Política

Aids: Saúde discute demandas de soropositivos

Publicados

em


Mais acolhimento por parte do governo do estado e da sociedade para garantir aos soropositivos  condições de fazer o tratamento e ter qualidade de vida. A reivindicação foi apresentada pelo membro da Rede Nacional  de Pessoas Vivendo com HIV e Aids (RNP + Brasil) Dario Coelho, convidado da Comissão de Saúde para falar sobre o Dia Mundial de Combate à Aids (1º de dezembro).  A reunião virtual do colegiado foi realizada na manhã desta terça-feira (1º).

Para Coelho, mesmo o Espírito Santo contando com uma das melhores redes de atendimento para Aids no Brasil, ainda é preciso avançar para acabar com o estigma e o preconceito. Ele defendeu a necessidade de se dar mais visibilidade à questão por meio de campanhas em escolas  e  divulgação em cartilhas e outdoors”. O combate à Aids também freia outras doenças  e abre os olhos para a violência e o abuso sexual”, disse Coelho.

O representante da RNP + Brasil chamou a atenção também para a grande incidência da transmissão vertical no Espírito Santo. Segundo ele, os procedimentos no parto não impedem que a mãe transmita o vírus para o bebê. Coelho pediu o governo estadual garanta profissionais mais preparados para acompanhamento de grávidas soropositivas.

Leia Também:  CPI participa de ação para resgatar 35 animais

Outra demanda enfatizada por Coelho foi a concessão do vale-transporte para quem faz tratamento.  Ele pontuou que essa reivindicação vem sendo feita desde 2012 ao Executivo, sem êxito até agora:

“Facilitar o deslocamento do paciente é muito importante, pois são exames, consultas e infindáveis idas a instituições de forma a garantir benefícios, principalmente neste período de pandemia pelo coronavírus por que estamos passando, com o desemprego chegando a 14 milhões de brasileiros”, reforçou Dario Coelho.

Ele enfantizou a importância da continuidade do tratamento para garantir qualidade de vida aos soropositivos.  Coelho contou que chegou a ser desenganado pelos médicos, mas desde 2004 deixou de ser um transmissor do vírus.

Números

Conforme dados  divulgados pela  Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), o Espírito Santo registrou, nos últimos quatro anos, uma média anual de 1.178 novos casos de infecção pelo HIV por ano. Foram 1.195 casos notificados em 2019. Os soropositivos registrados pela Sesa hoje chegam a 16.739. 

A rede pública estadual de saúde oferece, dentre os tratamentos, a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP), indicada para as pessoas que não têm o vírus, mas que vão se expor ao ter relações com parceiro soropositivo;  e a Profilaxia Pós-Exposição (PEP), voltada para os profissionais da saúde que possam ter sido infectados por algum acidente de trabalho e para casos em que houve relação sexual sem os cuidados necessários. Também é realizado trabalho com grávidas portadoras do vírus, de modo a evitar a transmissão para o bebê. 

Leia Também:  PL obriga proteção em boxes de banheiros

Comissão

Os deputados Doutor Hércules (MDB) e Dr. Emílio Mameri (PSDB), presidente e vice-presidente do colegiado, acertaram que vão levar as demandas apresentadas na reunião à  Sesa e ao Ministério Público  Estadual

“Vamos continuar nesta cruzada em prol das melhores condições de conscientização, prevenção e tratamento dignos, tanto médico como social para esses cidadãos”, afirmou Doutor Hércules.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Ales recebe quase 3 mil proposições em 2020

Publicados

em


Quase 3 mil proposições foram protocoladas na Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales)  ao longo de 2020. Projetos de indicação correspondem ao maior volume de iniciativas, tendo sido apresentadas 2.270 proposições dessa natureza, seguidas por 611 projetos de lei (PL), 45 projetos de lei complementar (PLC), 16 projetos de resolução (PR) e nove propostas de emenda à Constituição (PEC), totalizando 2.951 iniciativas apresentadas na última sessão legislativa.

Diante de um ano atípico devido à pandemia provocada pelo novo coronavírus, boa parte das iniciativas foi apreciada pelos deputados a partir do trabalho remoto, em reuniões virtuais, realidade imposta pelo contexto da crise de saúde pública.

Medidas de enfrentamento à pandemia, aliás, pautaram diversas iniciativas. Entre os pontos abordados estão medidas relativas aos direitos do consumidor, protocolos de atendimento aos pacientes na rede de saúde, e até mesmo regulamentação do setor de eventos diante do novo cenário.

Calamidade pública

Uma das primeiras medidas da Ales foi reconhecer o estado de calamidade pública no Espírito Santo por conta da pandemia provocada pelo novo coronavírus. A iniciativa partiu do governo do Estado, por meio do Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 2, de 18 de março de 2020, aprovado no dia 26 do mesmo mês. Na mesma esteira, a Casa reconheceu o estado de calamidade pública provocado pela pandemia do coronavírus em 57 dos 78 municípios capixabas.

Teletrabalho

Uma das primeiras medidas da Ales, logo após a proibição do trabalho presencial na Casa, foi a apresentação de uma proposta de resolução (PR 8/2020), instituindo e regulamentando o teletrabalho no Legislativo estadual. Embora o regime de trabalho a distância esteja sendo praticado durante a pandemia, não há regulamentação para o funcionamento permanente do teletrabalho.

Já o governo do Estado sancionou a Lei Complementar 18/2020, de 25 de setembro de 2020, instituindo o regime de teletrabalho nos órgãos públicos do Executivo estadual.

Leia Também:  Lei permite doação de celulares apreendidos

Chuvas

Outra medida necessária, anterior à pandemia, foi o reconhecimento da situação de calamidade pública no município de Iconha, que teve boa parte de seu território afetado por enchentes ou inundação brusca em fenômeno ocorrido em janeiro. Tal medida suspendeu por 180 dias os  prazos processuais e de apresentação de relatórios de prestação de contas.

O Legislativo ainda aprovou prontamente duas leis de iniciativa governamental. Uma delas criou auxílio financeiro (Lei Estadual 11.102/2020), chamado de Cartão Reconstrução, destinado às pessoas e empresas dos municípios atingidos pelas fortes chuvas de janeiro de 2020 no estado. A outra instituiu o Fundo Reconstrução ES (Lei Estadual 11.104/2020) com o objetivo de facilitar e garantir o acesso ao crédito pela população e empresários.

Orçamento

Apesar do funcionamento especial da Ales, não houve atraso no cronograma de análise, debate e deliberação das peças orçamentárias. O orçamento para 2021 ficou em R$ 18, 9 bilhões. Submetido ao Plenário em 14 de dezembro, o projeto da Lei Orçamentária Anual (LOA) teve 921 emendas aprovadas e rejeitadas outras 91. A matéria se converteu na Lei 11.231, de 7 de janeiro de 2021. Já o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) virou a Lei 11.168/2020. 

Arrecadação

Em dezembro, também foi aprovado o PL 515/2020, de iniciativa do Executivo, que institui a Nota Premiada Capixaba. A medida pretende incentivar a cidadania fiscal, levando o consumidor a exigir nota de suas compras, promover a concorrência leal entre os comerciantes e aumentar a arrecadação do estado.

Loteria

O Espírito Santo poderá ter em breve um sistema lotérico oficial similar ao que já existe no âmbito federal. É a Loteria Capixaba, aprovada por meio do PL 601/2020, encaminhado ao Executivo para sanção. Proposto pelo próprio governo do Estado o texto regulamenta uma antiga norma, a Lei 1.928/1964. Pela proposta, poderão ser criadas quaisquer modalidades de jogos em território espírito-santense, desde que não conflitem com os jogos e as normas federais já existentes.

Leia Também:  Janeiro Branco alerta para a saúde mental

Código Militar

O novo Código de Ética e Disciplina dos Militares Estaduais (CEDME), proposto pelo Executivo, foi aprovado pelos deputados na última sessão ordinária de 2020. A LC foi sancionada pelo governador em 26 dezembro e recebeu o número 962/2020.

Meio ambiente

A redução de danos ao meio ambiente é objetivo de proposições encaminhadas pelo governo para análise do Legislativo. O PL 328/2020 prevê a instituição de uma política de proteção da qualidade do ar atmosférico. O PL 329/2020, já aprovado na Casa e encaminhado para o Executivo para sanção ou veto, estabelece a fiscalização do uso dos recursos hídricos. Também define infrações e penalidades para a utilização indevida de tais recursos no estado.

Já o PL 587/2020, em tramitação, pretende incentivar a diversificação e produção de energia renováveis, diminuir a emissão de gases de efeito estufa, melhorar a qualidade de vida dos capixabas e descentralizar o desenvolvimento econômico. Trata-se do Programa Gerar, destinado ao incentivo da geração e consumo de energia solar fotovoltaica e energia eólica. O programa também inclui a geração de energia eólica com aproveitamento dos ventos do litoral e a partir do uso da biomassa.

Ainda na temática ambiental, a preservação da fauna é objetivo de iniciativas propostas por parlamentares. Entre os exemplos está o PL 145/2020 que cria o Dia do Jacaré no estado. Apresentada pelo deputado Dr. Rafael Favatto (Patri), a medida pretende estimular ações e eventos de educação ambiental voltados para a preservação da espécie da Mata Atlântica.

Outra proposição, o PL 504/2020, de autoria do deputado Capitão Assumção (Patri), proíbe o uso de plumas e penas de aves para a produção de fantasias e alegorias. Ambos os projetos continuam em tramitação na Ales. 
 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

BLOG DO ILAURO

POLÍTICA

POLÍTICA NACIONAL

ECONOMIA

CIDADES

BLOG DO ILAURO

MAIS LIDAS DA SEMANA