Tecnologia

Apple vai abandonar iPhone Mini nas próximas gerações, diz analista

Publicados

em


source
iPhone 12 Mini pode ficar para trás
Divulgação/Apple

iPhone 12 Mini pode ficar para trás

O analista Ming-Chi Kuo, conhecido por suas previsões precisas sobre os lançamentos da Apple , revelou que o “ iPhone 14 ” pode chegar ao mercado em quatro modelos diferentes em 2022 e sem uma versão mini . O principal diferencial dos aparelhos serão as suas câmeras.

A expectativa é que os dispositivos cheguem ao mercado com dois tamanhos de tela: 6,1 polegadas e 6,7″, ambos com diferentes configurações de hardware . Outra previsão de Kuo é que a companhia vai parar de oferecer um aparelho mais compacto e barato a partir de 2022. O último deles foi o iPhone 12 Mini , lançado em 2020 após o pedido de parte dos usuários da marca por um telefone menor.

Se confirmada, a decisão não surpreende, já que os relatórios da empresa sugerem que o modelo não está vendendo bem  em comparação com iPhones anteriores, que ainda oferecem telas maiores e mais autonomia de bateria.

Você viu?

‘iPhone 14’ com câmeras aprimoradas

Sobre as câmeras, a nota emitida pelo analista na quarta-feira (14) diz que o “iPhone 14” vai contar com componentes de ponta para aumentar a resolução e a qualidade das imagens captadas pelo aparelho, além de melhorias para a gravação de vídeos. Tudo para preparar o dispositivo para o uso em cenários de realidade aumentada e virtual.

Além de lentes melhores, o analista revela que os modelos devem vir de fábrica com um sensor de imagem desenvolvido pela Sony , capaz de gravar vídeos em 8K e tirar fotos de 48 MP.

Por fim, olhando para o futuro, Kuo espera que a Apple apresente iPhones com uma lente periscópio com zoom mais longo e um sensor de reconhecimento facial para o Face ID integrado sob a tela em 2023, o que sugere que o famigerado “notch” pode estar com os dias contados.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

123movies.la, um dos maiores sites de pirataria de filmes, é retirado do ar

Publicados

em


source

Tecnoblog

Pirataria é combatida por associação
Unsplash/Austin Neill

Pirataria é combatida por associação

O 123movies.la não está mais no ar. Na sexta-feira (7), a Aliança para a Criatividade e o Entretenimento (ACE) anunciou que passou a controlar o domínio de um dos maiores sites de pirataria de filmes. Ao acessá-lo, os visitantes são recepcionados por um aviso e redirecionados a uma página do grupo de empresas.

Surgido em 2017, o site alcançou uma marca de quase 30 milhões de visitas mensais. Mas, recentemente, a Alliance For Creativity and Entertainment (em inglês) tomou posse do domínio, retirando-o do ar. Segundo o grupo para combater a pirataria , que reúne nomes como Amazon , Apple , Disney e Netflix , esta é a sua primeira ação na Tunísia.

Você viu?

123movies.la: site de pirataria de filmes é retirado do ar

Ao acessar o site neste momento, o seguinte aviso é apresentado na tela: “Este site não está mais disponível devido à violação de direitos autorais”. Em seguida, os visitantes são levados a um página da associação com um lista de plataformas de streaming . Entre elas, estão o Amazon Prime Video, Disney+ e Google Play.

Leia Também:  Instagram infantil: procuradores dos EUA querem que Facebook desista da versão

A ACE não informou como descobriu a identidade dos donos da plataforma. Mas, conforme o TorrentFreak observou, em setembro, a Motion Picture Association (MPA) solicitou dados sobre os responsáveis por diversos sites, como o EZTV, Pirate Bay e YTS, em uma intimação à Cloudflare. O 123movies.la também estava na lista da associação.

“Essa é uma prova do trabalho implacável de nossa equipe da ACE global de que fomos capazes de encerrar o 123movies.la, uma das maiores operações de pirataria do mundo”, disse Jan van Voorn, vice-presidente executivo e chefe de proteção de conteúdo global da MPA. “Esta ação resume a missão da ACE e é um forte exemplo de como lutamos para proteger o mercado criativo em todos os cantos do globo”.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA