Tecnologia

Apple cria iPhone que roda sistema de computador, diz rumor

Publicados

em


source

Olhar Digital

iPhone
Unsplash/zhang kaiyv

Apple estaria desenvolvendo iPhone com macOS


Segundo um artigo no Apple Insider, a Apple está trabalhando em protótipos de iPhones baseados nos processadores que serão usados nos Macs (chamados de “Apple Silicon”), que seriam capazes de rodar tanto o iOS quando o macOS .


A informação vem do usuário @MauriQHD no Twitter, que segundo o site tem um bom histórico na divulgação de rumores sobre projetos de outras marcas, mas é “limitado” quanto à Apple.

Leia Também:  Cansado da bateria acabar? Controle do PlayStation 5 pode durar bem mais


A ideia é poder plugar um iPhone em uma dock ou monitor e transformá-lo em um Mac completo rodando o macOS, de forma similar ao que era possível com o Motorola Atrix e sua Lapdock, ou com aparelhos mais recentes da Samsung compatíveis com o software DeX.

“Está pronto”, diz Mauri. “Mas eles continuam trabalhando em protótipos enquanto isso, e estão usando este tempo para torná-lo ainda melhor. Duas opções estão prontas (mas vão usar apenas uma)”.

“Eles estão apenas esperando outros projetos se ajeitarem”, afirma. “É 95% certo que [o recurso] está vindo, mas não 100%. Depende de muitos outros fatores”.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Caso TikTok: Apple, Disney e outras gigantes pedem para Trump não banir WeChat

Publicados

em


source

Olhar Digital

WeChat
Reprodução

WeChat é um aplicativo chinês que deve ser banido dos EUA junto com o Tiktok


Grandes empresas americanas mostraram sua preocupação com a decisão de Donald Trump de banir o aplicativo chinês WeChat dos Estados Unidos. Em uma ligação com a Casa Branca, Apple , Disney , Ford , Walmart e outras companhias detalharam os efeitos negativos que a medida pode ter em seus negócios.

A ordem executiva de proibição foi assinada na última quinta-feira  (6) e bloqueia explicitamente “qualquer transação relacionada ao WeChat”. A medida está programada para entrar em vigor dentro de algumas semanas.

No entanto, as empresas afirmam que, por conta da linguagem ampla, há confusão sobre o alcance pretendido com a medida. A conversa das empresas com a Casa Branca , que aconteceu na terça-feira (11), teve, entre outras finalidades, obter mais clareza a esse respeito.

Leia Também:  Facebook remove mais de 22 milhões de posts com discurso de ódio

O WeChat é essencialmente um aplicativo de mensagens operado pela Tencent , mas, na China, é muito mais do que isso. No seu país de origem, ele é usado extensivamente para pagamentos, comércio eletrônico, marketing, notícias e muitas outras coisas.

Qualquer smartphone sem acesso a ele perderia espaço no maior mercado móvel do mundo, afetando profundamente a Apple , por exemplo. O impacto seria mais significante para a empresa do que a ausência dos serviços do  Google para a Huawei .

O impacto também seria grande às empresas que não estão diretamente na indústria de smartphones. Não ser capaz de comercializar produtos ou receber transações por meio do WeChat prejudicaria de forma significativa as operações na China. Agora, após a reunião, as empresas esperam que o alcance da ordem executiva seja esclarecido e reduzido nas próximas semanas. Apenas depois disso que elas terão total noção do quanto serão afetadas.

Banimento do TikTok

Todo o imbróglio entre o WeChat e os Estados Unidos começou, na verdade, com o TikTok . Depois de afirmar diversas vezes que baniria o aplicativo de vídeos no país, o presidente Donald Trump finalmente cumpriu sua promessa na noite de 6 de agosto. A empresa tem até 45 dias para ser comprada por uma companhia americana para continuar seus funcionamento no país.

Leia Também:  Xiaomi lança TV transparente com preço que não agrada; confira

A medida, porém, vale também para o serviço de mensagens chinês WeChat. A ordem do executivo é que nenhuma empresa ou cidadão americano realize transações com os aplicativos passado o prazo de 45 dias. Baixá-los nas lojas do Google e da Apple , negociar publicidade com seus desenvolvedores e, sobretudo, comprar suas operações são exemplos de transação.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA