Saúde

ANS: planos devem autorizar RT-PCR de forma imediata

Publicados

em


As solicitações médicas de exame RT-PCR, para diagnóstico de covid-19, que atendam às condições da cobertura obrigatória devem ser autorizadas de forma imediata pelas operadoras de planos de saúde. A determinação é da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que informou hoje (14) que, desde 1° de abril, começou a vigorar a alteração da Diretriz de Utilização (DUT). O objetivo é agilizar a realização dos exames. 

Antes da mudança, os planos de saúde podiam demorar até três dias úteis para garantir o atendimento ao pedido de exame, que é considerado o mais eficaz para confirmar de infecção pelo novo coronavírus. A cobertura do exame é obrigatória nos casos de síndrome gripal e síndrome respiratória aguda grave (SRAG).

A síndrome gripal é caracterizada quando uma pessoa tem ao menos dois dos seguintes sintomas: febre, calafrios, dor de garganta, dor de cabeça, tosse, coriza, distúrbios olfativos ou distúrbios gustativos.  

Para crianças, também é considerado um sintoma de síndrome gripal a obstrução nasal, na ausência de outro sinal mais específico. Já para os idosos, sintomas como síncope, confusão mental, sonolência excessiva, irritabilidade e perda de apetite também devem ser considerados. O idoso com suspeita de covid-19 também pode estar sem febre e apresentar diarreia. 

Leia Também:  Vacinação contra a gripe termina 1ª fase com 8% de imunizados

O critério que caracteriza a evolução da síndrome gripal para síndrome respiratória aguda grave prevê que a pessoa apresente um dos seguintes sintomas: dispneia/desconforto respiratório, pressão persistente no tórax, saturação de oxigênio menor que 95% em ar ambiente ou coloração azulada dos lábios ou do rosto (cianose). Crianças com SRAG podem apresentar ainda batimentos de asa de nariz, cianose, tiragem intercostal (retração da musculatura entre as costelas durante a inspiração), desidratação e falta de apetite.  

Os planos de saúde também são obrigados a cobrir testes sorológicos, que detectam a presença de anticorpos, com solicitação médica. Nesse caso, os grupos cobertos são os que apresentaram síndrome gripal ou SRAG e já tenham passado do oitavo dia dos sintomas, e crianças e adolescentes com quadro suspeito de síndrome multissistêmica inflamatória pós-infecção pelo SARS-CoV-2.

Não está obrigatoriamente coberto para realizar teste sorológico quem: testou positivo em um RT-PCR para SARS-CoV-2; já tenha testado positivo em outro teste sorológico; testou negativo em outro teste sorológico há menos de uma semana, desde que não seja menor com suspeita de síndrome multissistêmica; tenha feito testes rápidos; recebeu a prescrição do teste para rastreamento para retorno ao trabalho, pré-operatório, controle de cura ou contato próximo/domiciliar com caso confirmado; esteja em busca de verificação de imunidade pós-vacinal. 

Leia Também:  Covid-19: Robô Aurora inicia testes de usabilidade em hospital de PE

Outros seis exames que ajudam no diagnóstico da covid-19 também têm cobertura obrigatória prevista pela ANS: Dímero D (dosagem); Procalcitonina (dosagem); Pesquisa rápida para Influenza A e B e PCR em tempo real para os vírus Influenza A e B; Pesquisa rápida para Vírus Sincicial Respiratório e PCR em tempo real para Vírus Sincicial Respiratório. 

Edição: Denise Griesinger

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

São Paulo começa a vacinar idosos e professores contra a gripe

Publicados

em


O estado de São Paulo começa a vacinar contra a gripe (vírus Influenza), nesta terça-feira (11), os idosos – pessoas com 60 anos ou mais – e professores das redes pública e privada. O novo público-alvo definido para a segunda etapa da campanha soma mais 7,8 milhões de pessoas.

O governo ressaltou que também poderão comparecer aos postos as pessoas que integram grupos da primeira etapa de vacinação, já que ainda não foi atingida a meta de 90% de imunização. A cobertura vacinal é inferior a 30% em crianças, grávidas, puérperas e trabalhadores de saúde.

Mesmo com doses disponíveis desde o dia 12 de abril, só foram imunizadas até o momento 978,4 mil crianças (29,6% de cobertura vacinal), 114,7 mil gestantes (26,2%), 342,9 mil profissionais da saúde (22,1%) e 21,4 mil puérperas (29,9%). Também foram vacinados 3,7 mil indígenas (63,7%).

“A gripe e a covid-19 são doenças respiratórias que circulam simultaneamente aqui no estado. Por isso, toda medida preventiva é necessária para cuidar de si e do próximo. A vacina é totalmente segura e não causa gripe, pois é composta apenas de fragmentos do vírus que garantem a devida proteção”, disse a diretora de Imunização da Secretaria de Saúde, Nubia Araújo.

Leia Também:  Ministério da Saúde receberá 8,2 milhões de doses de vacina até sexta

No ano passado, o estado de São Paulo registrou 809 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), atribuídas ao vírus Influenza, e 119 mortes.

Quem estiver tanto no grupo da campanha de gripe quanto no grupo da vacinação contra covid-19 deve respeitar um intervalo de 14 dias para receber doses destinadas à prevenção dessas doenças.

De acordo com o governo estadual, os profissionais estão orientados a fazer triagem para identificação de paciente com sintomas respiratórios, como tosse, coriza e falta de ar. Aqueles que apresentarem apenas tosse ou coriza poderão receber a vacina contra a gripe, com a orientação de procurar um serviço de saúde. Aqueles que tiverem febre ou mau estado geral, além da orientação para procurar o serviço de saúde terão de adiar a aplicação da vacina até a recuperação.

Terceira etapa

Para reduzir aglomerações e reforçar a prevenção à covid-19, o cronograma da campanha foi dividido em três etapas que se estenderão até 9 de julho.

A última etapa começa em 9 de junho, com a meta de alcançar 5,1 milhões de pessoas com comorbidades e com deficiência (física, auditiva, visual, intelectual e mental ou múltipla); caminhoneiros, trabalhadores portuários e de transporte coletivo; profissionais das Forças Armadas, de segurança e salvamento e funcionários do sistema prisional; população privada de liberdade e jovens e adolescentes sob medidas socioeducativas.

Leia Também:  Rio divulga novo calendário de vacinação para profissionais de saúde

Seguindo a legislação, deverão ser priorizados nas salas de vacinação os idosos com mais de 80 anos e haverá triagem diferenciada e orientações para quem tiver sintomas respiratórios. Além disso, a aplicação da vacina contra a gripe deve ocorrer em sala distinta da reservada à imunização contra covid-19.

O Instituto Butantan disponibiliza ao país 80 milhões de doses para a campanha nacional, com produção integral do imunizante e sem necessidade de importação de matéria-prima. O imunizante deste ano é constituído por três cepas de Influenza: A/Victoria/2570/2018 (H1N1)pdm09; A/Hong Kong/2671/2019 (H3N2); e B/Washington/02/2019 (linhagem B/Victoria).

Edição: Graça Adjuto

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA