Política

Câmara de Itapemirim abre CPI para investigar repasses na área de saúde

Publicados

em

Dr. Thiago Peçanha é o alvo político

Embora o fator determinante para a abertura da CPI sejam os repasses financeiros, o alvo político é o próprio prefeito de Itapemirim, Dr. Thiago Peçanha (PSDB), que à época era quem também respondia pelo Consórcio.

Por Ilauro Oliveira | 08.05.2019

Com votos dos vereadores Mariel Delfino (PC do B), Leonardo Fraga (DEM), Joceir Cabral (PP), João Bechara (PV), Rogério Costa (PC do B) e Fábio Santos (PSL), foi aberta na noite desta terça-feira (7) uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar se houve irregularidades nos repasses da Prefeitura de Itapemirim para o Consórcio da Saúde CIM Expandida Sul.

Embora o fator determinante para a abertura da CPI sejam os repasses financeiros, o alvo político é o próprio prefeito de Itapemirim, Dr. Thiago Peçanha (PSDB), que à época era quem também respondia pelo Consórcio. Os seis votos para a abertura da CPI são da bancada oposicionista da Casa de Leis, que mostrou força na noite de ontem.

Leia Também:  Proposta estimula doação de sangue

Os vereadores irão analisar as denúncias de supostos desvios feitos em forma de pagamentos à empresa que gerenciava médicos, exames e ambulâncias na cidade. O Consórcio já chegou a ser alvo do NUROC-PCES e do Ministério Público recentemente.

Após a votação, foi feito um sorteio para definir os nomes que comporiam a Comissão. O presidente será Vanderlei Louzada (PSB), o relator Rogério Rocha (PC do B), e o membro Lenildo Henriques (PP). A CPI tem 60 dias para fazer os trabalhos e, ao final, emitir um relatório que será encaminhado ao Ministério Público Estadual.

Segundo um vereador que votou pela abertura da CPI, mas que pediu para não ter o nome citado, já que não é membro da CPI, cerca de R$ 10 milhões teriam sido repassados em 2018 pela prefeitura municipal. Segundo ele, Itapemirim seria o maior repassador de recursos ao Consórcio. Devido ao avançado horário em que a matéria foi apurada, não foi possível confirmar os valores juntos à Prefeitura Municipal de Itapemirim.

Leia Também:  Majeski quer transparência sobre situação de escolas

A CIM Expandida Sul é um consórcio público de direito público, sem fins lucrativos, criado para promover o planejamento, a coordenação dos esforços e a execução de serviços e ações de saúde. É composto por Alfredo Chaves, Anchieta, Guarapari, Iconha, Itapemirim, Marataízes, Piúma e Rio Novo do Sul.

O consórcio sobrevive financeiramente dos repasses feitos pelas 8 prefeituras. A cada dois anos um prefeito é indicado para presidi-lo. Atualmente o presidente é o prefeito de Anchieta, Fabrício Petri (PMDB), e o vice-presidente Professor Ricardo (PDT), prefeito de Piúma.  

 

 

 

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Quintino propõe criação da Rota do Monte Aghá

Publicados

em


O Projeto de Lei (PL) 181/2021, apresentado pelo deputado Coronel Alexandre Quintino (PSL), cria a Rota do Monte Aghá, com trajetos partindo dos municípios de Itapemirim e de Piúma. 

Com cerca de 340 metros de altitude, à beira-mar, o Monte Aghá está situado dentro da Área de Proteção Ambiental (APA) da Lagoa Guanandy e foi tombado pelo Conselho Estadual de Cultura em dezembro de 1985.

Segundo Quintino, o Monte Aghá é referência marítima para pescadores e navegantes e é atração turística do sul do estado. “O monumento, além de possuir peculiar beleza cênica, possui fauna e flora bastante diversificadas”, destaca o parlamentar na justificativa do projeto. 

Além disso, é local propício para a prática de esportes de aventura: “O Monte Aghá é uma formação rochosa de relevo privilegiado; por sua localização e formato geológico, é uma excelente montanha para a prática de trekking, hiking, escalada, rapel, voo livre, mountain bike, caminhadas noturnas, entre outras”, afirma. 

O projeto foi lido na sessão ordinária do último 10 de maio e segue para análise pelas comissões de Constituição e Justiça; de Turismo e Desporto; e de Finanças.

Leia Também:  Majeski quer transparência sobre situação de escolas

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA