Economia

Cinco profissões na área da estética prometem bombar em 2022; confira

Publicados

em


source
Cinco profissões na área da estética prometem bombar em 2022
Divulgação/Saudicas

Cinco profissões na área da estética prometem bombar em 2022

Hoje em dia, existem milhares de opções de cursos na área da especialização em Cabelos, Barba, Depilação, Unhas, Maquiagem, Massagem e Olhos, por exemplo. Algumas destas são as profissões que mais estão em alta no mercado da beleza para 2022 e, a partir disso, o Instituto Embelleze, maior rede de franquias do segmento de beleza da América Latina, listou as cinco profissões do futuro e comentou alguns dos motivos pela procura em investimento neste mercado. Os que apresentaram maiores crescimentos no último ano são: Manicure e Pedicure, com 101%; Especialização e Alongamento em Unhas, 92%; e Designer de Cílios, que registrou 91%. Designer de Sobrancelhas teve um crescimento de  17%.  

Além dessas, de 2016 a 2019, a empresa observa um grande crescimento da volta das barbearias. Essa informação vai de encontro com o relatório da agência Euromonitor, que mostra que o consumo no mercado de beleza masculina cresceu 70% entre 2012 e 2017, chegando a uma arrecadação de R$ 19,8 bilhões. Com isso, outro conceito também ganha força: não só oferecer o serviço e embelezamento masculino, mas também trazer novas experiências ao cliente, com espaço que ganha no entretenimento e bom atendimento, por exemplo. 

Leia Também:  Nova proposta de reforma trabalhista quer proibir motoristas de app na CLT

Devido a reabertura dos salões que, segundo o Instituto Embelleze, a profissão de New Designer chega para ganhar espaço no que, antes, era apenas manicure e pedicure. As peculiaridades desta área é que a profissional não é só de esmaltação e cutilagem, mas acaba se tornando um designer, ou seja, precisa olhar para a estética da unha e trazer soluções de mercado. 

Além da retomada das atividades nos salões, as franquias do Instituto mostram aos alunos um futuro prévio de onde o profissional da beleza pode parar e que, hoje, o que ganha o cliente é a melhor experiência. Com a pandemia, a individualização do consumidor ganhou força e, por isso, o profissional passa a carregar e montar um cenário onde ele consegue trabalhar, diferente para cada cliente, levando experiência e o serviço que se tornou essencial. 

Leia Também

Outra profissão que está em constante crescimento é a Maquiadora, que pelo meio digital, por causa dos vídeos de tutorias e desafios que estão ganhando as redes sociais. Especialista em Cachos também entra como uma profissão do futuro, devido ao crescimento e empoderamento preto, que procuram sair da química e passar pela transição capilar. E, por último, a promessa para 2022 é o profissional da Estética. Uma pesquisa do Instituto Embelleze mostrou que essa é uma profissão promissora, e os tratamentos que estão mais crescendo são as de rejuvenescimento e harmonização facial , por exemplo.

Leia Também:  Auxílio Brasil: programa pode começar com fila de espera; entenda

“Hoje, com atendimentos instigados por nossa metodologia, alunos com poucos procedimentos já conseguem partir de uma receita de R$ 2.000. Grande parte dos profissionais não saem com uma formação, e sim com uma carreira. A composição de especialidades na área da beleza, possibilita ainda mais ganhos. Exemplo, antes, um profissional saia apenas como Designer de Sobrancelhas, hoje ele faz Designer de Cílios e Micropigmentação, atuando no mercado como como um Especialista em Beleza do Olhar. Essa é a nova tendência de mercado: carreira segmentada”, explica Douglas Baptista, responsável pelos cursos do Instituto Embelleze. 

O Instituto Embelleze trabalha com 13 combos de carreira, que são acoplados em dois ou mais cursos. Os alunos têm a possibilidade de fazer combos mais completos, conhecidos como ‘’Master’’, envolvendo três ou mais cursos, ou fazer os combos “Especialista”, que envolve dois cursos. 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Subida dos juros deve provocar desaceleração na economia, diz Guedes

Publicados

em


source
Paulo Guedes, ministro da Econimia
[email protected] (O Dia)

Paulo Guedes, ministro da Econimia

O ministro da economia, Paulo Guedes, reconheceu que a subida dos juros para combater a inflação vai provocar uma desaceleração na economia no ano que vem. Para ele, o resultado será o melhor possível a ser feito, e a política econômica está seguindo o caminho correto.

“A Faria Lima e os banqueiros estão prevendo um crescimento menor. É natural. No ângulo de visão de financistas, é claro que vai haver uma desaceleração forte, porque os juros estão subindo. A inflação subiu, de novo estamos fazendo a coisa certa. O importante não é a previsão. O importante é fazer a coisa certa. O resultado será o melhor possível. Quando previram que o Brasil ia cair 10 [%], eu apenas descredenciei a previsão de 10. Eu não disse quanto ia cair. Aí surgiu uma guerra de fatos. Eu acreditava em recuperação em V. Não disse em quanto tempo e aconteceu até mais rápido do que eu esperava. Em compensação, veio acompanhada do componente inflacionário”, disse, ao participar nessa sexta-feira (3) do Encontro Anual da Indústria Química.

Leia Também:  Paulo Guedes crê que investimento privado auxiliará no crescimento econômico

Em contrapartida ao efeito dos juros, Guedes conta com o avanço da taxa de investimentos, que vem registrando evolução e pode chegar em 2022 a 20% do Produto Interno Bruto (PIB). Para o ministro, o crescimento do Brasil é inevitável e o país está recuperando sua economia de forma sustentável. Segundo ele, a economia passa por uma fase de recuperação cíclica em forma de V, que é quando registra recuo seguido de ascensão, baseada em transferência de renda e agora passa para a etapa do aumento dos investimentos.

Leia Também

“É um número importante. Estamos subindo a nossa taxa de investimentos”, afirmou.

Guedes acrescentou que não vai fazer projeções do crescimento do PIB para 2022 .

“Eu não estou prevendo quanto vai ser o crescimento do ano que vem. Eu estou tentando de novo colocar um certo ceticismo nessas previsões, que foram de queda de 10%, de depressão, de desemprego em massa. Estou tentando justamente inspirar uma volta à normalidade da economia brasileira e até transcender esse estado, questionando essas previsões do PIB e de crescimento zero. É verdade que a subida de juros para combater a inflação desacelera o crescimento, mas também é verdade que uma taxa de investimento de 20% do PIB é um sinal de bom crescimento à frente”, observou.

Leia Também:  Ministério de Minas e Energia analisa criar vale transporte para vulneráveis

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA