo elétrico de uma marca “não luxuosa” custa US$ 4.041 (R$ 21.833) para ser reparado, cerca de 27% mais caro que um modelo a combustão convencional.

Leia Também:  Detran.SP e Poupatempo fazem novo mutirão para renovação da CNH

Em casos de SUVs médios de marcas luxuosas , o custo chega a US$ 8.037 (R$ 43.423), um valor 53% maior do que em casos de modelos a combustão similares. Entretanto, a comparação não é 100% real, pois serve mais para ter uma noção do momento da indústria e do setor de seguros . Isso porque, segundo a própria CCC, o mercado de elétricos ainda é muito novo, e as informações podem sofrer impactos por conta disso.

Renault Kwid elétrico se parece bastante com o modelo a combustão e tem menos partes móveis
Guilherme Menezes/ iG Carros

Renault Kwid elétrico se parece bastante com o modelo a combustão e tem menos partes móveis

“A dificuldade [para tirar conclusões] é encontrar comparações corretas. A maior parte dos elétricos nas ruas dos Estados Unidos são Teslas, que não tem versões a combustão para ser comparadas” Declarou Susanna Gotsch, analista de indústria na CCC.

A adoção de modelos como a Ford F-150 Lightning, equivalente 100% elétrico da F-150, a Chevrolet Silverado e a variante Silverado EV e os modelos X1 e X3 da BMW, todos com versões elétricas e a combustão — e, no caso do Brasil, com Kwid e Kwid E-tech — são casos para serem analisados para a comparação ideal e mais fiel.

Leia Também:  Peugeot 208 Style 1.0: compacto mostra economia com estilo

A pesquisa aponta alguns fatores que fazem o custo de reparo de carros elétricos ser mais alto:

1 – Estrutura: As oficinas estão realizando investimentos em equipamentos e treinamentos para trabalhar em carros elétricos, o que além de tempo para aprender e se acostumar com o novo “material”, leva um custo, que será repassado para o consumidor.

2 – Sensores: Cada vez os carros possuem mais sensores de direção autônoma, ou auxílio à direção. No caso dos carros elétricos, o relatório diz que eles estão posicionados em áreas que sofrem mais impactos em colisões, como para-choques e espelhos retrovisores, e o custo para a substituição é elevado.

3 – Baterias: Além de serem as grandes vilãs dos elevados custos, tentar compensar seu peso e deixá-las seguras em casos de colisão demanda a utilização de aço de alta resistência, peso baixo, mas sua substituição tem um preço elevado.

Além disso, para realizar a pintura, leva mais tempo em carros elétricos, já que, segundo a pesquisa, é necessário retirar as baterias e re-instalar depois da pintura.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Carros e Motos

Polestar irá produzir conversível elétrico

Published

on

Polestar O2 Concept é o conceito que servirá como base para o Polestar 6
Divulgação

Polestar O2 Concept é o conceito que servirá como base para o Polestar 6

A Polestar, por meio do seu CEO Thomas Ingenlath, confirmou que irá produzir um modelo conversível 100% elétrico, baseado no conceito O2, revelado no último mês de março último.

Segundo o executivo, a decisão de produzir o Polestar conversível foi baseada na “esmagadora resposta positiva da imprensa e dos consumidores”.

O conversível irá ser chamado de Polestar 6 e irá chegar em meados de 2026, oferecendo apenas motorização elétrica, e foi descrito pelo CEO da Polestar como “a combinação perfeita do alto desempenho elétrico com a emoção e o ar livre de um carro conversível”.

O modelo tem referências de design do Polestar 5 , um Gran Turismo elétrico que a Polestar vem desenvolvendo, e também traz muitas linhas de um modelo conceito, com algumas modificações sendo realizadas para viabilizar a produção.

Leia Também:  São Paulo conta com ao menos 400 pontos de recarga de carros elétricos

A Polestar confirmou uma edição especial do Polestar 6, a “LA Concept”. Limitada a apenas 500 unidades , a versão traz pintura em tom azul, rodas de 21 polegadas e interior em couro claro, assim como o conceito O2.

O conceito O2 será apresentado ao público durante o Monterey Car Week, na Califórnia (EUA) no fim do mês de agosto, e a fabricante já está aceitando as primeiras reservas do Polestar 6 em seu site oficial.

Não foram divulgados detalhes de potência, mas é provável que as Polestar utilize a arquitetura de 800 Volts e dois motores elétricos , que estará presente no Polestar 5, essa configuração é capaz de produzir 884 cv de potência e 91.7 kgfm de torque. O Polestar 6 ainda deverá contar com o chassis em alumínio, desenvolvido pela própria Polestar.

Segundo a fabricante, mais detalhes e especificações técnicas serão revelados no futuro , “conforme a produção do veículo se torne realidade” declarou a Polestar.

A fabricante sueca deve anunciar seu SUV , o Polestar 3 ainda neste ano, o modelo deverá ter sua produção iniciada no ano que vem, e se juntará ao sedã Polestar 2 na linha da marca.

Leia Também:  Fusca chinês elétrico tem lançamento confirmado para março

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA