Economia

Bolsa sobe 7,5% e dólar cai para R$ 5,03 em dia de trégua

Publicados

em


source

Agência Brasil

Em meio ao anúncio de medidas emergenciais no Brasil e no exterior, o mercado financeiro teve o segundo dia seguido de trégua. A bolsa de valores, que ontem (24) subiu 9,66% , saltou 7,5% hoje (25) e voltou a superar os 70 mil pontos. O dólar , que ontem tinha fechado em R$ 5,08, fechou em R$ 5,03.

Coronavírus: Proposta reduz em 30% mensalidade escolar

O índice Ibovespa , da B3 , fechou esta quarta-feira aos 74.956 pontos. O índice, que alcançou o maior nível em 12 dias, chegou a operar com alta de quase 10% durante a tarde, mas desacelerou nas horas finais de negociação.

Bolsa de valores arrow-options
iStock

Bolsa de valores


O dólar comercial encerrou o dia vendido a R$ 5,033, com recuo de R$ 0,047 (-0,93%). A cotação chegou a registrar alta no início da sessão, mas inverteu a tendência ainda durante a manhã. Na mínima do dia, por volta das 14h40, a moeda chegou a ser vendida a R$ 4,98.

A divisa acumula alta de 25,43% em 2020. O Banco Central ( BC ) voltou a intervir no mercado. A autoridade monetária fez dois leilões de linha de US$ 3,3 bilhões. Nessa modalidade, o BC vende dólares das reservas internacionais com compromisso de recomprar o dinheiro meses mais tarde.

Leia Também:  Passageiro é indenizado após ser retirado de voo por causa de panela de pressão

Estados Unidos

O fechamento de um acordo para a aprovação de um pacote de US$ 2 trilhões para reativar a economia dos Estados Unidos ajudou o mercado em todo o mundo. O texto será primeiramente votado no Senado norte-americano, depois irá para a Câmara . Paralelamente, o Federal Reserve , o Banco Central norte-americano, está comprando indefinidamente dívidas corporativas e emprestando recursos diretamente a empresas pelo tempo necessário.

O índice Dow Jones , da Bolsa de Nova York , voltou a fechar em alta, tendo subido 2,39% hoje. Ontem, o indicador encerrou o dia com alta de 11,37%, com o melhor desempenho diário desde 1933.

Pacote de medidas

No Brasil , o mercado continua a reagir à ajuda emergencial de R$ 88,2 bilhões para estados e municípios e à injeção de R$ 1,2 trilhão na economia anunciada ontem pelo Banco Central . A edição de medidas provisórias para flexibilizar a legislação trabalhista durante a crise aliviam a perda do valor de ações de diversas empresas.

Petróleo

A intensificação da guerra de preços do petróleo entre Arábia Saudita e Rússia continua a dar uma trégua. Os dois países estão aumentando a produção de barris, o que tem provocado uma redução na cotação do produto.

Leia Também:  Fundesul de Presidente Kennedy já investiu cerca de R$ 3,5 milhões

Empresários cutucam Guedes e cobram ação para ajudar com o pagamento de salários

O barril do tipo Brent , que na semana passada atingiu o menor nível em 18 anos, voltou a subir hoje. Por volta das 18h, a cotação estava em US$ 27,32, com alta de 0,63%. As ações da Petrobras, as mais negociadas na bolsa, que ontem subiram cerca de 15%, continuaram em alta. Os papéis ordinários (com direito a voto em assembleia de acionistas) valorizaram-se 8,02% nesta quinta. Os papéis preferenciais (com preferência na distribuição de dividendos) subiram 8,08%.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Covid-19: Aneel libera leitura de medidor pelo próprio consumidor

Publicados

em


source
medidores arrow-options
Foto: Reprodução/Internet

É através da leitura dos medidores que as distribuidoras registram o consumo e geram as contas de luz que são enviadas às casas e empresas

Consumidores vão poder fazer a leitura de seus medidores de energia. O objetivo é evitar a prática tradicional que consiste em enviar funcionários aos endereços para fazer a leitura dos medidores.

Salários de carreiras da linha de frente contra a Covid-19 tiveram perda real

A autorização para a adoção de medidas alternativas foi publicada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) por meio de uma resolução que visa garantir o fornecimento de eletricidade no País durante a crise provocada pela pandemia da Covid-19.

No caso dos clientes serem os responsáveis para medir a energia, as distrubuidoras deverão oferecer os meios para que os clientes informem os dados.

Governo de São Paulo determina que botijão de gás não passe de R$ 70

É por meio da leitura dos medidores que as distribuidoras registram o consumo e geram as contas de luz que são enviadas às casas e empresas.

Leia Também:  Efeitos do coronavírus começam a ser sentidos pelo comércio, diz CNC

Além da autoleitura, a Aneel permitiu às distribuidoras que optem por gerar as faturas com base na média do consumo de seus clientes nos últimos 12 meses.

“Pensar em restrições fiscais agora seria suicídio para sociedade”, diz Maia

De acordo com a Aneel, a adoção dessas medidas visa “assegurar a continuidade do serviço e reforçar a segurança da população”.

A resolução da Aneel também prevê outras medidas como:

1) suspensão dos cortes no fornecimento de energia elétrica motivados por falta de pagamento;
2) suspensão da entrega mensal da fatura impressa;
3) suspensão do descadastramento de famílias da tarifa social;
4) suspensão de atendimento presencial ao público;
5) elaboração de planos de contingência específicos para atender hospitais e locais usados para o tratamento da população.
6) As medidas valem por 90 dias e podem ser alteradas pela Aneel antes desse prazo.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA