Economia

Autoridades resgatam 337 vítimas de trabalho análogo à escravidão

Publicado em

Cerca de 300 trabalhadores foram resgatados de condições precárias em julho
Reprodução: iG Minas Gerais

Cerca de 300 trabalhadores foram resgatados de condições precárias em julho

O Ministério Público do Trabalho (MPT), junto com autoridades federais e estaduais, resgataram 337 trabalhadores em condições análogas à escravidão em julho. Segundo o MPT, os estados de Minas Gerais e Goiás apresentaram os maiores números de trabalhadores em condições precárias.

A operação começou no dia 4 de julho e conta com 49 equipes de fiscalização em 22 estados e no Distrito Federal. As diligências devem continuar nas próximas semanas.

Os procuradores registraram o maior número casos na área rural, como colheita de soja, café e cana-de-açúcar, além de cortes bovinos. Na área urbana, o índice é maior entre a classe doméstica. O MPT ainda encontrou 15 vítimas em trabalhando em uma clínica de reabilitação.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Quase metade dos regatados (149) foram vítimas do tráfico de pessoas. A procuradoria deve investigar os casos e tenta localizar os suspeitos.

Em sete meses, o Ministério Público do Trabalho resgatou 1.122 pessoas de trabalhos em condições análogas à escravidão. Os procuradores ressaltaram a importância da denúncia para evitar que casos de escravidão cresçam no país. Eles alertam que as vítimas costumam ser vulneráveis socialmente, além de não ter estudos ou acesso à informação.

O Ministério Público e a Polícia Federal devem investigar os casos das vítimas e as empresas devem ser notificadas nos próximos dias.


Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Economia

Uber vai acabar com o Rewards, seu programa de fidelidade

Published

on

O programa Rewards chegou ao Brasil em 2019
Giovanni Santa Rosa

O programa Rewards chegou ao Brasil em 2019

A Uber comunicou a usuários do aplicativo de transporte neste fim de semana que vai encerrar o seu programa de fidelidade, o Rewards, que chegou ao Brasil em 2019. A decisão, segundo a empresa, é global e não haverá um programa substituto, ao menos por enquanto.

O programa permitia a usuários da plataforma acumular pontos a cada corrida ou pedido (no caso do Uber Eats), os quais poderiam ser trocados por benefícios como descontos na própria plataforma ou em parceiros como serviços de streaming.

Neste sábado, usuários da plataforma no Brasil receberam um comunicado sobre o assunto. “Você tem até o dia 31 de agosto para acumular pontos. Depois dessa data, os benefícios atrelados aos níveis do programa também deixarão de existir.”

Leia Também:  Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 3 milhões neste sábado

Segundo o comunicado, os pontos já acumulados poderão ser trocados por benefícios até 31 de outubro de 2022. Em 1º de novembro, o Uber Rewards será “totalmente encerrado”, segundo o anúncio. Os usuários podem visualizar seus pontos e resgatar seus benefícios na seção ‘Conta’ no app da Uber.

O fim do programa não ocorrerá apenas no Brasil, e sim em todas as operações da Uber no mundo. Segundo o site The Verge, usuários nos Estados Unidos também receberam comunicado semelhante. O encerramento do benefício ocorre após a plataforma realizar, no Brasil, pesquisas com usuários sobre a avaliação que faziam dos benefícios oferecidos. Por aqui, a plataforma enfrenta forte concorrência da 99, controlada pela chinesa Didi.

“No sábado, dia 13 de agosto, anunciamos aos nossos usuários que o Uber Rewards será encerrado em 1° de novembro. (…) Agradecemos aos nossos usuários pela fidelidade e por fazerem parte do Uber Rewards”, disse a Uber em nota.

No segundo semestre deste ano, a Uber teve, globalmente, um prejuízo de US$ 2,6 bilhões (R$ 13,2 bilhões no câmbio atual), ante lucro de US$ 1,14 bilhão registrado no mesmo período de 2021.

Leia Também:  Cerca de 600 mil empresas pediram adesão ao Simples em janeiro

Apesar disso, e de buscar encerrar suas operações mais deficitárias (a exemplo da operação de delivery do Uber Eats no Brasil), a plataforma tem aumentado sua receita. O faturamento no segundo semestre deste ano foi de US$ 8,07 bilhões, o dobro do registrado de abril a junho de 2021.

Entre no canal do Brasil Econômico  no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia

Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA