Entretenimento

Além de “Madeleine”, outras cinco séries que narram crimes reais

Publicados

em


source

Treze anos depois,  a polícia alemã identificou um novo suspeito  pelo desaparecimento de Madeleine McCann . Com o novo desdobramento no caso, a procura pela série da Netflix que conta os bastidores das investigações do crime, que aconteceu em 2007, aumentou. Se você gosta de casos reais e tem estômago para saber em detalhes várias barbaridades que já aconteceram no mundo criminal, vai querer maratonar também essas produções:

Leia também:
O mundo era outro quando “Chocolate com Pimenta” estreou
Confira 8 produções para entender mais sobre o racismo
A luta antirracista narrada em 5 livros de autores negros

“The Trials of Gabriel Fernandez”


Em “The Trials of Gabriel Fernandez”, ou “Os Julgamentos de Gabriel Fernandez ” em português, a Netflix apresenta um relato completo e documentado do que aconteceu com o garoto, de origem latina, que vivia em Palmdale, norte de Los Angeles, EUA.

Através dos seis episódios, o documentário detalha as investigações feitas por assistentes sociais do país, que acabaram descobrindo que a criança sofria constantemente com abusos domésticos antes de ser morto pela mãe e pelo padastro, que desconfiavam da sexualidade do menino.

“Investigação Criminal”


A produção mostra como delegados, peritos e legistas conseguiram encontrar respostas para crimes que abalaram o Brasil. Entre eles, estão casos como os de Isabella Nardoni, Suzane Von Richthofen , Eloá, Maníaco do Parque, João Hélio, Farah Jorge Farah, Caroline Silva Lee, do serial killer de Itaquaquecetuba, do crime da Rua Oscar Freire e vários outros.

Leia Também:  Antônia Fontenelle entra com novo recurso na Justiça

Produzidas pela  A&E  e antes disponíveis na Netflix , as nove temporadas, totalizando mais de 70 espisódios, estão agora no  Looke , serviço de streaming brasileiro.

“Conversando com um serial killer”


Ted Bundy foi um dos serial killers mais emblemáticos dos Estados Unidos. Nos anos 1970, ele foi responsável pelo assassinato brutal de dezenas de mulheres. Mesmo 50 anos depois, ele ainda desperta fascínio e espanto no público.

Produzida pela Netflix em 2019, a série reúne uma série de entrevistas atuais com policiais, jornalistas, advogados e até amigos de Ted, materiais de arquivo e gravações de áudio que traçam o perfil do criminoso. Os quatro episódios de “Conversando com um serial killer” estão disponíveis no serviço de streaming.

“Gênio do Mal: A Verdadeira História do Assalto a Banco Mais Diabólico da América”


Em 2003, nos Estados Unidos, um entregador de pizza entrou num banco com uma bomba em seu corpo e uma estranha bengala. Após anunciar o assalto, vem a parte mais assustadora da história: o homem simplesmente explodiu.

Leia Também:  Claudete Troiano manda recado para Fábio Arruda: "Nos vemos em outra emissora"

A série documental produzida e disponível na Netflix  explora o que há por trás do misterioso caso do ” pizza bomber “, como veio a ser chamado. A história real deixou muitas dúvidas – Ele estava por trás do roubo? Era a vítima? O que deveria fazer? Com um minucioso trabalho de pesquisa e acervo, a produção tenta solucionar algumas destas questões.

“Marielle – O Documentário”


A série documental conta a vida e a morte da vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco , e de seu motorista, Anderson Gomes , em um atentado em 2018. Até hoje, o crime não foi solucionado e o culpado está impune.

Original Globoplay , a produção registra momentos íntimos da vida da vereadora e do motorista, construíndo uma narrativa até o assassinato da dupla. São seis episódios, que variam entre 45 e 60 minutos, compostos por entrevistas com os familiares das vítimas, policiais, jornalistas que cobriram o caso, procuradores e autoridades políticas e outros materiais inéditos.

Fonte: IG GENTE

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entretenimento

Parto de MC Rebecca foi feito na rua: “Minha mãe foi presa comigo no colo”

Publicados

em


source

MC Rebecca é a nova promessa do funk. Aos 22 anos, a funkeira carioca já emplacou vários hits de successo como ‘Cai de Boca’, ‘Coça de Rebecca’ e ‘Ao Som do 150’. Mas quem vê Rebecca glamorosa em cada apresentação não imagina os contratempos que cantora teve ainda bebê.

MC Rebecca
Reprodução/Instagram

MC Rebecca falou sobre as dificuldades do seu parto em live


Convidada do ‘Papo de Rainha’, live dirigida por Raissa de Oliveira, jornalista e rainha de bateria da Beija-Flor de Nilopólis, Rebecca contou durante a transmissão que chegou ao mundo de maneira inusitada: seu parto foi realizado em uma via pública. “A minha mãe me teve na rua e os policiais que fizeram o meu parto. Nasci na calçada. Passado isso, minha mãe foi presa comigo no colo, o conselho tutelar veio logo em cima (…) Meu avô me registrou e a irmã dele é a minha mãe de criação, ela se chama Cristina”, relembrou a cantora, que deu a volta por cima dos problemas.

Cantora e compositora, antes de brilhar para o Brasil, MC Rebecca já fazia um bom barulho no mundo samba, onde foi passista e rainha das passistas da escola de samba Salgueiro, o que lhe trouxe uma boa bagagem para se apresentar nos palcos. Contudo, a cantora conta com uma equipe para auxiliar o direcionamento da sua carreira e segue se aprimorando.


“Eu estou estudando muito, inclusive canto. Faltava eu perder o medo de cantar, porque dançar eu já sabia. Eu gostava muito de cantar, mas eu cantava para mim e não para um monte de gente. No começo foi muito difícil para mim, eu tinha muita vergonha de cantar”, revela a Mc que já dividiu os vocais com Anitta, Lexa, Luisa Sonia, Kevin O Chris, WC no Beat e Gaab.

Nesta quarentena o número de casos de violência doméstica aumentou, o que fez Rebecca lançar ‘Medo no Escuro’. E é assim que a jovem funkeira tem divido o seu tempo – estudando política, filosofia, cuidando do lar, da filha e trabalhando em casa a todo vapor. “Estou aproveitando a quarentena para refletir, pensar em novos projetos, álbum, focar mais em escrever músicas (…), estou aproveitando mais a minha filha”, revela Rebecca, que tem o sonho de comprar a casa própria. “Tenho sonho de comprar a minha casa e colocar todo mundo para morar comigo, porque eu me sinto muito sozinha”, confessa a cantora.

Leia Também:  Carla Prata apresenta live solidária do  sertanejo Gutto Soares neste sábado

Críticas após procedimento estético

Recentemente, MC Rebecca realizou uma interferência estética e foi alvo de críticas na internet. “Eu fiz o meu nariz, fiz alectomia, fechei a abinha (…) o meu nariz ficava diferente quando eu ficava séria e quando eu sorria (…) era algo que me incomodava. Mas aí quando eu fiz o nariz o povo começou a falar ‘ela odeia ser negra’. Gente, que loucura! O povo viaja! Era uma coisa que eu não gostava em mim”, disse.

Ainda falando de estética, Rebecca falou muito abertamente que tem estrias, celulites mas que não se incomoda. “Gente eu tenho, sim, celulite! As pessoas acham que eu não tenho celulite, que eu não tenho estria. Eu tenho tudo isso, gente. É normal no corpo da mulher. Eu já nem ligo mais, eu boto a bunda de fora mesmo, boto sem meia, eu nem ligo”, diverte-se.

A cantora, que já fez lipo de papada e bichetomia, está insatisfeitas com os seios e pretende encarar a mesa de cirurgia. “A única coisa que me incomoda é o peito, por que eu amamentei e aí caiu. Mas é só isso mesmo que eu quero fazer. Não quero fazer lipo! Eu gosto de malhar”, revelou Rebecca.

Fonte: IG GENTE

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA