Política Nacional

Aliados de Lula no MDB pedem ação de Temer para rifar Tebet

Publicado em

Michel Temer em entrevista nesta segunda-feira (2)
Reprodução/BandNews TV

Michel Temer em entrevista nesta segunda-feira (2)


Em reunião com o ex-presidente Michel Temer na tarde desta terça-feira, uma ala do MDB pediu o adiamento da convenção da sigla – prevista para o próximo dia 27 – na tentativa de rifar a pré-candidatura à presidência da República da senadora Simone Tebet.

A ideia é que o encontro seja transferido para o dia 5 de agosto, prazo limite da Justiça eleitoral para a realização da convenção.

O grupo do MDB defende o apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ainda no primeiro turno  das eleições e tenta articular um encontro entre o petista e Temer. No entanto, os ressentimentos que surgiram na época do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff são empecilhos para essa aproximação.

Questionado sobre um acordo com Lula e o PT, Temer disse que é preciso dar “tempo ao tempo”.

No encontro com Temer, os líderes alertaram para os ataques que o presidente Jair Bolsonaro fez nesta segunda-feira contra as urnas eletrônicas e os riscos à democracia.

Leia Também:  Tarcísio de Freitas: pessoas nas ruas e cracolândia serão prioridade

Temer disse que vai tentar conciliar a situação e levar o pleito das lideranças ao presidente nacional do MDB, Baleia Rossi.


“Eu não vejo oposição radical à Simone. O que há é uma preocupação política em relação ao que possa acontecer na eleição”, afirmou o ex-presidente.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o perfil geral do Portal IG .

Fonte: IG Política

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Política Nacional

Eleições: Deltan Dallagnol registra candidatura a deputado federal

Published

on

Deltan Dallagnol
ig

Deltan Dallagnol

O ex-coordenador da força-tarefa da Lava-Jato de Curitiba, Deltan Dallagnol (Podemos) , apresentou à Justiça Eleitoral o registro de sua candidatura a deputado federal pelo Paraná nesta quinta-feira e declarou possuir patrimônio no valor de R$ 2,7 milhões. Ele diz que 49% do total desses bens foram acumulados até 2011, antes das investigações da Lava-Jato.

A possibilidade de disputar o cargo, entretanto, ainda depende de decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) sobre gastos da antiga força-tarefa. Em julgamento na última terça-feira, a 2ª Câmara do TCU condenou Deltan e outros procuradores a ressarcir os cofres públicos em cerca de R$ 2,8 milhões com gastos de diárias e passagens , apesar de um parecer da área técnica do tribunal ter apontado a inexistência de irregularidades.

Ainda deve haver recurso à decisão, mas, caso o julgamento final do TCU mantenha a condenação, isso poderia deixar Deltan impedido de disputar a eleição. Caso isso ocorra, o ex-procurador poderia recorrer ao Judiciário para obter uma liberação para disputar o pleito.

Leia Também:  Ipespe: Diferença para Bolsonaro cai, mas Lula segue na liderança

O item mais caro de seu patrimônio é a metade de um apartamento em Curitiba, no valor de R$ 1,1 milhão, que Deltan declarou ter adquirido no ano passado. Segundo ele, o imóvel foi pago com recursos provenientes da venda de um imóvel anterior e com recursos de suas economias.

Além disso, ele declarou ter R$ 1,029 milhão em conta bancária e aplicações financeiras, dos quais R$ 571 mil correspondem a doações feitas em vaquinha para que o ex-procurador pague condenação em danos morais ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) aplicou multa de R$ 75 mil a ele por causa de uma apresentação em Powerpoint sobre denúncia contra o ex-presidente.

Deltan afirmou que 49% do valor do seu patrimônio foi adquirido até 2011, antes do início das investigações da Operação Lava-Jato –o que corresponderia a aproximadamente R$ 1,3 milhão do valor total, já com correção monetária pela taxa Selic.

Ele diz ainda que a sua evolução patrimonial desde então é “compatível” com o cargo de procurador da República que ocupava até novembro do ano passado, quando pediu demissão para entrar para a política. Ele tinha salário-base de R$ 35 mil, além de rendimentos seus e de sua esposa.

Dallagnol também declarou possuir metade de uma sala comercial em Curitiba, no valor de R$ 84 mil, dois veículos adquiridos por R$ 40 mil e R$ 57.500,00. Informou ainda ter cotas de participação em três empresas, uma sua e duas em nome de sua esposa.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA