Política Nacional

Carlos Bolsonaro diz que operação contra fake news é “política e ideológica”

Publicados

em


source
carlos bolsonaro
Reprodução/Youtube

O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) tem feito críticas a operação da PF contra fake news

O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) fez críticas sobre a operação da Polícia Federal deflagrada na manhã desta quarta-feira (27) para cumprir 29 mandados de busca e apreensão no inquérito das fake news. Os ataques aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) são o foco da investigação.

Leia mais: Doria diz que não há “crime configurado” contra Witzel em operação da PF

“O que está acontecendo é algo que qualquer um desconfie que seja proposital. Querem incentivar rachaduras diante de inquérito inconstitucional, político e ideológico sobre o pretexto de uma palavra politicamente correta? Você que ri disso não entendo o quão em perigo está!”, escreveu Carlos Bolsonaro no Twitter.

Leia Também:  Celso Russomano é o pré-candidato entrevistado pelo iG nesta sexta

A investigação tem como foco parlamentares, empresários e blogueiros que estariam envolvidos na propagação de notícias falsas contra autoridades e ao próprio Supremo.

São investigados o ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB), o deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP), ativista Sara Winter, o blogueiro Allan dos Santos e o empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan .

O vereador Carlos Bolsonaro foi identificado pela Polícia Federal como um dos articuladores da suposta rede de notícias falsas, segundo a Folha de São Paulo. O vereador nega a informação.

“Querem calar conservadores”

O apoiador do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP), disse que a operação quer “calar a voz dos conservadores”. O parlamentar é um dos alvos da Polícia Federal na investigação das fake news. 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política Nacional

Presidente do STJ manda Queiroz para prisão domiciliar

Publicados

em


source
Márcia Aguiar e Queiroz posando para foto
Reprodução

Mulher de Queiroz, Márcia Aguiar é considerada foragida da Justiça

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, decidiu mandar Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-SP), para prisão domiciliar. A decisão foi tomada pelo magistrado nesta quinta-feira (9) e se estende à mulher dele, Márcia Aguiar, que segue foragida da Justiça.


COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Celso Russomano é o pré-candidato entrevistado pelo iG nesta sexta
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA