Saúde

Casos de covid-19 permanecem em queda no estado do Rio

Publicado em

O Panorama Covid-19, divulgado nesta sexta-feira (29) pela Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro, mostra que os indicadores precoces da doença estão em queda. A exceção foi o número de atendimentos a casos de síndrome gripal nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da rede estadual, que apresentou um aumento de 6% em relação à última semana, o que indica estabilidade, uma vez que na semana anterior houve queda de 39%. A análise considera os dados registrados na semana de 18 a 24 de julho.

“O cenário da covid-19 no estado segue com tendência de redução. Os dados de atendimentos em UPAs tiveram um discreto aumento, mas compatível com esse período de inverno. É importante que a população continue procurando os postos de saúde para completar o esquema vacinal. Nesta semana, a Secretaria de Saúde recomendou a aplicação da segunda dose de reforço para todas as pessoas com 18 anos ou mais”, disse o secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe.

Leia Também:  Casos de morte por dengue aumentam 5 vezes em relação ao ano passado

As taxas de positividade de antígeno e RT-PCR mantêm a tendência de redução. Entre os dias 18 e 24 de julho, foram realizados em média 5 mil testes de antígeno por dia, sendo a positividade de 13%. Em relação ao RT-PCR, estão sendo analisados em média 550 exames por dia, com positividade de 10,2%. 

As solicitações de leitos para tratamento da covid-19 também seguem com redução, com uma média de 11 pedidos por dia, sendo 7 para UTI e 4 para enfermaria.

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Saúde

Em 2020, beneficiários de planos de saúde somavam 47,4 milhões 

Published

on

A sexta edição do Mapa de Utilização do Sistema Único de Saúde (SUS) por Beneficiários de Planos Privados de Assistência à Saúde, divulgada hoje (19) pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), revela que da população de 211.755.692 brasileiros, em 2020, os beneficiários de assistência médica somavam 47.439.571, ou o equivalente a 22,40%.

O estado de São Paulo liderava em termos de beneficiários de assistência médica, no primeiro ano da pandemia do novo coronavírus, com 17.143.922 (37,04% do total), seguido do Rio de Janeiro, com 5.356.050 (30,84%).

A taxa média de utilização do Sistema Único de Saúde (SUS) por grandes regiões atingiu, em 2020, 38,93 por mil beneficiários na Região Norte do país, caindo para 6,54 no Nordeste, 3,22 no Centro-Oeste, 2,15 no Sul e 2,10 no Sudeste.

O maior número de beneficiários por tipo de contratação foi encontrado, em 2020, nos planos coletivos empresariais, com 32.076.961, seguindo-se os planos individuais ou familiares (9.033.481) e os planos coletivos por adesão (6.269.322). Por cobertura assistencial, o maior número de beneficiários foi encontrado, naquele ano, nos setores hospitalar e ambulatorial (42.218.777).

Leia Também:  Fundação lança manual para pessoas com câncer

Cobertura

O Mapa da ANS mostra que, em 2020, a cobertura de assistência médica alcançou 16,06%, com proporção de 3,42 leitos de internação não SUS por mil beneficiários em plano hospitalar e uma proporção de 1,57 leito de internação SUS por mil habitantes. O número de leitos não SUS totalizou 134.766, em 2020, contra 313.038 leitos SUS.

No âmbito do Sistema Único de Saúde, foram efetuados, em 2020, 33.326.647 atendimentos, sendo 22.638.444 ambulatoriais e 10.688.203 internações. A maioria dos atendimentos foi registrada na Região Sudeste (14.557.508) e no Nordeste (8.969.601). O número de internações foi maior no Sudeste (4.281.684), seguindo-se de Nordeste (2.794.988), Sul (1.852.068), Norte (909.765) e Centro-Oeste (849.698).

Ainda de acordo com o Mapa de Utilização do SUS, a maior taxa de atendimentos por mil beneficiários, segundo idade e sexo, foi apurada em 20,27 para homens de 80 anos de idade ou mais e 18,09 para homens de 75 a 79 anos. Já para o sexo feminino, as taxas mais elevadas por mil beneficiárias foram registradas para as faixas etárias de 75 a 79 anos (13,23) e 70 a 74 anos (12,38).

Leia Também:  Casos de morte por dengue aumentam 5 vezes em relação ao ano passado

A análise da proporção de internações de beneficiários no SUS por especialidades médicas indicou 35,56% em clínica médica, 32% cirurgia, 18,75% obstetrícia, 8,68% pediatria, entre outras. O número de procedimentos identificados no Brasil atingiu 428.573, em 2020, com média de procedimentos mais caros, no país, da ordem de R$ 3.140,34. 

Edição: Maria Claudia

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA